.
7

Análise do jogo "Secret of Mana" para SNES escrito por site teste

Escrito por site teste, nota 7 de 10, enviado por tiagocfc,
[img]hide:aHR0cDovL3d3dy5jb21ib2luZmluaXRvLmNvbS5ici9wcmluY2lwYWwvd3AtY29udGVudC91cGxvYWRzLzIwMTgvMDIvc2VjcmV0LW9mLW1hbmEtYW5hbGlzZS0wMi5qcGc=[/img] [url]hide:aHR0cDovL3d3dy5jb21ib2luZmluaXRvLmNvbS5ici9wcmluY2lwYWwvYW5hbGlzZS1zZWNyZXQtb2YtbWFuYS1yZW1ha2Uv[/url] Quando pensamos em um remake de algum jogo que marcou época no passado, imaginamos uma reformulação na obra original. Algo que transforme o game perante as novas tecnologias dos consoles atuais. Porém, as principais características e a experiência que o jogo transmitia no passado, precisam estar intactos ou até mesmo melhorados. Tivemos alguns exemplos recentes que fizeram um bom trabalho neste aspecto. Crash Bandicoot: N'Sane Trilogy e Shadow of the Colossus. Um Remake é direcionado para dois públicos distintos: quem já jogou a obra original e quer revisitá-la, sem precisar dar de cara com gráficos ultrapassados ou a falta de um console antigo para rodar o game, e quem nunca jogou determinado clássico, que agora, passa a ter uma alternativa para entender o motivo de tanta gente adorar o jogo em questão. Os dois exemplos acima, Crash e Shadow of the Colossus, fazem jus à esta premissa. Secret of Mana, que retorna para o PS4, PC e Vita, fica no meio termo. Quase no prejuízo. [b]Marcando época[/b] Secret of Mana é um jogo que pode ter passado batido por muitos jogadores. Exclusivo do Super Nintendo, o RPG foi lançado em 1993, uma época em que o ocidente estava sendo invadido por diversos RPGs japoneses. Muitos deles marcaram época, como a franquia Final Fantasy, também da Square. No entanto, Secret of Mana trazia algo diferente. O jogo abandonava as batalhas por turno e introduzia combates em tempo real. Tudo era acessado com menus mais fáceis, ágeis e o jogador poderia atacar quando bem entendesse. O título trazia uma história marcante, gráficos e arte muito bonitos (para a época) e diálogos pra lá de divertido. Não demorou muito para que Secret of Mana se tornasse um hit e com o passar dos anos, um clássico. Jogamos com Randi, um órfão que um dia encontrou uma espada muito especial. Como uma espécie de Excalibur, a Sword of Mana não podia ser arrancada de uma pedra. Mas a espada escolheu Randi. Sem saber do que se passava, o garoto leva a espada consigo, mas logo percebe que a vila de Potos, onde morava, começava a ser invadida por monstros estranhos. Os anciões da vila percebem que o garoto portava a Espada de Mana e colocam a culpa pelo ocorrido em Randi. O garoto é expulso de sua vila e parte em busca de respostas. Por qual motivo a espada o teria escolhido? Que monstros eram aqueles? O jogo tem como força vital do mundo a Mana. Esta energia foi quase que totalmente erradicada após uma guerra antiga. Mas agora que a Sword of Mana escolheu seu novo guardião, tudo começa a acontecer no mundo de Secret of Mana. A história é até hoje muito empolgante, apesar de parecer clichê nos tempos de atuais. Mas tem seu próprio carisma e grandes pontos de reviravolta que prendem o jogador. [b]Mas e o Remake?[/b] A nova versão de Secret of Mana acaba derrapando em pontos importantes para um bom revival de um jogo tão importante. Mas acaba ainda valendo a pena para quem nunca jogou ou quem quer revisitar a aventura. Um ponto de grande discussão é o visual do game. Secret of Mana está longe de se parecer com um jogo de PS4. Talvez até para o Vita os gráficos não sejam muito bonitos. Existe uma direção artística empregada no game, mas mesmo assim não convence, é simples demais. Parece que a Square pensou em revitalizar o clássico jogo para o 3DS e no meio do caminho mudou de ideia, lançando para PS4, Vita e PC. O resultado é que nenhuma das plataformas recebe um game digno do poder que possuem. Até existem boas cenas feitas com o gráfico do jogo, que adicionam mais intensidade na história. Mas não passa disso. A parte sonora, no entanto, recebeu um tapa e tanto. Agora temos vozes em praticamente todos os diálogos. As músicas receberam uma nova roupagem. Porém, quem desejar jogar com a trilha sonora clássica tem essa opção. O mundo do jogo está definitivamente mais bonito. O game é bem no estilo clássico, linear, onde não podemos andar para qualquer lado. Há uma indicação de onde devemos ir e assim vamos. Para acompanhar nosso caminho há um mapa no canto superior direito que, curiosamente, mostra a região que estamos explorando com um visual totalmente retrô. É bonito e funcional. É uma pena que o mapa geral não tenha os nomes dos locais que queremos ir. Os menus também ganharam uma cara mais bonita, mas funcionalmente são bem parecidos com o da versão original. [b]Combate em tempo real funciona hoje em dia?