RPGs ocidentais, JRPGs, Action RPGs e outros estão presentes na lista
Publicado por Renatito, em .
Mais uma vez estamos reunidos para elencar os melhores jogos da geração. Hoje é a vez dos RPGs, um gênero que é mais de nicho, mas que conta com uma base de fãs apaixonada. O Role Playing Game sobreviveu ao tempo, está vivo até hoje, ao contrário dos hack n' slash que estão cada vez mais escassos. Foram muitos jogos desse tipo durante essa geração, atendendo vários gostos e várias necessidades. Esse é o momento ideal para lembrar dos melhores RPGs e fazer você conhecer alguns jogos, caso tenham passado de forma despercebida por você durante esses anos. Quem sabe essa lista não irá despertar em você a vontade de jogar alguns deles?

Os JRPGs deram uma enfraquecida na geração passada, mas na atual geração voltaram com tudo, com bons títulos sendo lançados e marcando presença nesse artigo. Os RPGs ocidentais continuam fortes, sendo a maioria da lista. Os RPGs de ação também não fizeram feio; vocês podem contar com a presença deles também. Antes de ir para lista, alguns avisos importantes:

PONTOS IMPORTANTES

  1. Com certeza vocês sentirão falta de alguns títulos. Jogos como The Witcher 3, Disco Elysium, Dragon Age Inquisition e outros não estarão aqui porque já foram citados em outras listas. Nosso intuito é citar o maior número de jogos em diferentes listas, dando espaço assim pra todo mundo. Muitos já sabem, mas é sempre bom repetir para aqueles que ainda não sabem como é a pegada desses nossos artigos especiais.
  2. O critério para os jogos selecionados é baseado em nossa opinião e experiências pessoais. É impossível agradar a todos, com isso, discorde com educação.
  3. A lista está disposta em ordem alfabética.

OS 15 MELHORES


Renatito | Bloodborne

Slide https://static.gamevicio.com/imagens_up/big/22/bloodborne-021154.jpg;;;https://static.gamevicio.com/imagens_up/big/22/bloodborne-021157.jpgDepois de fazer três jogos com a mesma pegada (Demon's Souls, Dark Souls e Dark Souls 2), a FromSoftware mostrou que pode se reinventar e criar outras possibilidades dentro do próprio estilo de RPG que ela criou, o "Souls" - agora chamado por outros de "Soulsborne". Bloodborne não é apenas um Dark Souls com temática mais sombria: ele tem identidade própria. A esquiva será a sua melhor amiga na hora do combate, pois aqui é fundamental o uso dessa habilidade, visto que praticamente não temos escudos no jogo (existem apenas 2 e servem pra quase nada). Aqui o jogador é recompensado por atacar, atacar e atacar. Esqueça as táticas defensivas que você possa ter usado nos outros jogos da desenvolvedora.

Yharnam, a cidade onde o jogo se passa, consegue ser bela e intimidador ao mesmo tempo. Diferente das ambientações medievais vistas nos primeiros jogos Souls, aqui o jogador encontrará ambientes urbanos muito parecidos com a Inglaterra da Era Vitoriana, ou seja, sai idade média e entra a idade contemporânea. Você realmente se sente naquela época, graças ao belo trabalho de arte da equipe do jogo auxiliado pelos gráficos da atual geração de consoles. Os bosses são muito marcantes neste jogo, estão no mesmo nível ou até em um grau superior aos outros jogos da From. Espere muito sangue, criaturas bizarras e um mundo sombrio. Bloodborne é um jogo obrigatório para os fãs dos jogos Souls.



Vini | Dark Souls III

Slide https://static.gamevicio.com/imagens_up/big/22/darksouls3-021156.png;;;https://static.gamevicio.com/imagens_up/big/22/darksouls3-021158.jpgVocê está preparado para morrer? Essa famosa série da From Software estreou com tudo na nova geração. O último jogo da franquia Dark Souls pode não ter revolucionado a fórmula, mas cumpriu seu papel de forma perfeita como desfecho da trilogia. Embora traga diversas melhorias para a franquia, os fãs da série vão se sentir em casa.

O combate está mais refinado do que nunca, implementando muitas das coisas que a desenvolvedora aprendeu com o passar dos anos, incluindo inspirações em Bloodborne. O gameplay está mais variado e com um estilo único, mas sem perder a sua essência. A variedade de chefes e cenários está na medida certa nesse jogo. Também há muito fanservice para os fãs de longa data, que com certeza irão se emocionar em certas partes do jogo.



