Confira o que a crítica está achando da série Resident Evil da Netflix

Confira o que a crítica está achando da série Resident Evil da Netflix

Será que dessa vez acertaram na adaptação?
#Séries Publicado por Vinicius, em

Após o lançamento da animação Resident Evil: Infinite Darkness, a Netflix agora conta com mais uma produção baseada na franquia, dessa vez uma série live action focada no vilão Albert Wesker e suas duas filhas.

Com lançamento programado para 14 de Julho, começaram a sair as primeiras análises da série. Infelizmente parece que a série ficou abaixo das expectativas, não conseguindo empolgar com sua história.

Confira as notas que vem recebendo:

  1. 90 - GameSpot
  2. 80 - The Telegraph
  3. 70 - IGN
  4. 58 - Consequence
  5. 50 - GamesRadar
  6. 50 - Total Film
  7. 50 - Flickering Myth
  8. 42 - AVClub
  9. 40 - The Independent
  10. 25 - Collider

A série atualmente encontra-se com uma média de 54 no Metacritic e uma aprovação de 55% no Rotten Tomatoes.

GameSpot

Embora esta possa não ser a primeira adaptação de Resident Evil, é um começo forte para reivindicar o prêmio de melhor adaptação que já vimos. Sua abordagem narrativa de desdobrar a trama em dois pontos separados no tempo com mais de uma década de intervalo mantém as coisas únicas e envolventes. No entanto, se você for um defensor do cânone, certos aspectos do show podem ser difíceis de aceitar.

IGN

Embora a qualidade das linhas de tempo divididas de Resident Evil varie, a maneira como ele cria uma história original e continuidade ao usar os eventos dos jogos como base é impressionante e especialmente agradável se você for um grande fã de Albert Wesker.

Consequence

Como um novo título de Resident Evil, a série passa no teste de incluir referências o bastante para manter os fãs de longa data felizes, sem alienar novos espectadores ao mesmo tempo.... A estrutura de duas linhas do tempo, no entanto, é o elo mais fraco do programa. Embora tenha a intenção de criar mistérios para manter as pessoas assistindo, as mudanças abruptas entre o presente e o futuro dificultam o investimento em ambas as histórias.

GamesRadar

Resident Evil não é um bom suspense pós-apocalíptico. Não é um aterrorizante festival de zumbis. Mal é uma série de Resident Evil. Partes das linhas do tempo duplas de Resident Evil são promissoras, mas acabam falhando graças a grandes pedaços dedicados a um enredo pós-apocalíptico abaixo do padrão que foi feito melhor em outros lugares.

AVClub

Em última análise, após um bom episódio de abertura, Resident Evil se estabelece em uma cansativa série de ação e aventura, em vez de algo remotamente novo ou assustador. A completa ausência de “horror” aqui é um grande pecado.

The Independent

A coisa toda é um desastre. A escrita, por necessidade, é amplamente expositiva e clichê (“Os cientistas disseram que o mundo acabaria em 2036”, anuncia o monólogo de abertura de Jade. “Mas eles estavam errados: o mundo acabou há muito tempo”), embora também encontrem espaço para alguns pontos positivos, principalmente a maligna Evelyn Marcus de Paola Núñez.

Polygon

Em vez de usar o mundo como uma justificativa vaga para os horrores estranhos que espreitam em cada canto, a série da Netflix passa a maior parte do tempo desesperada para justificar sua própria existência dentro do universo Resident Evil em vez de construindo uma nova história que vale a pena acompanhar.

Collider

Sob a má execução, performances desajeitadas e fan service que raramente funciona, há uma ótima adaptação de Resident Evil aqui em algum lugar, mas como os zumbis espalhados pela série, Resident Evil só morde.
Vinicius
Vinicius #VSDias55
Equipe do Site, Florianópolis
Publicações em Destaque
#Games, Por VSDias55,
#Games, Por VSDias55,
#Games, Por VSDias55,