.

Winning Eleven com narração do Galvão Bueno

Enviado por Junior Xtreme, , 22100 visualizações, 0 comentários
Se você achava que, com o fim da Copa, estaria livre de ouvir a voz do Galvão Bueno, esqueça. Circula pela internet - e nas barracas de camelôs - uma versão pirata do game Winning Eleven 10 com narração e comentários dele e sua trupe: Arnaldo Cezar Coelho, Falcão e Casagrande.

Tosco e bem-humorado (tem até o som da propaganda das sandálias Havaianas), o jogo logo caiu nas graças do público. Ã difícil não rir ao ouvir no videogame os bordões: "Haaaja coração!"; "Esse jogo é teste para cardíaco!" e "A regra é clara."

Para PlayStation 2 , a versão é toda em português, o que também ajudou em seu sucesso. Como WE 10 só foi lançado oficialmente no Japão, os fãs brasileiros da série tinham que se virar em decifrar o jogo em japonês.

Assim, algum espertinho editou as legendas e aproveitou para colocar no lugar dos narradores orientais os comentários disparados em algum jogo transmitido pela TV Globo. "Ficou bem melhor, antes não dava para entender nada", diz Marcos Madrax, que jogou a versão na casa de amigos.

Se a partida está dura, Galvão dispara: "Não tem acerto não, amigo, é lá e cá." O jogador é craque? "Ele pode desequilibrar, tem habilidade técnica e visão de jogo", opina Casagrande. E, caso o juiz não dê cartão amarelo em alguma infração, Arnaldo detona: "Ã nessas horas que o árbitro tinha que ser mais enérgico!"

Procurados pela reportagem, a assessoria da Rede Globo e o narrador preferiram não se manifestar, dizendo não terem conhecimento do game.

Limitações

A gravação é bem amadora, e bastam cinco jogos para perceber que o vocabulário é limitado. A cada dez jogadas sai um "Globo, a gente se vê por aqui". "Ainda bem, porque esse Galvão virtual fala bem menos que o da TV", ri Luis Carlos Correia, fã do game (não do Galvão).

Em outros momentos, a sincronização da fala com a jogada não bate. Durante uma cobrança de lateral o narrador disparou: "Os grandalhões vêm pra área".

Também são cômicos os lances de impedimento. Toda vez, Galvão diz: "Subiuuu a bandeira do Eriberto Acosta!" - detalhe: só nos gramados virtuais mesmo para um só bandeirinha estar trabalhando nos dois lados do campo.

Ele também só fala os nomes dos atletas tupiniquins. Por exemplo: em um jogo da Itália versus a França, o antigo comentarista japonês retornará ao game, dizendo o nome de cada um dos jogadores que tocar na bola, o que fica bem estranho.

Além do Winning Eleven 10, o locutor mais odiado/amado do Brasil também está presente em outro jogo de futebol: Fifa Street 2 também com a voz do Galvão.

"Nesse o Arnaldo comenta até o tira-teima", brinca Madrax. Já Luis Carlos, acha até que daqui a pouco outros narradores serão incorporados ao mundo dos games piratas.

"Legal mesmo seria um com o Sílvio Luiz. Imagina como seria bizarro ele falando no videogame aqueles bordões engraçados dele!", prevê. Em tempo, Winning Eleven 10 é produzido pela Konami, enquanto Fifa Street 2 é da Electronic Arts.

Fonte:

[url]hide:aHR0cDovL3d3dy5lc3RhZGFvLmNvbS5ici90ZWNub2xvZ2lhL2luZm9ybWF0aWNhL25vdGljaWFzLzIwMDYvanVsLzE3LzIxNS5odG0=[/url]
Junior Xtreme
Enviado por Junior Xtreme
Membro desde
Mauá/SP
label