.

Processadores AMD Zen 2 terão IPC 29% maior que os da primeira geração

Enviado por PKsP-JuBiLeu, , 1278 visualizações, 0 comentários
[img]hide:aHR0cHM6Ly93d3cuZ3VydTNkLmNvbS9pbmRleC5waHA/Y3Q9bmV3cyZhY3Rpb249ZmlsZSZpZD0zMDAwMw==[/img]
A AMD divulgou, durante reunião com investidores realizada em seu evento corporativo Next Horizon, o seu guia de desempenho de IPC (instruções por ciclo) para a sua próxima microarquitetura "Zen 2", e os números são impressionantes! A arquitetura de CPUs de última geração fornece um aumento incrível de 29% no IPC sobre a arquitetura "Zen" original.

Embora não tenha sido desenvolvida para o segmento corporativo, a arquitetura "Zen +" intermediária ofereceu cerca de 3 a 5% de aumento do IPC sobre o "Zen" graças a caches on-die (cache L1) mais rápidos, responsáveis por menores latências, e ao aprimoramento dos algoritmos do Precision Boost. Os processadores da microarquitetura "Zen 2" serão produzidos a partir dum processo de fabricação de 7 nm, ao passo que os CPUs de primeira geração possuem uma litografia de 14 nm, e os "Zen+", de 12 nm.

Segundo a Expreview, a AMD realizou o teste DERN + RSA para unidades inteiras e de ponto flutuante, para chegar a um índice de desempenho de 4,53, comparado a 3,5 da primeira geração do Zen, que corresponde ao aumento de 29,4% de IPC (pouco intercambiável com desempenho de núcleo único). O "Zen 2" vai além do "Zen +", com seus designers voltando sua atenção para componentes críticos que contribuem significativamente para o IPC - o front-end do núcleo e o FPU (Number-Crunching Machinery). Acredita-se que o front-end dos núcleos "Zen" e "Zen +" sejam refinamentos das arquiteturas da geração anterior, como "Excavator". O Zen 2 recebe um novo front-end otimizado para distribuir e coletar cargas de trabalho entre os vários componentes do núcleo. A unidade central processadora de números é reforçada por FPUs de 256 bits e por pipelines e janelas de execução geralmente mais amplas. Estes se combinam produzindo o aumento do IPC observado. O "Zen 2" terá seu primeiro lançamento comercial com os processadores corporativos de 64 núcleos EPYC "Rome" de segunda geração da AMD.

[img]hide:aHR0cHM6Ly93d3cudGVjaHBvd2VydXAuY29tL2ltZy9BUm9Sb0d3Um1HOVRhSjJYLmpwZw==[/img]


[img]hide:aHR0cHM6Ly93d3cudGVjaHBvd2VydXAuY29tL2ltZy81WDVNcXROV2dxT2tIZnBYLmpwZw==[/img]

Atualização de 14 de novembro: A AMD emitiu a seguinte declaração a respeito dessas alegações.


Como demonstramos em nosso evento Next Horizon na semana passada, nosso processador para servidores AMD EPYC de próxima geração baseado no novo núcleo 'Zen 2' oferece melhorias significativas de desempenho como resultado dos avanços arquitetônicos e da tecnologia de processo de 7nm. Alguns meios de comunicação interpretaram um comentário 'Zen 2' nas notas de rodapé do comunicado à imprensa referente ao aumento de IPC como uma informação definitiva concernente às especificações técnicas da microarquitetura. Os dados na nota de rodapé representaram a melhoria de desempenho em um microbenchmark para uma carga de trabalho específica de serviços financeiros que se beneficia de melhorias de desempenho de ponto flutuante e inteiro e não pretende quantificar o aumento de IPC que um usuário deve esperar de uma ampla gama de aplicações. Forneceremos detalhes adicionais sobre as melhorias de IPC do "Zen 2" e, mais importante, como a combinação de nossa arquitetura de última geração com a avançada tecnologia de fabricação de 7nm oferece mais desempenho por soquete, quando o lançamento do produto.
PKsP-JuBiLeu
Enviado por PKsP-JuBiLeu
Membro desde
label