.

Pais de suicida processam empresa de game na China

Enviado por eneas, , 9 visualizações, 0 comentários
Os pais de um garoto de 13 anos que se matou depois de passar 36 horas entretido com um videogame estão processando o distribuidor licenciado do jogo na China. Eles exigem uma indenização de 100 mil iuans (US$12,5 mil, equivalente a cerca de R$ 26 mil). A informação está na edição de hoje do jornal Beijing Times. Em 2004, Zhang Xiaoyi pulou de uma janela do seu apartamento, que fica no 24º andar, depois de jogar Warcraft em um cibercafé. Seus pais disseram em um documento legal que o fracasso da empresa China Cyber Port Co. Ltd. em advertir claramente sobre os "perigos" inerentes do Warcraft - um jogo produzido pela empresa norte-americana Blizzard Entertainment - foi responsável pela morte de seu filho.
"Nos Estados Unidos, Warcraft tem a classificação T, que significa que ele só é adequado para crianças com mais de 13 anos... mas nós não sabíamos disso", disseram os pais do garoto. Os pais disseram que a empresa sabia claramente que o conteúdo "violento" e "sangrento" de Warcraft era inadequado para menores. Eles deveriam ter avisado as pessoas sobre os riscos de vício e "tomado medidas para prevenir os jogadores do uso demasiado".
Além de buscarem indenização, os pais exigiram que as embalagens e materiais para todos os jogos Warcraft distribuídos na China descrevam o "nível de violência" do jogo e tragam advertências de saúde claras.
Jogos de computador e para Internet viraram febre na China nos últimos anos, com uma estimativa de 13,8 milhões de usuários. Entre preocupações crescentes de que mais e mais jovens estejam se tornando viciados, a China criou uma série de normas para controlar o jogo excessivo em cibercafés e multar pesadamente os proprietários que permitirem o ingresso de menores de idade.

Fonte: Terra
eneas
Enviado por eneas
Membro desde
36 anos, Curitiba
label