[/b] Uma das maiores reclamações para quem joga um JRPG hoje em dia é o sistema de combate. Então, não haveria um melhor momento para o retorno de Secret of Mana. Como já mencionamos, tudo é em tempo real. Encontramos os inimigos no mapa e o combate rola ali mesmo. Randi tem como desferir um ataque poderoso, então precisamos esperar uma barra de estamina se encher até 100. Podemos atacar antes desta barra se encher, mas a força do golpe será muito menor. Então, o negócio é atacar, esperar um pouco desviando dos inimigos e atacar novamente. Quando passamos a ter companheiros dentro do time, a inteligência artificial de quem você não controla, não é lá muito boa. Os personagens não desviam dos ataques e ficam andando sem rumo. O melhor é chamar um amigo e pedir para ele controlar alguém, já que o jogo permite, assim seu time realmente ganha uma força extra. Mas vale ressaltar que Secret of Mana tem um combate bem simples. É nostálgico por conta disso, fiel ao seu jogo original, mas não deixa de ser simples. Esta simplicidade ou falta de novidades no combate, vai fazer muita gente se decepcionar com o game. E olha que passamos 70 ou 80% do jogo combatendo criaturas pelo mundo de Mana. Particularmente, gostei do sistema de combate, mas não consigo me empolgar tanto por já ter jogado outros games do gênero que, obviamente, evoluíram muito com relação ao clássico Secret of Mana. A Square Enix perdeu a chance de dar uma nova roupagem para esta característica marcante do jogo. [b]Glitches para lá e para cá[/b] Você já sabe que o remake de Secret of Mana nasceu com visual datado. Porém, existem também alguns problemas gráficos que surgem do nada. O mais notável é no canto do cenário, onde algumas árvores ficam com uma sombra que pisca. Isso nem chega a incomodar. No entanto, em um game que não faz uso da força total das plataformas que roda, este é um detalhe que poderia facilmente ser resolvido com um pouco mais de atenção. Agora, o que mais incomoda são os combates combates. Os inimigos morrem de efeito retardado. Sério, você acerta o inimigo, ele toma o dano e segundos depois ele faz a animação de quando vai morrer. Alguns ficam com a barriga pra cima, outros com a barriga pra baixo, outros de lado. Você sabe que o adversário morreu ao ver a animação que ele faz. Mas é estranho demais esse efeito que ocorre segundos depois que você desfere o golpe. Certamente a Square Enix ficou em dúvida se mexia demais no jogo ou se manteria tudo que fez dele o clássico que é hoje. Inclusive os problemas. Mas e então, vale a pena? Secret of Mana é um jogo que precisa estar no currículo gamer de qualquer jogador. É um título que faz parte da história dos videogames e que marcou época em um dos gêneros mais importantes que existem, os RPGs. Jogar a versão do Super Nintendo hoje é algo totalmente fora de mão. Então, o remake cobre muito bem esta lacuna, apresenta o jogo para uma nova geração e da a oportunidade dos velhos fãs revisitarem Mana. Mas todos, absolutamente todos, devem estar cientes que não se trata de uma versão perfeita. Há um desperdício enorme neste remake, que acaba se apoiando totalmente na versão original sem apresentar novidades que valham o pacote. Por pouco a nova versão não se torna uma decepção. Então Secret of Mana Remake vale a pena, desde que você o jogue de mente aberta. Se não quer ver alguns defeitos ou esperava um visual e fórmulas totalmente novas, esqueça. É o mesmo jogo, com cenas não interativas que adicionam dramaticidade na história, com visual mais ou menos e trilha sonora revitalizada. Os combates não são novidade hoje em dia, então o impacto não será o mesmo de 25 anos atrás. Mas é assim que funciona esta indústria. Jogos clássicos às vezes funcionam melhor na época que foram produzidos. Secret of Mana é um grande exemplo disso. Agora se a Square Enix tivesse dado atenção à este remake como promete fazer com Final Fantasy VII, Secret of Mana poderia marcar época novamente. Mas a oportunidade passou dona Square. [youtube]https://www.youtube.com/watch?v=21EWY94yNxs[/youtube] PONTOS POSITIVOS - O clássico RPG de cara nova; - Trilha sonora revitalizada; - Vozes nos diálogos; - Combates simples, porém legais. PONTOS NEGATIVOS - Faltou cuidado com o visual do remake; - Combates poderiam ter mudado ou melhorado; - Alguns glitches chatinhos. NOTAS NOTAS DO EDITOR GRÁFICO 5.0 SOM 8.0 JOGABILIDADE 7.0 DIVERSÃO 7.0 REPLAY 6.0 EXPERIÊNCIA 7.0 IMERSÃO 7.5
Fonte: site teste
tiagocfc
Enviado por tiagocfc
Membro desde
Assis, Sao Paulo, Brasil
label