Billy | Deus Ex: Mankind Divided

Slide https://static.gamevicio.com/imagens_up/big/22/deusex-021159.jpg;;;https://static.gamevicio.com/imagens_up/big/22/deusex-021160.jpgSegundo jogo da trilogia criada pela Eidos Montréal, Mankind Divided é uma sequência direta dos acontecimentos de Human Revolution, lançado em 2011, onde o novo protagonista da franquia Deus Ex é o Adam Jensen. Com essa sequência, a empresa não quis revolucionar ou implementar algo completamente diferente do jogo anterior, mas sim aperfeiçoar o que deu errado, e refinar o que funcionou.

Isso não é algo ruim, na verdade, é excelente, e trouxe um ar muito familiar a fórmula nova para a franquia, solidificando-a com a visão própria que a Eidos queria trazer ao jogo. Sua trama se decorre ao longo do ano de 2029, com Adam na busca de saber o que houve em sua missão em Dubai, dois anos depois do jogo anterior.

No ano onde o jogo se passa, a Biotecnologia já avançou ainda mais do que em Human Revolution, tornando humanos "aperfeiçoados" em algo natural de se encontrar no dia-a-dia, porém, após um caso de Hackeamento nas unidades corporais metálicas, fizeram com que estes seres aperfeiçoados perdessem seu senso de empatia ou remorso, ficando agressivos, e até matando outras pessoas, sejam eles seus parentes ou não.

Quanto a jogabilidade, assim como os outros jogos da série, Deus Ex é um FPP RPG (First Person Perspective - Role Playing Game) de Tiro, focado no estilo de jogo Stealth em Mundo Aberto. Você terá uma série de equipamentos para usar em combate contra seus adversários, sejam elas Armas de Fogo, Armas Letais e Armas Corpo a Corpo, como rifles, escopetas, lâminas, facas, granadas, e claro, como Adam é um aprimorado, ele também contém poderes especiais, como Invisibilidade, Raio Gama, Detector de Sons, Pulo Duplo, Resistência Bônus, e etc.

Você terá uma grande árvore de habilidades com aprimoramentos e outras medidas que poderá moldar ao seu gosto, além de um inventário que usará para guardar itens, montar quebra-cabeças, coletar kits médicos, além de demais opções. Como um jogo completo, Deus Ex: Mankind Divided é uma evolução em termos narrativos e de jogabilidade, mas peca no fator de duração e conteúdo, pois sofre de um excesso de DLC's, Expansões, Conteúdos presos á Jogos Mobile, como o Deus Ex GO, e Micro-Transações.

É uma sólida experiência se você estiver disposto a comprar a edição completa (com promoção) onde incluirá o jogo, seus conteúdos, além do jogo mobile, para ter a definitiva experiência que é necessária a ele, mas garanto que é um jogo refinado que trará grandes horas de diversão e imersão. Detalhe, apesar de hoje estar melhor, a versão de PC do jogo é conhecida por ser uma das mais pesadas e mal-otimizadas para o sistema, por isso é recomendado ter especificações parrudas para aguentar o jogo.



Billy | Diablo III

Slide https://static.gamevicio.com/imagens_up/big/22/diablo3-021161.jpg;;;https://static.gamevicio.com/imagens_up/big/22/diablo3-021162.jpgApós muitos anos de espera, Diablo III, a tão aguardada sequência do clássico Diablo II, foi lançada em 2012 ao PC, e em 2013 chegou aos consoles de última geração da época, sendo considerado pela Blizzard como a 'The Next-Gen of Diablo Series.' Desta vez, o jogo não foi desenvolvido pela Blizzard North, que foi fechada em 2005, mas sim pela Blizzard San Francisco.

Em termos técnicos, Diablo III traz uma jogabilidade muito rápida e fluída, além de divertida, seja para os jogadores experientes com a franquia, ou novatos que estão chegando nela agora. Como se trata de um ARPG em visão Assimétrica, o jogo possui suas limitações quanto a termos de animações e gráficos foto-realistas, mas isso nunca foi o foco da franquia Diablo.

