.
7

Análise do jogo "Sniper Elite III" para PC escrito por GameTV

Escrito por GameTV, nota 7 de 10, enviado por inuyasha302,
[img]hide:aHR0cDovL3d3dy5wbGF5dHYuY29tLmJyL2Nkbi91cGxvYWRzL2NvbnRlbnRzL29yaWdpbi9pbWFnZXMvc3NfMzY0MjkyZjA0YzQ5MzIyM2U3ODhkOWUxM2Y5NGUxNjQ1YmViMWFjZV8xOTIweDEwODAuanBn[/img] Sniper Elite tinha um conceito diferente. Ao contrário dos demais FPS de guerra, colocava o jogador na pele da classe mais odiada dos jogos do gênero, o atirador de elite, ou sniper, se preferir. Em seu terceiro jogo, no entanto, as coisas podem não surpreenderem mais tanto assim. O game ficou melhor, não há dúvidas. Um tanto mais fácil, ele não perde o ritmo mesmo durante duelos entre atiradores experientes que exigem um tempo de preparação maior. Menos simulação - que eu também não saberia dizer se é real ou não pelo simples motivo que nunca atirei com um rifle dessa precisão - e mais uma pegada "casual" com sua própria dificuldade. No entanto, permanece em sua mesmice de mapas, inimigos e situações até o final da trama, que não instiga o jogador tanto quanto deveria. Uma boa história de atiradores de elite seria algo mais parecido com aquele filme Círculo de Fogo (Enemy at the Gates, 2001, não confundir com os robôs gigantes do Del Toro), ou uma pegada mais de ação frenética vista em O Atirador (Shooter, 2007, com Mark Wahlberg), mas tudo bem, são meus devaneios apenas. O maior problema ao meu ver, é a inteligência artificial da infantaria inimiga. Sempre posicionados no mapa de três em três soldados de forma nada natural, que repetem sempre as mesmas coisas, garantindo um game over e reinício suaves. Faz parte do jogo, mas a evolução dessas rotinas de soldados não se apresenta em nenhum momento de Sniper Elite III. É tudo muito clássico e chato. Uma das novas mecânicas do jogo diz respeito a uma barra que avisa quando o soldado inimigo está de olho em você. Se ela ficar vermelha, o tiroteio começa e é preciso fugir, ou se arriscar e encarar de frente os adversários. Por se tratar de um jogo mais focado na furtividade, os combates tendem a ser mais difíceis e sem um propósito real. Fugir e despistar os inimigo é sempre o seu foco. O engraçado é que, mesmo frente a frente com o inimigo em uma distância "segura", a inteligência artificial leva um tempo para tratá-lo como uma ameaça. Um tempo que, em determinados momentos chega até a ser caricato e tira um pouco a ~magia~ da imersão proposta. Os mapas do jogo seguem um formato similar, e a trama não empolga, nada. Vale mesmo cumprir o desafio e tentar fazer os extras de cada cenário. A forma mais segura para realizar suas tarefas dentro do jogo é utilizar o seu binóculos para localizar e marcar inimigos e pontos estratégicos do cenário, como veículos que podem ser destruídos, geradores de energia (para causar barulho e evitar ser descoberto quando atiramos com o rifle) e soldados em geral. Sniper Elite III não é desses que marcam gerações. Um desses jogos "beges", nascido no conturbado período da mudança de gerações, muito prejudicado no PS3/Xbox 360. Não vai fazer falta na sua lista de "Jogos que preciso jogar urgentemente".
Fonte: GameTV
inuyasha302
Enviado por inuyasha302
Membro desde
label