.

Final Fantasy VII está estabelecendo um novo padrão de qualidade para os remakes

Enviado por VSDias55, , 0 comentários
Clique para ver a imagem em tamanho original

A Gamescom está sendo novamente um show incrível para nós, e teremos muito conteúdo bom saindo nas próximas semanas, mas um dos maiores destaques foi Final Fantasy VII Remake. Foi muito divertido ver a história se desenrolar em uma nova e gloriosa engine, explorando esse mundo expandido e vendo todos os novos detalhes, além de controlar o Cloud e Barret usando o novo sistema de combate.

A demo que joguei me colocou contra o lendário Guard Scorpion, normalmente considerado o primeiro chefe de Final Fantasy 7. Você achava que ele era difícil antes? Essa criatura ficou mais durona ainda. Com mísseis rodopiando ao redor do reator, ataques que quebram o chão e pulsos eletrônicos que devoram sua vida, você não vai conseguir ficar parado disparando balas esperando que o chefe simplesmente morra e desapareça.

O combate está muito mais dinâmico no Remake. Você precisará desviar dos ataques da criatura, trocar entre os dois personagens para alternar seus ataques para que possa atordoá-la, e se defender na hora certa. Com o tempo, você irá encher seu medidor ATB enquanto ataca, e eventualmente poderá utilizar o infame Limit Break, o ataque especial dos personagens em FF7. Sim, o Big Shot está absolutamente incrível no jogo!

Clique para ver a imagem em tamanho original

E aqui é onde o Barret realmente brilha. Sim, você pode continuar pressionando quadrado para retalhar com a espada do Cloud, mas ao utilizar o Barret, você pode pulverizar seus inimigos à longa distância usando uma metralhadora com pente ilimitado. Seu braço em formato de arma faz buracos em qualquer coisa que se mova. É simples, mas muito satisfatório. Para equilibrar isso, se um inimigo te acertar, ele irá atordoar Barret, o que significa que ele irá parar de atirar por um tempo. Barret parece mais pesado, com seus rolamentos muito mais lentos. Se o Guard Scorpion mirar nele ou houver um ataque nas proximidades, ele provavelmente será acertado. Considerando que Cloud pode ser capaz de desviar com mais agilidade, isso dá uma ideia de quão importante será o posicionamento no Remake.

Este ponto em particular me deixa bem animado, pois me faz pensar em como será jogar com os outros personagens. Quais pontos fortes e fracos cada um terá e como todos eles contribuem para um balanceamento geral. Os ataques físicos de Tifa, por exemplo, significam que ela terá que ficar mais próxima dos adversários. Mas e quando os inimigos usam armas contra ela? Aerith é da classe de cura, como isso funcionará em um cenário mais dinâmico quando os inimigos estiverem por todos os lados? E fico arrepiado só de pensar no Red XIII correndo pelas fases.

Este Remake permitirá novas ideias criativas para alguns personagens, os usando de formas novas e interessantes. Eu acho que Barret é certamente um deles. Sua dublagem, tiroteio, expressões faciais e ações em combate são muito importantes para separá-lo do personagem com o qual crescemos, ao mesmo tempo em que mantêm as características e os traços que conhecemos e amamos. E isso resume o Remake em poucas palavras. Ele parece familiar, mas é muito diferente, e pessoalmente, acho que funciona perfeitamente para introduzir um novo público ao jogo, mantendo um nível de autenticidade com o original, agradando aqueles que amaram o original de 97.

Clique para ver a imagem em tamanho original

Mas nem tudo é novo em folha, pois ainda existe um modo tático no jogo que presta homenagem ao combate em turno do jogo original. Aqui você pode parar o tempo para realizar movimentos como o Braver de Cloud e os ataques de vários disparos do Barret, além de ter tempo para tomar uma poção, se necessário.

A Square está trabalhando nesse título como se fosse o próximo jogo principal da série Final Fantasy. Depois de jogarmos apenas meia hora, isso já ficou claro. Sim, a história é a mesma e os pontos do enredo provavelmente permanecerão os mesmos, mas com o poder da captura de movimento e novas animações, com novo conteúdo opcional e uma narrativa contextual adicional, isso é mais do que apenas uma versão estendida.

E quanto aos gráficos e jogabilidade, ele já me conquistou. Eu adoro ver Jessie tendo um papel mais proeminente na história, servindo como uma mediadora entre Cloud e Barret. A disputa lendária entre os dois também está melhor do que nunca, com as piadinhas do Cloud e os monólogos de Barret. A ideia de ter logos da Shinra em caixas e cartazes que você precisa rasgar e destruir é um objetivo secundário lógico que acrescenta ao jogo e faz sentido no universo.

Sinceramente, Final Fantasy VII Remake é maravilhoso. Ele ainda tem as mesmas cenas famosas, diálogos clássicos e momentos cruciais que definiram o original, mas está estabelecendo um novo padrão de qualidade de como os remakes podem e devem ser tratados.
VSDias55
Enviado por VSDias55
Membro desde
26 anos, Florianópolis
label