.

Os 8 momentos mais bizarros dos games

Enviado por _Joao_Filipe_, , 261 visualizações, 0 comentários
Quando você liga o Super Mario Bros., pode esperar uma sucessão de fases progressivamente mais difíceis até chegar ao fim e em nenhum momento você vai precisar lembrar dos impostos ou lidar com enxaquecas. Mas nem todo jogo segue a mesma fórmula previsível e alguns irão ocasionalmente confundir a sua pobre mente desavisada. Aqui estão apenas algumas fases que vão deixar você – no mínimo – coçando a cabeça.

Teenage Mutant Ninja Turtles (Nintendinhho) – Fase da Água


O imensamente popular Teenage Mutant Ninja Turtles pro Nintendinho é um jogo que todas as crianças dos anos 90 jogaram e amaram… Até o final da segunda fase. Depois daí era puro ódio. Durante a fase subaquática dolorosa, você é forçado a desarmar bombas amarradas a uma represa – isso mesmo, uma fase de natação no meio de um jogo de plataformas padrão, onde inúmeros obstáculos podem causar morte rápida e você só tem cerca de dois minutos pra salvar Nova York. E o que diabos são aquelas algas rosas eletrificadas? Acho que os nova-iorquinos tiveram que aprender a nadar pro trabalho.

X-Men (Mega Drive) – Reset do Mojo


A fase do Mojo em X-Men pro Mega Drive até era tradicional, mas sua conclusão quebra todas as expectativas que você tinha sobre videogames. Depois de derrotar Mojo, o jogo mandava você "reiniciar o computador", o que parece implicar que você deve encontrar algum tipo de botão oculto que precisa acertar com algum projétil mutante… Mas não tem nenhum botão. Em vez disso, espera-se que os jogadores realmente apertem o botão de reset, só então o jogo iria pra próxima fase. E você achando que o Deadpool era o mestre em quebrar a quarta parede.

Far Cry Primal (PS4, Xbox) – Urki


Há três segmentos em Far Cry Primal que simplesmente não se encaixam na estética séria de vida ou morte das cavernas e todos envolvem um homem das cavernas estranho chamado Urki. Quando atravessar a terra de Oros, resgatando seus amigos pré-históricos e assassinando tribos rivais com lobos treinados, você encontra um verdadeiro caipira das cavernas. Mesmo que todos os diálogos do jogo sejam falados num dialeto primitivo imaginário, Urki tem um sotaque sulista inconfundível e as palhaçadas ridículas pra acompanhar o estereótipo. É completamente incongruente e absolutamente hilariante.

Kid Icarus: Uprising (Nintendo 3DS) – Chaos Vortex


O legado de Kid Icarus foi honrado em Uprising, exclusivo pro Nintendo 3DS. É um jogo de tiro em terceira pessoa bastante normal, com alternância entre fases aéreas e terrestres e muito vagamente baseado na mitologia grega. Mas o nível Vortex Chaos descarta o tema grego pra uma loucura total. Gigantes mãos sombrias chegam pela tela, globos oculares humanos piscam no espaço vazio atrapalhando a visão do jogador e enormes palavras preenchem a tela sem motivo aparente. Se você passar por isso, as coisas vão voltar ao normal, mas é provavelmente a coisa mais próxima de uma viagem de ácido que a Nintendo já ofereceu.

Metroid (Nintendo) – Escapar do Planeta


Metroid é um dos primeiros jogos de mundo aberto, permitindo a livre exploração em todas as direções, desde que você tenha o equipamento certo pra explodir certas portas. Você explora mapas e atira em alienígenas no seu próprio ritmo, até que você derrota Mother Brain e o planeta começa a explodir. De repente, o jogo se transforma numa corrida frenética e inesperada contra o relógio enquanto você sobe as menores plataformas de todo o jogo. Seu prêmio, se sobreviver ao estresse e ao ataque cardíaco? Uma pequena imagem pixelada de uma menina de biquíni. Obrigado?

Earthworm Jim 2 (Super Nintendo e Mega Drive) – The Villi People


Cada fase em Earthworm Jim 2 é muito estranha e nenhum deles parece seguir qualquer tipo de tema, entre escoltar bombas através das paisagens isométricas, resolver quebra-cabeças cronometrados pra salvar filhotes ou uma série de plataformas 2D básicas. Mas a fase mais estranha é "The Villi People". Inexplicavelmente, Jim está vestido como um lagarto albino cego, nadando através dos intestinos de alguma enorme criatura, evitando pinballs e ovelhas. No final da fase, você enfrenta um concurso de perguntas com respostas sem sentido e depois um jogo de memorizar cores. Tudo é o caos mais estranho que a mente humana pode conceber – como se todo o jogo já não fosse chá de cogumelo o suficiente.

Star Fox (Super Nintendo) – Out of This Dimension


Se seguir a sequência correta de portais em Star Fox, você vai ser arremessado dentro de uma dimensão da morte certa, o que é mais divertido do que parece. É preciso "timing" perfeito e controles cuidadosos, mas enquanto pilota seu Arwing na área conhecida apenas como "Out of This Dimension", você enfrentará uma horda interminável de aviões de papel, uma máquina de caça-níquel inteligente e, eventualmente, e as palavras "The End", em que você atira infinitamente – ou até desligar o videogame. Não há escapatória, o sistema Lylat está condenado… Mas pelo menos você viu algumas luas sorridentes insanas antes de ficar sem oxigênio ou morrer de fome, o que quer que venha primeiro.

The Legend of Zelda: Máscara de Majora – A Lua


Como se a Lua ameaçando destruir o mundo em Majora's Mask já não fosse assustador e estranho o suficiente, a fase final do jogo faz Link voar através da boca aberta da Lua e entrar numa fase final surrealista. Como um videoclipe musical dos anos 90, há uma única árvore no topo de uma colina em um campo nebuloso e crianças assustadoras correndo ao redor da base pedindo máscaras. Se isso não é estranho o suficiente, Link também adquire uma máscara que, essencialmente, o transforma em um deus… Mas apenas pra batalha final. Enviar Link pro espaço não é realmente um dia típico num jogo The Legend of Zelda – o que torna Majora's Mask ainda mais único.
_Joao_Filipe_
Enviado por _Joao_Filipe_
Membro desde
23 anos, Middle-earth
label