Seu enredo se passa em Sanctuary, o mundo sombrio fantasioso da série Diablo, vinte anos após os eventos de Diablo II. Deckard Cain e Leah estão na Catedral de Tristram (a mesma catedral que foi o cenário de Diablo I), investigando textos antigos sobre uma profecia sinistra. Uma estrela misteriosa caindo do céu atinge a Catedral, criando uma cratera profunda na qual Deckard Cain desaparece, e daí, tudo se decorre.

Como citado pelo diretor de Diablo III, Jay Wilson, a Blizzard San Francisco tinha em mente tornar a franquia mais acessível aos jogadores casuais, almejando ampliar o leque de público alvo que Diablo III poderia atingir, e para isso, seus sistemas de progressão e dificuldade foram radicalmente facilitados, tornando a experiência para muitos, num jogo fácil.

Apesar dessa falha, o jogo possuí uma grande quantidade de conteúdo e garantirá muitas horas de aventura, e sua trama, apesar de estar levemente mais "amigável" e menos sanguinária e pesada, consegue ser forte o suficiente para prender o jogador naquele mundo sombrio na qual Diablo III vive, e claro, não posso me esquecer, sua DLC/Expansão, Reaper of Soul, melhora ainda mais as falhas do jogo original.



Vini | Divinity: Original Sin 2

Slide https://static.gamevicio.com/imagens_up/big/22/divinityoriginalsin2-021164.jpg;;;https://static.gamevicio.com/imagens_up/big/22/divinityoriginalsin2-021163.jpgSe tratando de RPG em seu sentido literal, Divinity: Original Sin 2 é um dos melhores que você encontrará no mercado. No primeiro jogo a Larian Studios já havia provado que entendia do gênero, mas nessa sequência o estúdio conseguiu se superar. O jogo apresenta uma quantidade enorme de conteúdo, dando muita liberdade para o jogador criar e desenvolver seu personagem, desde traços pequenos de personalidade até builds complexas de habilidades.

Seu combate em turno força o jogador a usar a cabeça, tendo que se preparar antes e criar estratégias em tempo real. A preparação é a chave do sucesso aqui. E o melhor de tudo, você pode aproveitar a campanha jogo toda em coop, além de um modo Game Master, onde você pode criar sua própria história como em um RPG de mesa.



Dreadnaught | Fallout 4

Slide https://static.gamevicio.com/imagens_up/big/22/fallout4-021165.jpg;;;https://static.gamevicio.com/imagens_up/big/22/fallout4-021166.jpgO Fallout 4 é um jogo na qual você lhe estimula a ter uma relação pessoal com o mesmo, bom, essa é a ideia padrão da Bethesda quando se trata de jogos RPG (Role Play Game). Por experiência, tive bons momentos com o jogo, sempre fui um jogador aventureiro, aproveitando ao máximo o que a franquia possa oferecer e entreter. Talvez seja justo falar que o Fallout 4 é um Skyrim com armas (pelo fato das ambas usarem a mesma engine por muitos anos), consegue ter o seu charme e uma atração original, dando mais liberdade ao jogador fazer suas escolhas que darão um resultado final ao jogo e também atitudes e estratégias durante sua gameplay, porém, essa liberdade tem um pequeno obstáculo, só quando o Preston Garvey pede para tu ficar de babá com os Settlements que ele marca em seu Pip-Boy.

O jogo tem uma gameplay relativamente simples, com vários perks, que em partes, são desnecessárias para o uso, personagens carismáticos e marcantes para a franquia e inúmeras horas de diversão. Infelizmente as suas expansões são bem fracas, oferecendo poucas horas de conteúdo cobrando a um preço bem elevado sobre o jogo base. Só que, como eu sou um tipo de jogador que não tem problema nenhum em alterar levemente a jogabilidade do jogo, eu usei muitos mods, uma metade em cosméticos e a outra metade com adição de armas e mecânicas do mesmo, dessa forma, dá uma adição absurda de conteúdo e mais formas de se jogar. Graças a isso, o Fallout 4 (também como Skyrim) são sempre jogados inúmeras vezes com os conteúdos criados pela comunidade que estendem a vida útil do jogo para todo o sempre!



