.
6

Análise do jogo "Mount & Blade: With Fire & Sword" para PC escrito por Tecmundo Games

Escrito por Tecmundo Games, nota 6 de 100, enviado por Kroco Mazo,
Exceto se você for um estudioso da história do Leste Europeu, dificilmente você ouviu falar na Revolta de Khmelnitski. Além de possuir um nome quase impossível de ser pronunciado, o conflito ocorrido na antiga República das Duas Nações (região referente à Lituânia, Polônia e outros países próximos) não está presente na grade curricular de nenhuma de nossas escolas. Porém, isso não impede que os acontecimentos sejam aproveitados em obras atuais. Calma, você não clicou em um link errado, nem foi redirecionado para uma página educativa. Ainda estamos falando de video games. O que acontece é que, para compreender a proposta de Mount & Blade: With Fire & Sword, é preciso ampliar seu repertório cultural. Img_normal A série pode até não ter o mesmo apelo de outros grandes nomes, mas ainda possui seu charme. Em seus dois títulos anteriores, a Taleworlds conseguiu desenvolver uma mecânica que mistura características de diferentes gêneros a fim de recriar uma experiência bélica digna do período retratado. Neste terceiro jogo, somos levados diretamente ao século XVII ??? o que faz com que encaremos profundas transformações políticas e militares. A ferro e fogo Como em todas as guerras, o campo de batalha é o local perfeito para que mercenários façam fama e dinheiro. Se isso ainda é comum em pleno século XXI, o que dizer de algumas centenas de anos no passado? Como a situação no Leste Europeu estava crítica e os feudos se confrontavam constantemente, era de se esperar que aventureiros aproveitassem a situação para se aliar a um ou outro grupo na tentativa de alavancar sua carreira. Seu personagem é um exemplo de guerreiro que tenta a sorte nas lutas. Enquanto as forças da República das Duas Nações e os rebeldes cossacos se enfrentam pelo domínio da região, você pilha uma aldeia aqui e se alia a um exército acolá ??? tudo para conseguir prestígio e influência. Img_normal No entanto, esse pano de fundo histórico ??? ainda que bastante confuso para aqueles que desconhecem o passado polonês ??? também tem um significado para os fãs: é a primeira vez que a série Mount & Blade aborda uma trama real. Os dois games anteriores trataram de áreas e questões fictícias, o que torna With Fire & Sword ainda mais interessante. Além disso, esta edição também introduz as armas de fogo à franquia, o que evidentemente cria uma mudança considerável na jogabilidade e na forma com que os conflitos são resolvidos. Aprovado Gêneros variados Ainda que Mount & Blade: With Fire & Sword seja catalogado como RPG, seria uma injustiça muito grande limitá-lo apenas a esse gênero. Como dito anteriormente, o game possui características de diferentes estilos, adaptando-as às suas necessidades ao longo da narrativa. O próprio role-playing game é bem representado logo de início, principalmente pelo fato de o título retornar às origens da categoria. Ainda que você não tenha de interpretar um guerreiro ucraniano do século XVII em frente ao seu computador, a imersão proporcionada é interessante e peculiar. Esqueça os padrões utilizados em Final Fantasy e volte às partidas de RPG de mesa ??? sim, aquelas com planilhas de atributos e que abusavam da imaginação dos jogadores. Sua primeira tarefa em With Fire & Blade é dar vida ao seu personagem. Junto com o nome e o visual, é preciso personalizar cada detalhe de suas habilidades. Definir a pontuação de força, agilidade, inteligência e carisma ??? assim como suas perícias ??? é algo que irá trazer boas lembranças a quem perdeu tardes com Dungeon & Dragons, além de obrigar o usuário a pensar cuidadosamente onde investir cada recurso. Outro aspecto é a própria narrativa, que lembra muito esse sistema clássico de RPGs. Mesmo que você possa caminhar livremente pelo mapa, a visita a cidades e os encontros com inimigos e NPCs são feitos de forma similar ao que os ???mestres??? fazem durante suas campanhas. Ao chegar a um vilarejo, você tem uma breve descrição do lugar e as possibilidades de ação logo abaixo. Já os confrontos misturam elementos de ação com pitadas de estratégia. Ao se deparar com uma grupo de cavaleiros ou bandidos, você é levado para a tela de diálogo e pode desde negociar (tentar cobrar passagem de uma caravana ou pagar para que ladrões não o ataquem) ou partir direto para a ignorância. Img_normal Esses conflitos são realizados em tempo real, ou seja, é você quem comanda a hora de atacar ou defender de seu guerreiro