.

Mario Superstar Baseball

Enviado por YuriVicio, , 3 visualizações, 0 comentários
Primeiro foi o kart. Depois, Mario não parou mais: o mascote da Nintendo já se arriscou pelo golfe, tênis e se prepara para a investida futebolística em "Super Mario Strikers". Ã mesmo uma turma com vocação esportiva invejável e, diante disso, o beisebol, jogo muito apreciado pelos norte-americanos, não poderia ficar de fora da mania.

"Mario Superstar Baseball" leva não somente Mario, mas Luigi, Donkey Kong, Wario, Bowser e vários outros integrantes da série para os campos de uma modalidade esportiva que não é lá muito apreciada no Brasil - embora um jogo de rua chamado "bets" (ou "taco") seja bastante popular por estas bandas e guarde certas semelhanças com o beisebol.

Chame o Mario pra descontrair

O segredo é não levar as coisas muito a sério. Na base da descontração e do humor, Mario torna o beisebol divertido até mesmo para aqueles que nunca gostaram do esporte. Não conhecer as regras também não é desculpa, uma vez "Mario Star Baseball" ignora ou simplifica várias delas em nome da jogabilidade "light". Aliás, o game até auxilia no aprendizado da dinâmica da modalidade.

Basicamente, é preciso desempenhar quatro atividades: com o taco nas mãos, tentar rebater a bola; correr pelas quatro bases; arremessar a bola tentando evitar o rebatedor; e apanhá-la quando rebatida pelo adversário. Dominando essas ações, que não têm lá muitas variáveis, você se tornará expert em beisebol - ao menos em "Mario Star Baseball".

à óbvio que, em se tratando do encanador bigodudo e de sua turma, é possível utilizar alguns "recursos especiais" para tirar vantagem do adversário. Tanto no arremesso quanto na rebatida, por exemplo, cada personagem possui um movimento especial que aumenta ainda mais a possibilidade de sucesso. Além disso, como é tradição na série, os personagens têm vocações: Mario é o mais equilibrado, enquanto Diddy Kong prima pela velocidade.

Mas é claro que se "Mario Star Baseball" se limitasse apenas às partidas, o jogo não agradaria nem fãs do esporte, tampouco os jogadores de primeira viagem. Por isso, existem modalidades extras e minigames: em "Toy Field", quatro jogadores começam com cem moedas e dividem o campo, num total de 30 turnos, revezando-se em rebatidas, arremessos etc., até que vença quem terminar com a maior pontuação; já "Minigames", como o próprio nome sugere, é um apanhado de vários passatempos misturando as maluquices da série e o esporte; por fim, em "Practice", é possível treinar os conceitos básicos do game. Naturalmente, existe o suporte para até quatro jogadores simultâneos, algo indispensável dada a enorme vocação multiplayer de "Mario Star Baseball".

Mas o principal ainda está por vir: o modo "Challenge", no qual o jogador deve montar a sua equipe e partir em uma jornada até confrontar o time de Bowser (claro!) e derrotá-lo. Até lá, no entanto, é preciso cumprir uma série de tarefas variadas, enfrentando as equipes da Princesa Cogumelo, Donkey Kong etc. Conforme os triunfos acontecem, você pode mexer no time, trocando jogadores e tudo mais.

Existem, no modo "Challenge", as "Star Missions", missões especiais nas quais cada personagem têm objetivos específicos que, atingidos, permitem melhorar as características dos mesmos.Já nas "Scout Missions", o objetivo é recrutar membros do time adversário.

à necessário, no entanto, muito cuidado na montagem da equipe, uma vez que determinados personagens possuem mais (e menos) afinidade com outros. A dupla Mario e Luigi, por exemplo, rende um bom entrosamento, mas juntar o bigodudo com o fantasminha Boo é péssima idéia.

Some tudo isso à atmosfera característica dos jogos do bigodudo, como campos ambientados no palácio de Wario ou então as indispensáveis moedinhas, servindo para dar acesso a itens especiais, além de uma série de outros elementos que criam uma identidade em comum com Mario. Isso inclui os gráficos, coloridos e animados, e os efeitos sonoros singelos, mas divertidos.

Home Run!

De uma forma ou outra, talvez "Mario Tennis" e "Mario Golf", para citar exemplos, sejam mais divertidos que "Mario Baseball", mas isso depende muito da afinidade do jogador com cada esporte. A verdade, como já foi dito no início do texto, é que em "Mario Star Baseball" regras e realismo ficam em segundo plano; o que importa mesmo é se divertir.

E se esse é o objetivo, o jogo o cumpre muito bem, sendo capaz de atrair até mesmo quem torce o nariz para o beisebol. Aliás, eis aí uma ótima chance de aprender mais sobre o esporte, de maneira descompromissada e totalmente "relax".
YuriVicio
Enviado por YuriVicio
Membro desde
label