Dreadnaught | Monster Hunter: World

Slide https://static.gamevicio.com/imagens_up/big/22/monsterhunterworld-021168.jpg;;;https://static.gamevicio.com/imagens_up/big/22/monsterhunterworld-021167.jpgMonster Hunter World foi uma das maiores surpresas da Capcom, depois de sua maré de azar em jogos que não estavam fazendo muito sucesso, dessa vez acertando em cheio em focar no RPG da franquia mais recente de Monster Hunter. Dessa forma, o jogo possui uma pegada de Hack ‘n’ Slash e Souls Like, uma mistura de ambos que foi super bem-vinda ao jogo, oferecendo uma ótima pitada de ação, aventura e exploração ao Novo Mundo onde se passa a história da franquia. Da mesma forma, você tem a livre customização de seu personagem, como também suas estratégias em jogatina, possuindo inúmeras formas em enfrentar répteis gigantes e criaturas temidas que dominam aquela região, ajudando cientistas em suas expedições para estudar os seres vivos colossais que ali habitam.

De gosto pessoal, eu vou sempre apreciar a forma de customização de seus personagens, fazendo com que jogador crie um vínculo com o mesmo. O jogo é relativamente grande, aparentando não ser muito amigável para jogadores novos, na qual são bombardeadas com muitas informações, dando uma confusão sobre por onde começar, é comum até, mas meio desencorajador. Talvez eu esteja sendo muito expressivo, vendo que como todo jogo de RPG, você precisa sempre adquirir recursos em missões para assim progredir no jogo com melhores equipamentos, algo totalmente comum nesses tipos de jogos, o famoso farming. Nesse quesito, é equilibrado até, e também um ponto bem positivo ao jogo é a questão de poder jogar de forma cooperativa, um fator chave crucial para garantir o seu sucesso e dos seus amigos diante de adversários selvagens e colossais, posso garantir que o Monster Hunter World vai lhe prender sendo um jogo super energético e com inúmeras horas de conteúdos e expansões, e caso seja um amante de répteis e gatos, esse sim será o seu sonho de consumo! Eu já disse que os Palicoes (gatos antropomórficos) são tão fofos?



Vini | Ni No Kuni 2

Slide https://static.gamevicio.com/imagens_up/big/22/ninokuni2-021169.jpg;;;https://static.gamevicio.com/imagens_up/big/22/ninokuni2-021170.jpgSe você for fã de animações como Meu Amigo Totoro ou A Viagem de Chihiro, Ni No Kuni 2 é um jogo indispensável para você. Embora o jogo não conte mais com a colaboração do Studio Ghibli igual ao primeiro jogo, ainda assim manteve muito da essência das animações do estúdio.

O jogo combina diversos elementos diferenciados. Ele conta com um combate de ação em tempo real e um Overworld ao estilo dos JRPGs clássicos. Uma grande adição em relação ao primeiro jogo é um sistema de construção e gerenciamento de reino, onde você cria edifício e os aprimora, se sentindo como um verdadeiro monarca.



Billy | Nioh 2

Slide https://static.gamevicio.com/imagens_up/big/22/nioh2-021172.jpg;;;https://static.gamevicio.com/imagens_up/big/22/nioh2-021173.jpgSequência direta do jogo original de 2017, NiOh 2 (ou Ni-oH 2), é um jogo de RPG de Ação do gênero Souls-Borne, onde o foco é a jogabilidade e progressão ao longo prazo, e nisso, a Team Ninja fez algo com maestria, trazendo uma experiência robusta no segmento.

Assim como no original, os jogadores podem criar seu próprio personagem jogável, que era um espírito Yōkai. Os jogadores são equipados com uma variedade de armas, como Odachi e Kusarigama, e ganham novas habilidades conforme progridem no jogo.Quando os jogadores derrotam um Yōkai hostil, alguns deles podem derrubar um "Soul Core".

Eles permitem que os jogadores usem as habilidades do Yōkai e se transformem em um Yōkai após serem depositados em um santuário. Isso é bem importante ser dominado ao longo do jogo, pois ajudará-lo devido a dificuldade do jogo.

Seu enredo serve mais como pano de chão para toda a ação se seguir, e como nos jogos Souls-Borne desenvolvido pela FromSoftware, possui muita tática e estratégia para usar suas habilidades e combater seus inimigos e chefões da maneira certa, pois um passo em falso, e você morre.