em um campo diferenciado ??? uma troca semelhante à feita na série Total War. O interessante é que, assim como em títulos como Fallout e The Elder Scrolls, você pode alternar entre primeira e terceira pessoa para que as lutas tenham a perspectiva mais agradável. Sem falar que, em alguns casos, certas armas se beneficiam com o tipo de visão, o que obriga o jogador a alternar constantemente. Há alguns pontos feitos especialmente para agradar ao público fã de gerenciamento de recursos e elaboração de táticas. Além de ser possível elaborar planos para encurralar adversários, você deve estar sempre atento aos seus homens. Isso porque seu guerreiro começa a criar um bando à medida que se torna famoso e é preciso administrar interesses, assim como estar sempre preocupado com seu nível de carisma e respeito. Img_normal Por mais que tudo pareça estar desconexo ou não fazer sentido, Mount & Blade: With Fire & Sword consegue unir essas características de modo que a combinação pareça natural e intuitiva. Mesmo com o grande número de menus necessários para dar conta de todas as variáveis, eles são simples e não chegam a confundir. Que entrem as armas Como dito anteriormente, o grande ponto de With Fire & Sword em relação a seus antecessores é a adição de pistolas às batalhas. Se até Warband era possível enfrentar tropas inimigas somente com espadas, lanças e outras armas brancas, agora você pode acabar com os russos (sim, também é possível encontrar alguns soldados da Rússia no jogo) na base do tiro. Assim como aconteceu no século XVII, quando a chegada de uma nova tecnologia bélica modificou completamente as táticas no campo de batalha, os equipamentos inéditos trazem uma jogabilidade diferenciada ao game. A primeira grande mudança é óbvia: ataques de longa distância. Com uma espingarda ou rifle, você pode derrotar o adversário antes que ele o alcance. No entanto, essa não é a única alteração. Img_normal Como havíamos dito anteriormente, Mount & Blade traz uma mecânica de atributos e habilidades semelhante à dos RPGs de mesa, o que significa que você terá de investir pontos na sua perícia com armas. Somente isso é capaz de fazer com que seus tiros se tornem mais precisos e mortais. Em compensação, outras artes deixam de ser exploradas para isso. Outro ponto é sua estratégia de sobrevivência. Cada pistola possui uma capacidade de munição, o que obriga o jogador a recarregá-la com frequência. O problema é que, dependendo da potência do equipamento, o tempo de ajuste é maior, o que faz com que você fique vulnerável por alguns segundos. Por mais que seja permitido trocar de item e voltar à espada, tudo vai depender de seu planejamento e de seu espírito guerreiro. História fragmentada Se você ficou assustado com a quantidade de informações sobre o passado do Leste Europeu citados nos primeiros parágrafos desta análise, fique tranquilo. Esses dados, ainda que presentes na trama, não são fundamentais para que seu personagem avance na história. Como dito, tudo faz parte de um pano de fundo que, embora enriqueça a experiência, não é obrigatório. Desconhecer esses detalhes não faz de Mount & Blade um jogo ruim. Img_normal Os acontecimentos de With Fire & Sword ocorrem dentro desse contexto, mas sem que o mercenário se envolva diretamente em fatos históricos. Seu herói ??? ou vilão, já que você também pode ser um vil saqueador de vilas e assaltante de caravanas ??? irá agir em meio a anúncios de que determinado feudo entrou em guerra com outro ou de que os suecos invadiram a República das Duas Nações. O desenvolver da trama acontece na forma de pequenas missões. Ao chegar a um castelo ou cidade, você pode receber algumas tarefas do senhor daquelas terras ou do líder local. Alguns favores são simples, como cobrar dívidas em outra região, enquanto outros exigem que você acabe com bandidos que aterrorizam as redondezas. Isso permite que a evolução do enredo fuja completamente da incômoda linearidade, pois é possível viajar livremente pelos reinos e realizar essas atividades de acordo com sua vontade ??? mesmo que algumas tenham um prazo para serem cumpridas. Só pela diversão Ok, você não quer saber das aulas de História nem se importa com o fato de que os Tártaros da Crimeia traíram o exército de Khmelnitski. Se seu único interesse em Mount & Blade: With Fire & Sword são as batalhas, saiba que existe um modo voltado apenas para isso. O Custom Battle permite que você crie qualquer tipo de confronto. ?? possível selecionar sua nacionalidade, o número de soldados e a proporção de cada pelotão. A liberdade