.

Chris Avellone fala que o principal problema da Obsidian é a comunicação

Enviado por Nightcrowley, , 720 visualizações, 0 comentários
Clique para ver a imagem em tamanho original

Chris Avellone, ex co-fundador e diretor criativo da Obsidian, saiu da empresa em 2015 e este em silêncio sobre os executivos desde então.

Durante a Reboot Develop, tivemos a chance de bater um papo com e conversar sobre coisas específicas com a empresa - uma empresa que ele claramente ainda possuí admiração, em particular, pela equipe de desenvolvimento.


"Então, há algumas coisas," explicou Avellone. "Acho a comunicação como a coisa mais importante em todos os níveis, porque o que era mais estranho é que - mesmo no círculo de donos - haviam dois donos que sabiam o que estava rolando em certo projeto, o problema, e os outros ficavam totalmente no escuro. E isso acontecia em todos os níveis.



"Quando essa informação não era disseminada, as vezes você tomava escolhas ruins. Suponhamos que você esteja com problemas na arte de um jogo. Talvez você devesse trazer o diretor de arte e fazê-lo parte da discussão, ao invés de o diretor de arte ser a última pessoa a saber que você vai alterar toda a arte do game. Mas como você não falou com o diretor de arte, [a equipe de arte] não apenas ficava no escuro, mas eles também não sabiam informar o por quê essas decisões foram tomadas. Poderíamos mudar a sua ideia, ao invés de chegar e fazer alguma coisa.



Clique para ver a imagem em tamanho original

Avellone disse que outro problema era a falta de salários padronizados em toda a empresa, com pessoas tendo grandes diferenças salarial sendo que exercem a mesma função. Segundo Avellone - que agora trabalha como escritor freelancer para projetos como Dying Light 2 e Star Wars Jedi: Fallen Order - esses salários variavam dependendo de qual dono participava do processo seletivo.


"Isso causou vários problemas de desequilíbrio e moral entre os colaboradores," relembra Avellone. "Outro problema é que acho que o nepotismo nunca vai funcionar na indústria de games. Mesmo se seu amigo ou 'o famoso sobrinho' seja o melhor na sua função, trazer alguém assim causa problemas. Os outros vão enchegá-los de forma diferente. Eles podem ser a pessoa mais bem comportada do mundo, mas na certa vão associar isso porque essa pessoa tem conexões com o CEO, ou executivo produtor, a pessoa tem mais peso sobre o seu futuro, quer ele faça ou não."


Isso não é apenas sobre percepção. Os seres humanos são uma espécie defeituosa e nem sempre estamos conscientes do nosso preconceito, então há uma chance de subconscientemente tratarmos de uma maneira diferenciada um parente em relação a outros funcionários.


"Uma queixa que continuou aparecendo foi que, muitas vezes, quando havia demissões - para a Sega, Armored Warfare, seja lá o que fosse que acontecesse - sempre havia algumas pessoas que eram mantidas, e normalmente eles estavam no círculo do nepotismo," explica Avellone. "Você pode até mesmo ter uma boa razão para manter essa pessoa, mas essa conexão, pode se caracterizar como favoritismo, então é melhor eliminar isso da equação."



Clique para ver a imagem em tamanho original

Ultimamente, Avellone está em uma alta demanda como escritor em vários projetos, mas ele disse que não voltará a trabalhar com a Obsidian. Pelo menos não na sua forma atual.



"Eu trabalharia com outras desenvolvedoras de novo, [mas] não trabalharia com senior management," disse ele. "Não tenho paciência com eles e nunca vou ter, apenas não acho o modelo de gerenciamento deles saudável. Porém, os desenvolvedores que deixaram a Obsidian, ainda trabalharia com eles, e os que estão lá eu definitivamente trabalharia de novo, porque eles são um grupo trabalhador."
Nightcrowley
Enviado por Nightcrowley
Membro desde
25 anos
label