Apesar de manter seu estilo como o do original, com afinamentos extras, e adoção de um sistema de progressão mais diversificado e com mais opções, NioH 2 é uma grande experiência RPG que facilmente após terminado te trará grandes horas para buscar uma Platina, o que o torna sempre divertido e desafiador.



Vini | Persona 5

Slide https://static.gamevicio.com/imagens_up/big/22/persona5-021174.jpg;;;https://static.gamevicio.com/imagens_up/big/22/persona5-021175.jpgO que começou como um simples spin-off da franquia Shin Megami Tensei, acabou se tornando uma série própria de grande sucesso. Persona 5 te coloca no papel de um jovem mal visto pela sociedade que precisa dividir seu tempo entre cuidar da sua vida social, como fazer amigos e ir bem na escola, e roubar os corações dos criminosos. O jogo trouxe grandes melhorias para a série, com as dungeons aleatórias sendo deixadas de lado, introduzindo Palácios feitos à mão com temáticas diversas condizentes com cada um dos vilões. A trilha sonora é outro charme do jogo, com canções que encaixam perfeitamente com o tema do jogo.

No entanto, o grande destaque do jogo fica por conta do seu estilo. Tudo aqui esbanja estilo, desde seu menu até o combate. E por falar em combate, provavelmente é o combate de turnos mais dinâmico que você verá, recomendo fortemente até mesmo para quem não é fã do estilo. Garanto que você irá se sentir parte dos Phantom Thieves, um incrível grupo de personagens super carismáticos.



Vini | Pillars of Eternity

Slide https://static.gamevicio.com/imagens_up/big/22/pillarsofeternity-021176.jpg;;;https://static.gamevicio.com/imagens_up/big/22/pillarsofeternity-021177.jpgPillars of Eternity foi um jogo que veio preencher o vazio que Baldur's Gate e outros CRPGs deixaram, servindo como uma espécie de sucessor espiritual. O jogo teve uma campanha muito bem-sucedida no Kickstarter, arrecadando mais de 4 milhões de dólares, um recorde para a época.

Vindo da Obsidian já saberíamos que viria algo bom. Pillars of Eternity nos entregou um mundo rico, com uma lore profunda para os jogadores mergulharem de cabeça. O jogo oferece uma enorme variedade de quests e escolhas. É uma verdadeira homenagem aos RPGs dos anos 90. Sua sequência trouxe um jogo ainda mais polido, com um combate mais refinado.



Renatito | South Park: The Stick of Truth

Slide https://static.gamevicio.com/imagens_up/big/22/southpark-thestickoftruth-021178.jpg;;;https://static.gamevicio.com/imagens_up/big/22/southpark-thestickoftruth-021180.jpgSouth Park: The Stick of Truth é baseado na série de humor americana (humor bem ácido, por sinal), com o The New Kid sendo o protagonista. O jogo é uma guerra louca que envolve fantasia, humanos, magos e elfos, lutando pelo controle da todo-poderosa vara da verdade (Stick of Truth). Quando eu disse louco, é louco mesmo, espere por alienígenas, zumbis nazistas e gnomos, ameaçando a cidade inteira com o caos e a destruição. Evidentemente não é um jogo para ter razão, é pra rir mesmo.

O jogo é em uma perspectiva 2.5D, pois a intenção é reproduzir replicar a estética da série. The New Kid é capaz de explorar livremente a cidade de South Park, interagindo com os personagens e realizando missões e acessando novas áreas ao avançar pela história principal. Você pode escolher entre Lutador, Ladrão, Mago e Judeu (lol), cada um oferecendo habilidades específicas, podendo realizar ataques corpo a corpo, à distância, mágicos e até mesmo um peido para combater seus inimigos. South Park: The Stick of Truth é único, mistura RPG em 2.5D com muito humor. É um jogo com identidade que vale a pena você conferir.