é tanta que há até mesmo como escolher o estilo de seu personagem, que pode ser desde um mosqueteiro a um cavaleiro de armadura. Img_normal O modo online é parecido, com a diferença de que outros jogadores assumem o papel dos bots, tornando os embates mais dinâmicos e variados. Além disso, seu guerreiro utilizará equipamentos e habilidades próprios, obrigando o usuário a evoluir e a ganhar itens mais resistentes e poderosos para sobreviver por mais tempo. Reprovado O jogo mais feio da cidade Não é exagero: With Fire & Sword é um dos jogos mais feios da atual geração. Ele usa o mesmo motor gráfico de Mount & Blade: Warband, que já era ultrapassado quando chegou às lojas em 2010, o que apenas indica o quão simples é a aparência final. O resultado, infelizmente, é uma agressão aos nossos olhos. A modelagem dos personagens é pobre, abusando de formatos poligonais e de movimentos desengonçados. Isso é perceptível logo de início, principalmente na hora de criarmos nosso guerreiro. Além das opções incrivelmente limitadas, tudo é muito feio e engessado. Se você é alguém que tem preconceito a gráficos ruins, certamente este não é o seu jogo. Img_normal Outro aspecto visual que atrapalha são os diálogos. Ao entrar em uma conversa com algum NPC, você é levado para outra tela, criando uma quebra de ritmo incômoda. Para completar, as ???dificuldades??? de enquadramento nessa interface são comuns, o que faz com que a seriedade das falas seja completamente ofuscada pela bizarrice da cena. Algumas dessas falhas são tão sem sentido que você fica sem entender o porquê de elas terem acontecido. Por ser um título graficamente fraco, é de se estranhar o fato de que problemas existentes em grandes produções estejam presentes. Exemplo disso é o pop in encontrado a cada troca de cena. ?? possível ver vários elementos sendo carregados simultaneamente ao mudar o cenário ou quando certo personagem entra em destaque. Totalmente injusto As batalhas de Mount & Blade: With Fire & Sword são bem divertidas, mas isso não quer dizer que elas sejam simples. Isso porque, desde o início, você precisa enfrentar a injustiça de estar sempre em desvantagem. Img_normal Como dito anteriormente, você pode convocar soldados para seu bando e formar um pequeno exército. O problema é que você não começa com moral suficiente para isso, o que o obriga a derrotar, sozinho, grupos com até 12 pessoas. Até você dominar a arte do ataque e defesa contra dezenas de inimigos simultâneos, prepare-se para apanhar muito. Como se não bastasse, você nunca morre. Ao ser derrotado, seu personagem é feito prisioneiro e é carregado pelo mapa até conseguir escapar ??? o que significa que seus sequestradores sempre irão roubar algo seu. Começa com seu dinheiro, mas logo evolui para suas roupas, seus equipamentos e até seu cavalo. Isso até seria algo divertido ??? afinal é algo pouco visto nos games ???, mas torna-se um sério problema quando você começa a perder consecutivamente (algo bem comum, diga-se de passagem), pois atrapalha a evolução. Para iniciantes, não há nada mais frustrante do que apanhar de um grande grupo e ainda ficar sem seus preciosos itens. Vale a pena? Realmente é difícil dizer se vale a pena ou não conferir Mount & Blade: With Fire & Sword. Ele tem um estilo diferenciado em relação a outros jogos de guerra, principalmente por oferecer uma experiência com características de vários gêneros. O pano de fundo histórico é ainda mais interessante e faz com que você realmente queira avançar mais e mais. Img_normal Por outro lado, o jogo peca em algo fundamental. Mais do que trazer gráficos precários, o grande erro da Taleworlds é oferecer uma dificuldade demasiadamente elevada para novatos. Mesmo com a adição de armas de fogo, não é fácil enfrentar vários inimigos ao mesmo tempo. Por ser algo comum, fica muito fácil ser derrotado diversas vezes logo de início, o que atrapalha seu crescimento na trama e desanima qualquer jogador. Desse modo, Mount & Blade: With Fire & Sword se mostra muito mais como um jogo voltado para quem experimentou e se empolgou com os títulos anteriores do que para quem ainda não conhece a série. ?? claro que isso não impede que novas pessoas se aventurem nas guerras polonesas, mas é nítido que o estúdio preferiu manter o público certo a investir em algo que torne o game atraente para mais gente. ?? uma pena, pois o enredo e a jogabilidade tinham um grande potencial, que foi desperdiçado por problemas tão simples.
Fonte: Tecmundo Games
Kroco Mazo
Enviado por Kroco Mazo
Membro desde
26 anos, Santo ??ngelo
label