Bob Iger vendeu 50% de suas ações na Disney por $99 milhões

Bob Iger vendeu 50% de suas ações na Disney por $99 milhões

Ele sairá da empresa no fim do ano deixando um legado de compras como a da Pixar, Marvel, Lucasfilm e 21st Century Fox
#Cinema Publicado por Alves_GV, em

De acordo com a Bloomberg, Bob Iger vendeu 550.000 ações no valor de $ 98,7 milhões. Ele ainda tem 555.000 ações à sua disposição. De acordo com a empresa, o valor das ações que Iger vendeu reflete o valor que a Disney ganhou durante sua gestão.

Bob Iger dirige a Disney desde 2005 e entregou seu cargo a Bob Chapek em fevereiro de 2020 . No entanto, devido à pandemia, ele na verdade permaneceu como líder para ajudar a empresa durante a crise.

Iger atualmente é presidente executivo da Disney, mas no final de 2021 ele deixará a empresa, o que fará no futuro ainda é desconhecido.

Abaixo você conhece um pouco mais do CEO que foi o principal responsáveis por trazer a Disney até o patamar de hoje.

Tudo começou graças à visão ruim de seu tio

A carreira de Bob Iger começou em 1974, quando ele conseguiu um emprego como supervisor de estúdio na ABC (que futuramente seria comprada pela Disney), um dos cargos mais baixos da emissora.

Ele diz que deve isso ao seu tio Bob, que precisou passar alguns dias em um hospital em Manhattan após uma cirurgia oftálmica. O colega de quarto do tio era um executivo de baixo escalão da ABC, que lhe deu seu número de telefone ao saber que o sobrinho do parceiro de hospital procurava um emprego na TV. Bob Iger ligou e sua vida nunca mais foi a mesma.

Aquisições

Como CEO da Disney, Iger foi responsável por negócios como a compra da Pixar, Marvel, Lucasfilm e 21st Century Fox.

A estreia de Pantera Negra foi um dos momentos mais memoráveis de sua carreira

Quando Bob Iger descobriu que o escritor Ta-Nehisi Coates (autor de A dança da água) estava escrevendo uma história em quadrinhos do Pantera Negra para a Disney, o CEO ficou encantando e logo colocou o personagem na lista mental de projetos da Marvel que precisavam ser realizados.

Muitos céticos achavam que um filme de super-herói protagonizado por um homem negro não se sairia bem nas bilheterias, mas Iger pediu que parassem de criar obstáculos e colocassem o filme, assim como Capitã Marvel, em produção.

Seu relacionamento com Steve Jobs foi muito importante para a empresa

A aquisição da Pixar – que antes pertencia a Steve Jobs – pela Disney foi parte da estratégia de Bob Iger para revitalizar a Disney Animation e aumentar o conteúdo de marca da empresa. Depois disso, Jobs e Iger se aproximaram e o fundador da Apple, além de se tornar membro do conselho da Disney, virou seu maior acionista.

Em Onde os sonhos acontecem, Bob Iger relata diversos momentos marcantes entre os dois. Muitas vezes eles divergiam, especialmente porque, de acordo com Iger, Steve “criava coisas da mais alta qualidade, não necessariamente acessíveis a todos”.

Em um determinado episódio curioso e engraçado, Jobs levou o filho para assistir a Homem de Ferro 2 em sua estreia. No dia seguinte, ligou para o CEO da Disney e falou: “É péssimo.” Iger apenas respondeu: “Bem, obrigado. Rendeu uns 75 milhões de dólares. […] Não desprezo suas críticas, Steve, mas é um sucesso, e você não é o público.”

As negociações para a aquisição da Lucasfilm foram muito difíceis

Poucas pessoas no ramo do cinema são tão respeitadas quanto George Lucas, o criador e diretor por trás de Star Wars. Quando começaram as negociações sobre a compra da Lucasfilm pela Disney, um impasse muito delicado logo surgiu: Star Wars sempre fora só de George Lucas e ele queria manter esse controle sem se tornar um funcionário da Disney.

Para Bob Iger esse momento marcou um exercício muito grande de equilíbrio entre o seu respeito pelo que George Lucas fizera e a responsabilidade que ele tinha como CEO da empresa. Afinal, ele podia simpatizar com George, mas não podia dar o que ele queria.

Fonte 01: DTF.ru

Fonte 02: Intrinseca.com.br

Alves_GV
Alves_GV

Usuário do Site, Minas das Gerais Uai