.
85

Análise do jogo "Naruto Shippuden: Ultimate Ninja Storm Generations" para PS3 escrito por E-Zine/MyGames

Escrito por E-Zine/MyGames, nota 85 de 100, enviado por Anônimo,
Não restam grandes dúvidas que Naruto está entre os melhores animes dos tempos recentes, juntamente com One Piece, Bleach e mais uma ou outra referência. Animes com histórias e personagens tão fortes que alguns já vão além dos 500 episódios e contam com alguns OVAs (filmes extra), merchandising em abundância e milhões de fãs por esse mundo fora. Curiosamente, e mesmo com tanto sucesso, demorou até que a saga Naruto Ultimate Ninja conseguisse alcançar a mesma qualidade que os jogos de Dragon Ball, com a sua saga Bodukai. Felizmente para os fãs, após algumas experiências, o momento chegou com o início da série Ultimate Ninja Storm. Após dois jogos bastante bons, era de esperar que a CyberConnect2 fosse capaz de juntar os melhores condimentos dos dois Storm e assim, criar uma nova experiência definitiva de Naruto, juntando o universo da primeira série do jovem Ninja, com a de Shippuden. O resultado é Naruto Shippuden Ultimate Ninja Storm Generations. Este novo jogo de Naruto foi feito praticamente de forma a agradar tanto aos veteranos da série, como aos novatos que pouco ou nenhum contacto tiveram com o Anime, mas sempre nutriram alguma curiosidade. Naruto Shippuden Ultimate Ninja Storm Generations aproveita para criar uma linha narrativa que conta os acontecimentos desde o início até ao conclave de Hokages em Shippuden, recriando pelo caminho os cambates mais importantes. A história vai ser contada através de episódios dedicados a cada uma das personagens escolhidas, como o Naruto mais novo, o Naruto actual, a história do Kakashi, do Sasuke, do Minato, Itachi, entre outros. Embora tente fazer uma ponte coerente entre cada uma das histórias das personagens, de forma a dar uma visão geral e alargada sobre o que de mais importante foi contado até hoje, existe muito que fica por contar, e elementos de extrema importância são vagamente mencionados por vezes, o que até eclipsa várias personagens e combates importantes. Uma falha enorme. Outra alteração em relação a Naruto Shippuden Ultimate Ninja Storm 2 é a total ausência de exploração em mundo aberto que tinha sido introduzida no jogo anterior. Agora, cada uma das histórias de cada personagem tem direito a uma cinemática inicial e final em Anime, e tudo o resto é narrado ou falado com direito a imagens estáticas com momentos chave dos diálogos ou acontecimentos. Após cada combate, são levados a ver mais algumas imagens e combatem novamente, uma sucessão que só termina nos créditos finais. Eu sei de muitos que não gostavam do mundo aberto de Naruto Shippuden Ultimate Ninja Storm 2, mas a meu ver, a forma como a história é contada é um valente passo atrás, sendo muito mais repetitivo, menos detalhado e com menos interacção. Afinal, visitar Konoha e todas as restantes zonas do mundo de Naruto dava uma possibilidade aos fãs de ver o mundo pelos seus próprios olhos, agora ficaram novamente privados disso mesmo, uma má decisão por parte da CyberConnect2. Cada uma das histórias acaba bastante depressa, especialmente as secundárias que duram entre três a quatro combates, ou seja, caso resolvam passar as cinemáticas e diálogos à frente, até os episódios mais longos de Naruto e Sasuke acabam por ser resolvidos numa dúzia de combates e, no máximo, com meia hora de jogo. Quando comparado lado a lado com Naruto Shippuden Ultimate Ninja Storm 2 em que era dada muito mais atenção aos cenários, personagens e acontecimentos, é notório que este novo jogo fica a perder bastante face ao seu antecessor. Quando acabam o modo história, vão descobrir que tudo o resto que existe por desbloquear ou para fazer, é feito no modo Free Battle, onde vão encontrar o modo Versus para jogar contra outra pessoa, quer através de combates de equipa, ou de um contra um; o Survival, onde precisam de eliminar vários estilos de equipas