Dreadnaught | The Outer Worlds

Slide https://static.gamevicio.com/imagens_up/big/22/theouterworlds-021181.jpg;;;https://static.gamevicio.com/imagens_up/big/22/theouterworlds-021182.jpgÉ meio que injusto eu poder dar uma opinião sobre o jogo, pois confesso que eu tive poucas gameplays do mesmo (sendo de mais de 10 horas de jogatina), The Outer Worlds é um RPG FPS da Obsidian, ex-subsidiária da Bethesda, que se tornou uma aposto interessante e original. Como vocês sabem, a empresa que fez o jogo, foi responsável pelo Fallout New Vegas, meio que já é possível imaginar uma jogatina que tem um foco grande em diálogos. Quem não gosta de ouvir uma boa história? Eu com certeza gosto, mas lá no fundo isso pode acabar lhe prendendo em várias partes da jogatina, forçando-o a ficar enraizado ali lendo, ouvindo, fazendo escolhas e etc. E é tanta informação que possa acarretar em momentos importantes do jogo na qual o jogador por descuido e leve tédio, possa finalizar com uma experiência relativamente frustrante. E por complementar, você pode customizar o seu personagem, só que você não o vê durante conversas ou cinemáticas, algo sem sentido.

Mas você acha que eu estou exagerando? Talvez, mas é uma experiência sendo retratada por mim, não estou lhe impedindo de apreciar o The Outer Worlds, mas pela natureza básica do ser humano, uma boa parte quer sair por aí matando todos os NPCs que se encontra por aí, e é possível nesse jogo? Sim, e irá lhe dar um final na qual não espera? Talvez... pois o jogo é pra ser jogado com calma e com estratégia. Depois de adquirir uma nave particular, você irá recrutar membros, sendo personagens já pré-definidos e com um ter carismático que sempre julgaram seus atos, sendo positivos e negativos, e lembrando, tome cuidado que eles podem embora pra sempre caso os magoe-os. Em geral, por ser um jogo Sci-Fi, consegue entregar facilmente ambientações únicas e ricas em vida, sendo que o foco primário é no excesso de diálogo e também, uma gameplay com combates padrões para um FPS.



Billy | Tom Clancy's: The Division

Slide https://static.gamevicio.com/imagens_up/big/22/tomclancy-s-thedivision-021183.png;;;https://static.gamevicio.com/imagens_up/big/22/tomclancy-s-thedivision-021184.jpgComo um fã muito aficionado no universo de Tom Clancy, seja nos livros do escritor, ou nas suas franquias de jogos, como Splinter Cell e Ghost Recon, quando The Division foi apresentado em 2013 durante a E3 da Ubisoft, me pareceu algo muito inovador e que com certeza reformularia a indústria de jogos.

Bem, 3 anos se passaram desde seu anúncio até o seu lançamento oficial, e apesar dele ser chamado de muitos como uma Decepção, o jogo trás seus fatores interessantes e divertidos, associados com uma forte imersão trazida pelo universo em que se passa.

The Division foi desenvolvido pela Massive Entertainment, estúdio que pertencia a Activision, produtores da franquia de RTS World in Conflict, que foram adquiridos pela Ubisoft em 2008, e desde então se dedicaram para criar essa ambiciosa Nova IP para a 8° Geração de Consoles.

O jogo é uma experiência RPG Online em Mundo-Aberto, sob o teto do gênero Looter-Shooter, onde habita jogos como Destiny, Anthem e Marvel's Avengers. Seu enredo se dá em início entre os anos de 2002-2014, onde acontece os eventos do Direct 51, Breakdown Attack e da Black Friday.

Basicamente e resumidamente, um Vírus muito parecido com a Gripe começou a se infestar em Nova York, nos EUA, durante a semana da Black Friday, quando mais de 100 milhões de habitantes estavam num grande aglomerado para sair nas compras das festas de fim do ano.

Esse vírus, que não tem cura, gera terríveis sintomas nas pessoas, levando elas a sua morte, e como muitas pessoas começaram a se infectar de forma muito acelerada devido a aglomeração do fim de ano, levou aos EUA entrar em um estado completo de Pandemia Mundial e Global, com o Dólar caindo de preço, pessoas sobrevivendo a um país agora em total declínio de sobrevivência, e Quarentenas que antes eram necessárias para evitar o vírus se espalhar sendo desfeitas para tentar encontrar um novo rumo a vida.

Com todo esse caos acontecendo, 'A Divisão', uma elite que foi designada para combater e controlar toda essa situação, é chamada para o dever se trazer de volta uma Nova York agora em total estado de colapso, e você, jogador, é um desses membros.

Tal como outros jogos do gênero, você pode realizar suas missões sozinho, ou em Co-Op de até 4 jogadores, onde possui a linha principal da história, e as missões secundárias. Como um jogo de sobrevivência em Mundo-Aberto, você possui um inventário e coleta recursos ao longo de uma grande jornada que varia de 25 a 30 horas, com um sistema de progressão baseado em Níveis, o que faz dos inimigos serem "esponjas de bala."

