Publicado por TelaBrancaDoAkuma, em .
Clique para ver a imagem em tamanho original


Ficção Científica, ou simplesmente Sci-FI, é um gênero literário que normalmente aborda temas ou conceitos ainda inexistentes, geralmente aproxima-se da imagem de Tecnologias e Utopias, podendo ou não se passar em um futuro. O gênero também costuma mostrar de forma crua a vida do ser humano, tanto individualmente quanto socialmente, mostrando seus impactos na sociedade, política e religião como um todo. É importante frisar que a Ficção Científica tem como uma das suas características o distanciamento do sobrenatural, ao invés disso o gênero busca focar-se mais em temas científicos, e em uma repaginação de diversos períodos históricos e sociais acrescentando a tecnologia em seu contexto.
A gama de temas nesse gênero é simplesmente colossal, podendo abordar assuntos como viagem no tempo, vidas no espaço sideral, multiversos, climas na Terra, múltiplos universos, clonagem, robótica etc.
Definir um tema assim tão vasto não é tarefa fácil. A ficção científica pode ser repleta de temas e objetos utópicos, com novas visões da sociedade, como também pode ater-se a temas mais atuais, como vacinas e a rápida expansão de novas doenças e pandemias ao redor do globo. Umas das definições mais aceitas atualmente é a do Rod Serling, criador da série Twilight Zone: " Fantasia é o impossível tornado provável. Ficção científica é o improvável tornado possível." É um claro exemplo da vida imitando a arte, e a arte imitando a vida...


Clique para ver a imagem em tamanho original


Além da literatura, nós conseguimos ver inúmeros exemplos de Ficção Científica sendo aplicados no cinema e televisão. Nomes como Star Wars, Star Trek, Frankenstein, Twilight Zone, Robocop, De Volta Para o Futuro e afins com certeza marcaram uma época e uma geração. Inclusive muitos profissionais atuais decidiram seguir suas profissões de cientistas e cineastas com base no amor que esse gênero causa em nossos corações. É simplesmente deslumbrante pode pensar em aspectos de nossa vida que simplesmente tornaram-se possíveis graças as previsões feitas nos materiais do gênero. Viagens ao espaço, vídeo chamada em tempo real, aviação comercial, mapeamento geográfico e até mesmo procedimentos médicos de transplante já apareceram em diversas obras do gênero, gerando grande debate sobre como essas obras fizeram corretamente suas "previsões" a respeito do futuro.

História do Gênero



Clique para ver a imagem em tamanho original


A ficção científica nasceu como um subgênero literário na década de 1920. Com o tempo, ela acabou ganhando diversos formatos. No cinema, foi uma das adaptações de maior sucesso, principalmente a partir da segunda metade do século XX. Entre os autores mais famosos da ficção científica, podemos citar Isaac Asimov (1920-1992, autor de "Nós robôs"), Ray Bradbury (1920, "Crónicas marcianas", "Fahrenheit 451"), Arthur C. Clarke (1917-2008, "Odisseia no Espaço"), Aldous Huxley (1894-1963, "Admirável Mundo Novo"), Ursula K. Le Guin (1929, "The Dispossessed") e Júlio Verne (1828-1905, "Viagem ao centro da Terra", "Vinte Mil Léguas Submarinas"). Esse gênero também se propagou com a ajuda da televisão e do rádio, que sempre transmitiam novelas bem como também histórias inventadas (como a rádio que disseminou a falsa notícia de que a Terra estava sendo invadida por aliens) em sua grade. As histórias em quadrinhos (HQs) também ajudaram a difundir a ficção científica como um dos principais gêneros da literatura juvenil.

Sci-Fi nos Games


Existem inúmeros jogos que abordam a temática Sci-Fi, e alguns deles já foram listados nos artigos passados. Sendo assim, vamos ver alguns títulos em que você consegue realmente se sentir no futuro enquanto joga:

Crysis



Clique para ver a imagem em tamanho original


"Tá, mas roda Crysis?". Se você estava vivo na década passada, com certeza você já ouviu essa frase em algum lugar. Crysis foi sinônimo de exuberância gráfica em seu tempo de lançamento, e muito disso se deve aos seus lindos cenários, e efeitos de luz e partículas surreais.
O primeiro game começa de forma aparentemente simples, quando uma agente americana envia um pedido de socorro, após uma invasão das forças norte-coreanas na ilha na qual ela se encontra. Os Estados Unidos enviam uma equipe de soldados Nano Suit, que são roupas especiais com capacidades tecnológicas, altamente treinados para conter a ameaça e expulsar os invasores.
Com o tempo, o jogador é surpreendido com a presença de seres alienígenas na ilha, conhecidos apenas como Ceph. Com o ataque das criaturas, apenas três guerreiros aliados sobrevivem – Psycho, Nomad e Prophet, que seguem suas missões e passam por maus bocados ao longo do game. O resto é história que vale a pena ser conferida por você mesmo.

