.
66

Análise do jogo "Fatal Frame 3DS" para 3DS escrito por E-Zine/MyGames

Escrito por E-Zine/MyGames, nota 66 de 100, enviado por Anônimo,
[img]hide:aHR0cDovL20ubXlnYW1lcy5wdC9NZWRpYUNlbnRlci9tZWRpYS9pbWFnZXMvZXppbmU0L3NwaXJpdC1jYW1lcmEtcmV2LTEuanBn[/img] Das mentes que compõem a Tecmo Koei, eis que nos chega Spirit Camera: The Cursed Memoir, um jogo que é considerado um spin-off da série Fatal Frame. Lançado exclusivamente para a Nintendo 3DS, este jogo aproveita um dos aspectos mais importantes da sua série mãe, uma máquina fotográfica muito especial de nome Camera Obscura que possui a capacidade de detectar e de destruir todo o tipo de espíritos que estejam por perto. Este conceito foi então aproveitado para tirar o máximo partido da Nintendo 3DS. Se são fãs de jogos com alguma actividade paranormal e terror, então este título foi feito para vocês. Para além de haver um grande enfoque na Camera Obscura, o jogo centra-se também na tecnologia de realidade aumentada, onde ao visualizarmos uma imagem a partir das câmeras da Nintendo 3DS vamos poder ver várias coisas a acontecer em cima dessa mesma imagem. O jogo possui um ingrediente imprescindível na sua caixa para tirar partido dessa tecnologia, o Diary of Faces, um livro que irá guiar-nos para toda a nossa aventura em Spirit Camera: The Cursed Memoir, e se por acaso não gostam de andar com caixas de jogos ou outro tipo de objectos ou acessórios, então preparem-se porque com este jogo não têm como escapar. [img]hide:aHR0cDovL20ubXlnYW1lcy5wdC9NZWRpYUNlbnRlci9tZWRpYS9pbWFnZXMvZXppbmU0L3NwaXJpdC1jYW1lcmEtcmV2LTIuanBn[/img] Dos modos incluídos vamos ter então à nossa disposição o Project Zero: The Purple Diary, Spirit Camera e Cursed Pages. Project Zero: The Purple Diary é basicamente o modo história deste jogo, onde vamos descobrir o famoso Diary of Faces, um livro amaldiçoado, e libertar uma rapariga de nome Maya que se encontra presa nesse mesmo livro. Passados largos minutos neste modo, vamos ficar a par de toda a jogabilidade e que tira partido das câmeras da Nintendo 3DS, bem como do giroscópio da consola portátil, onde grande parte da nossa jogabilidade irá centrar-se na procura de espíritos para serem derrotados. Para isso, é necessário mover a nossa portátil analisando tudo ao nosso redor, para encontrar espíritos ou falar com Maya. [img]hide:aHR0cDovL20ubXlnYW1lcy5wdC9NZWRpYUNlbnRlci9tZWRpYS9pbWFnZXMvZXppbmU0L3NwaXJpdC1jYW1lcmEtcmV2LTMuanBn[/img] A realidade aumentada também cumpre um papel fundamental como já afirmei anteriormente, onde será necessário estar constantemente a analisar diferentes páginas do livro assim que a história progride. O jogo começa então a falhar em oferecer alguma novidade ao jogador, tornando-se repetitivo passado pouco tempo. Falamos com a Maya, descobrimos um novo espírito, derrotamo-lo com a Camera Obscura e repete durante grande parte das vezes. Sem falar que infelizmente os restantes modos não ajudam muito na longevidade. Spirit Camera faz com que tiremos fotografias com alguns efeitos assustadores, enquanto que Cursed Pages leva-nos para alguns dos mini-jogos incluídos no jogo e no modo Project Zero: The Purple Diary. [img]hide:aHR0cDovL20ubXlnYW1lcy5wdC9NZWRpYUNlbnRlci9tZWRpYS9pbWFnZXMvZXppbmU0L3NwaXJpdC1jYW1lcmEtcmV2LWltZy5qcGc=[/img] Spirit Camera é de facto um jogo tecnicamente interessante, mas que requer alguns cuidados por parte do utilizador. É necessário que estejamos sentamos e com algum espaço livre à nossa volta, visto que o jogo irá obrigar o jogador movimentar-se constantemente e rapidamente, não sendo apropriado para espaços mais fechados ou para jogar na cama, e sem falar que é necessária bastante luz para que a consola detecte as páginas do Diary of Faces sem problemas. Caso o jogador perca ou mande fora o mesmo Diary of Faces, torna o jogo praticamente inutilizável. Mesmo assim, é bom ver um jogo que requer uma maior interacção do jogador tornando a experiência imersa. [img]hide:aHR0cDovL20ubXlnYW1lcy5wdC9NZWRpYUNlbnRlci9tZWRpYS9pbWFnZXMvZXppbmU0L3NwaXJpdC1jYW1lcmEtcmV2LTQuanBn[/img] A Tecmo Koei fez um bom trabalho no que toca ao ambiente do jogo em si, deixando aquele sentimento de que o jogador pertence no jogo, ainda para mais, grande parte daquilo que iremos ver na nossa Nintendo 3DS, é o espaço que está mesmo à nossa volta, juntamente com as personagens a fazerem parte deste espaço. No patamar gráfico, não se mostra com grandes exuberâncias, com personagens e efeitos de realidade aumentada decentes e que cumprem bem o seu papel. A sonoplastia já se mostra mais consistente, com actuações de voz bem conseguidos e efeitos de som capazes de deixar o jogador com o sentimento de pressão constante. Resumidamente, Spirit Camera: The Cursed Memoir é um jogo que pega em boas ideias mas que falha redondamente em explorá-las, criando um jogo que dura pouco tempo mesmo com os mini-jogos, e que foca-se demasiado no Diary of Faces. Mesmo assim, é um jogo bastante interessante enquanto dura, e que deve ser considerado pelos fãs do género ou da série Fatal Frame.
Fonte: E-Zine/MyGames
label