A presença de guerreiras fazia parte da concepção do mundo deles
Publicado por BryanMagnus, em .
Assim que foi anunciado que os jogadores vão escolher o gênero do protagonista de Assassin’s Creed Valhalla, alguns fãs da franquia reclamaram e alegaram que não fazia sentido ter mulheres guerreiras no jogo.

Como resposta, o site oficial do game foi atualizado com uma sessão de perguntas e respostas com Thierry Noël, um historiador que está servindo de consultor para a Ubisoft.

Em um dos assuntos levantados, Noël explica que há provas concretas de que as mulheres vikings lutavam com os homens, pois isso fazia parte da concepção de mundo deles.

''As fontes arqueológicas são altamente debatidas sobre essa questão específica. Mas o fato é, e acho que o mais importante também, é que [a participação de mulheres] fazia parte da concepção deles do mundo. Sagas e mitos da sociedade nórdica estão cheios de personagens femininas fortes e guerreiras. Isso fazia parte da ideia de mundo deles, de que mulheres e homens são igualmente habilidosos ​​em batalha, e isso é algo que Assassin’s Creed Valhalla vai refletir.''

Assassin’s Creed Valhalla está previsto para ser lançado no final de 2020.
BryanMagnus
BryanMagnus
Usuário do Site, 28 anos
Deixe seu comentário para sabermos o que você achou da publicação
Gosta do site e quer ajudar a o manter online? Apoie-nos!.
Não se esqueça que você pode participar do nosso Discord.
E também nos seguir no Facebook, Twitter, Instagram e na nossa curadorida da Steam.