Como meios de locomoção, você terá apenas suas pernas, explorando o grande e vasto mundo de The Division apenas andando, e seu maior rival na trama é Aaron Kenner, antes um membro da Divisão, agora quer apenas causar o caos e provocar mortes de inocentes em prol de sua anarquia.

Sim, o jogo pode se tornar um tanto repetitivo, mas sua jogabilidade e termos técnicos ajudam a ficar mais fácil, em um jogo muito suave e prático, que usa de sistemas únicos para visualização e localização de pontos específicos para entrar em combate e voltar para sua base.

The Division também possui algumas missões investigativas que envolvem cenas de plataforma e estratégia, que tornam ele mais versátil em termos de diversão. Sua parte gráfica, apesar de ter sofrido Downgrade quando comparado com o que foi anunciado em 2013, ainda é muito forte, sendo um jogo de aspecto bastante foto-realista e imersivo, com um contexto e trama pesadas que tornam The Division em algo que apesar de meio amargo para alguns, é muito gratificante ao longo prazo.



Billy | Vampyr

Slide https://static.gamevicio.com/imagens_up/big/22/vampyr-021185.jpg;;;https://static.gamevicio.com/imagens_up/big/22/vampyr-021186.jpgDesenvolvido pela Dontnod, a mesma de jogos como Remember Me, Life is Strange e Tell Me Why, aqui, a francesa criou um RPG de Ação e Aventura ambientado em um tempo modernista de aspecto fantasioso, no caso, um RPG de Vampiros.

Vampyr possui certas falhas quanto ao seu combate e exploração, que são recompensados pela sua história muito bem escrita e desenvolvida, e de sua Trilha Sonora forte e bem construída, transformando em algo bastante envolvente.

No jogo, você é Jonathan Reid, um médico que acaba se tornando uma das 'Sanguessuga', um Vampiro, e acaba matando uma de suas entes queridas devido a sua fome por sangue. Reid acaba sendo procurado e caçado pela patrulha de Geoffrey McCullum, apesar de tentar se provar inocente, e se arrisca a de toda forma buscar uma cura.

O Combate de Vampyr é uma mistura de Tática com Hack n’ Slash Tapped, num jogo mais lento e na base do tempo de reação e ataque, o que não agradou tanto os jogadores, que acharam o sistema fácil ou um tanto quebrado.

Apesar disso, ele possui muitos momentos onde você age mais velozmente, conforme vai evoluindo seus poderes como Vampiro, e tornam a experiência mais… dinâmica.

MENÇÕES HONROSAS


Dragon Quest XI


Clique para ver a imagem em tamanho original

Final Fantasy VII Remake


Clique para ver a imagem em tamanho original

Kingdom Hearts III


Clique para ver a imagem em tamanho original

The Elder Scrolls Online


Clique para ver a imagem em tamanho original

Xenoblade Chronicles 2


Clique para ver a imagem em tamanho original



Chegamos ao fim de mais um artigo sobre os melhores jogos dessa geração. Gostaria de agradecer imensamente a participação do Billy Butcher, Dreadnaught e do nosso eterno moderador Vini. O artigo foi produzido por nós 4, como vocês puderam ver, e foi essencial a participação de cada um.

Não esqueçam de deixar o seu feedback, bem como produzir as suas próprias listas; sua participação também é importante. Caso tenham perdido os artigos anteriores, eles estão listados logo abaixo. Nos vemos na próxima!

  1. Os 10 melhores jogos de Mundo Aberto
  2. Os 10 melhores jogos de Tiro em Primeira Pessoa
  3. Os 15 melhores jogos de Ação e/ou Aventura
  4. Os 20 melhores jogos Indies
  5. Os 10 melhores jogos de Terror/Survival-Horror
renatito91
Renatito #renatito91
Historiador e fã de Xbox
Moderador do Site, 28 anos, Recife
Deixe seu comentário para sabermos o que você achou da publicação
Gosta do site e quer ajudar a o manter online? Apoie-nos!.
Não se esqueça que você pode participar do nosso Discord.
E também nos seguir no Facebook, Twitter, Instagram e na nossa curadorida da Steam.