compostas por temas dentro de vários Rankings; o Tournament com os modos Challenge Tournament que vos coloca a competir em torneios com vários grupos de Ninjas e em Ranks diferentes, e o Battle Tournament que permite seleccionar vários jogadores e torneios à nossa medida. Curiosamente, o modo Tournament e Survival funcionam quase como modos principais de jogo, sendo uma das formas essenciais para desbloquear grande parte dos títulos e ganhar dinheiro para comprar mais items na loja de jogo. Ou seja, a história de Naruto Shippuden Ultimate Ninja Storm Generations abdica de mais episódios e mais pormenor para dar mais atenção a modos com menos narrativa, mas que dão mais atenção ao combate. Para compensar esta mudança, Naruto Shippuden Ultimate Ninja Storm Generations apresenta novos argumentos em termos de jogabilidade. Caso nunca tenham jogado um jogo da série Storm, aqui os combates decorrem em arenas amplas, onde a câmara vai acompanhado as personagens com uma visão pela retaguarda. Existe um botão para atacar com uma sequência de golpes, outro para saltar, um para defender, outro para atacar com Kunais/Shurikens, uma combinação para agarrar o adversário e por fim, um para libertar o Chakra que usam em dois estágios de ataque e o botão para utilizar substituições para fugir aos combos do inimigo. O Chakra é essencial em Naruto, e sem ele não podem fazer muito. Desde investir contra o inimigo ou utilizar as habilidades mais fortes de cada personagem, como os Rasengan de Naruto ou os Chidori de Sasuke. Cada personagem pode invocar até dois níveis de Chakra, que representa um poder mais fraco e um muito mais forte. Cada vez que usam uma habilidade ou sofrem um grande ataque, vão perder Chakra por isso, convém sempre terem atenção à barra do mesmo. Também de regresso estão os confrontos com uma personagem e duas assistências que podem chamar para ajudar a atacar ou defender. Quanto mais utilizam estas assistências, mais a barra de equipa sobe e quando esta enche totalmente, podem desencadear um ataque de equipa bastante mais forte. Cliquem aqui para ver mais imagens de Naruto Shippuden Ultimate Ninja Storm Generations Mas uma das maiores novidades do sistema de combate está ligado à capacidade de substituição frente a ataques através dos Logs. Esta funcionalidade já aparecia nos jogos anteriores, mas aqui foi remodelada, havendo um máximo de substituições que cada jogador pode realizar e que recarregam ao longo do tempo, ou quando estão a levar muitos ataques. Esta novidade acaba por deitar por terra os típicos "spammers" de substituições que carregavam violentamente no botão durante cada combo sofrido. Agora, a estratégia é muito maior e as substituições fazem toda a diferença entre ganhar ou ser derrotado, a meu ver, algo muito bem-vindo. Algo do qual Naruto Shippuden Ultimate Ninja Storm Generations se pode gabar, é do seu Line-up de personagens, que vai bem acima das 50, misturando personagens da primeira saga com as de Shippuden e as suas respectivas evoluções, por isso podem encontrar o Naruto novo, do início do Shippuden, além da versão Sage, ou no caso de Kakashi, na sua versão adulta em criança. Isto traz uma variedade brutal de técnicas diferentes e de possibilidades de combinações em jogos com equipa. É verdade que muitas personagens utilizam ataques muito parecidos, mas existem algumas diferenças entre movimentação e velocidade ou ao agarrar, que fazem com que este sistema de combate esteja ainda mais variado e com mais oportunidades para explorar. Algumas das grandes novidades de Naruto Shippuden Ultimate Ninja Storm Generations foram também feitas a pensar no modo online. Para começar, agora, a carta que criam oferece diferentes vantagens à vossa personagem, como mais ataque, defesa, recuperação de Chakra, velocidade, entre outros extras, que fazem peso em combate. No menu de escolha Online vão encontrar uma série de opções dedicadas ao combate contra outras pessoas. Dentro do Player Match vão poder fazer