Empresa tenta impedir a comercialização de chips capazes de fazer o desbloqueio do console.
Publicado por warwad, em .
Durante a última sexta (15), a Nintendo entrou com dois processos judiciais contra revendedoras de meios que permitem a pirataria de seus softwares no Nintendo Switch.

Tom Dilts Jr. é alvo do primeiro processo judicial que foi lavrado na corte de Ohio, ele é operador do site UberChips. O segundo processo lavrado na corte de Seattle, contra um número de websites anônimos que comercializam produtos e se auto-intitulam Team Xecuter. Os advogados da Nintendo descreveram os produtos como "um sistema operacional não autorizado... acompanhados de ferramentas de pirataria que o instalam".

Esses produtos permitem que os usuários driblem as "medidas de proteção tecnológica" da Nintendo projetadas para proteger seus produtos de "acesso e cópia não autorizados". Uma vez desativado, os jogadores podem baixar o sistema operacional não autorizado e jogar títulos pirateados, disseram os advogados.

Os sites também estão oferecendo pré-vendas para dispositivos que driblam as medidas de proteção para o Nintendo Switch Lite anteriormente não desbloqueável e os modelos mais recentes do Nintendo Switch. A Nintendo disse que isso está causando "tremendos danos" à empresa; Os advogados da Nintendo disseram que centenas de aparelhos já foram vendidos.

A Nintendo está buscando US$ 2.500 por violação de tráfego em cada um desses casos, bem como uma liminar permanente para interromper as operações desses sites.
warwad
warwad
Equipe do Site, 28 anos, Suzano, São Paulo
Deixe seu comentário para sabermos o que você achou da publicação
Gosta do site e quer ajudar a o manter online? Apoie-nos!.
Não se esqueça que você pode participar do nosso Discord.
E também nos seguir no Facebook, Twitter, Instagram e na nossa curadorida da Steam.