combates simples ou apenas contra novatos, entrar em combates intermináveis que procuram sempre por novos adversários e em torneios ao estilo do modo para um jogador, tudo isto sem o stress associado aos Rankings Já na parte dos Ranked Match, podem escolher entre Ranked Match regular, em que competem por pontos de Ranking em combates normais e o Custom Ranked Match onde a influência do vosso elemento acaba por dar alguma vantagem ou desvantagem durante o combate. Além destas novidades e adições, agora podem também contar com a gravação de Replays para verem sempre que quiserem e a aquisição de dados de jogo de outros jogadores obtidos através das suas cartas de informação trocadas, que criam "fantasmas" que podem usar como vossos colegas em batalhas de equipa. Estas novidades voltam a fazer a troca de cartas de jogo uma realidade, que tem cada vez mais importância, não sendo apenas algo estético. Quase tudo o que fazem em Naruto Shippuden Ultimate Ninja Storm Generations concede moedas de RYO, a moeda do mundo de Naruto que podem usar para comprar toda uma série de objectos na loja do jogo, como objectos caricatos para utilizar nas substituições, novas armas Ninja, cartas, títulos e imagens. Tudo o que compram aqui é depositado posteriormente no Collection, o mesmo sítio onde também podem ver tudo o que desbloquearam ao longo do jogo. Visualmente, Naruto Shippuden Ultimate Ninja Storm Generations continua a manter um visual glamoroso e muito bem cuidado, com um dos motores de jogo que melhor utilizou até hoje as características Cell-Shading em qualquer plataforma. Tanto os cenários como as personagens mostram detalhes bastante bons e fazem lembrar imenso a série, especialmente nos seus ataques especiais que dão um bom espectáculo. Infelizmente, a decisão de tornar a história em imagens estáticas não compensa a introdução das cinemáticas em Anime. Outro ponto altamente negativo passa também pela total erradicação dos combates especiais que se activavam durante os confrontos mais épicos em sequências com Quick Time Events em que precisavam de carregar nos botões certos para conseguir mais estrelas. Estes eram alguns dos pontos mais altos dos dois jogos anteriores e aqui estão totalmente ausentes. Mais uma vez, uma má escolha por parte de CyberConnect2. A nível de áudio, não existem grandes críticas a fazer a Naruto Shippuden Ultimate Ninja Storm Generations. É verdade que vão ouvir dezenas de vezes a mesma música antes de cada combate, o que se torna irritante e podia ser mais variado, com pelo menos mais uma música. Mas quanto ao resto, vão poder jogar tudo tanto em japonês como inglês, com as vozes dos actores principais todos presentes. A música, embora não seja a da série, está dentro do registo e encaixa de forma bastante boa na acção e menus de todo o jogo. Apesar de todo o meu negativismo bem patente nesta análise, convém deixar bem claro que Naruto Shippuden Ultimate Ninja Storm Generations é um jogo espectacular e muito bem concebido, com um sistema de batalha que está cada vez melhor, muita variedade de personagens e um modo online que promete viciar quem resolva dedicar-se a ele, além de que mostra estar preparado para grandes combates sem problemas de lag ou ligações. Porém, Naruto Shippuden Ultimate Ninja Storm Generations parece ter puxado em duas direcções distintas. Enquanto um lado puxou mais para o lado do combate directo e o crescimento da sua profundidade o outro puxou pela tentativa de colocar num só jogo, tudo o que era de mais importante em toda a saga, e como um verdadeiro fã sabe, este Anime é bem mais do que a disputa entre Naruto e Sasuke. Resumindo, Naruto Shippuden Ultimate Ninja Storm Generations tinha sido um jogo perfeitamente viável numa consola como a PS Vita, servindo como um recapitular mais directo de toda a história, mas na PS3 e Xbox 360, que já viram Naruto Shippuden Ultimate Ninja Storm 2, este jogo parece mais um passo atrás do que um salto em frente.
Fonte: E-Zine/MyGames
label