Mega Man



Clique para ver a imagem em tamanho original


O robozinho mais amado dos games fez sua estreia em 1987, trazendo uma gameplay adaptativa, regada de desafios para serem superados. Apesar de ser essencialmente uma realidade alternativa da Terra no século XXI, a ideia que nos intriga em Mega Man é que os seres humanos criaram robôs para serem força de trabalho. É um roteiro comum, claro, mas os robôs foram todos criados para serem, essencialmente, operários em forma de máquina. Os chamados Robot Masters possuem habilidades especiais e uma inteligência artificial super avançada para vencer seus desafios. Então, Dr. Wily decidiu usá-los para conquistar o mundo. O que torna o jogo mais interessante é a ideia de que, basicamente, o mundo de Mega Man se resume a dois doutores -- um bom e um mau -- usando robôs para batalharem entre si. Simplesmente um dos jogos mais influente de todos os tempos que dispensa qualquer apresentação.

Halo



Clique para ver a imagem em tamanho original


Principal série da família Microsoft, sendo considerado por muitos como uma das melhores sagas de FPS de todos os tempos, por unir um gigantesco e complexo enredo, aliado a uma excelente gameplay. Nesse mundo, toda a humanidade foi criada não por Deus ou pela evolução, mas por outra espécie -- os chamados Precursores. Os Precursores também criaram os Flood, Forerunners e todas as raças de Halo. É como se, para essas criaturas, o universo fosse massinha de modelar: eles podiam criar e destruir espécies quando bem entendessem. Mas eles não são indestrutíveis e, apesar de parecerem praticamente inalcançáveis, nós assistimos toda a saga de Halo pelo ponto de vista da humanidade, tentando sobreviver e conquistar um espaço na existência.

Mass Effect



Clique para ver a imagem em tamanho original


Simplesmente uma das sagas mais complexas e envolventes que fomos agraciados nos últimos anos. Algumas das temáticas subjacentes da série Mass Effect são refletidas na nossa vida atual: racismo, homofobia, corrupção política. Tudo isso existe em Mass Effect, porém em uma escala universal. No game, a maioria das imoralidades cometidas são contra a humanidade como raça. Nós somos uma pequena cultura, inocente aos olhos do universo e estamos lutando pela igualdade de todas as espécies. Funciona ou não como um reflexo chocante de nossa própria sociedade?
O primeiro jogo da trilogia planejada foca na criação do personagem Comandante Shepard, e sua missão de salvar a Galáxia de uma raça de seres mecânicos chamados Reapers, e seus seguidores, incluindo Saren Arterius, que teve uma lavagem cerebral. No primeiro jogo, Shepard precisa impedir os planos de Sovereign que planeja fazer com que a nave dos reapers (que estavam hibernando) entre na Via Láctea e destrua todas as vidas orgânicas, continuando um misterioso ciclo de destruição. O segundo jogo mostra Comandante Shepard batalhando contra os Collectors, uma raça alienígena que abduz colonizações inteiras de humanos para tentar reviver os Reapers. O terceiro e último jogo mostra Comandante Shepard liderando a galáxia contra os Reapers na batalha final.

Chrono Trigger



Clique para ver a imagem em tamanho original


Falar desse jogo é pedir para ter suas lembranças inundadas de bons momentos da infância. Considerado por muitos como um dos melhores jogos de todos os tempos, Chrono Trigger marcou toda uma geração de jogadores.
A história do game começa de maneira inocente, com heróis inusitados: Crono, Marle e Lucca. Os três se envolvem em um acidente com uma máquina do tempo. A partir disso, o trio viaja por várias épocas e, com isso, descobre que há um futuro terrível a espera deles. Assim, eles precisam encontrar uma forma de evitar, com a ajuda de novos amigos, que o pior aconteça.
Um detalhe interessante era o peso das escolhas. Logo nas primeiras horas, os gamers eram obrigados a admitir ações que teriam feito como se fossem criminosos em um julgamento. Mas, na verdade, eles estavam apenas seguindo os clichês dos RPGs. Era possível conseguir mais de dez finais diferentes, dependendo de como você levava a aventura.
Esse é um exemplo perfeito de um jogo que simplesmente não envelhece. Seus gráficos permanecem lindos até hoje, sua trilha sonora é vencedora de vários prêmios, rendendo até CDs triplos no Japão, e seu enredo e personagens são simplesmente cativantes. Caso não tenha jogado, por favor, faça um favor para si mesmo e jogue.

Half-Life



Clique para ver a imagem em tamanho original


A maior parte do jogo é ambientada em uma área desértica remota do Novo México, no Centro de Pesquisa Black Mesa, um complexo fictício que apresenta muitas semelhanças tanto com o Laboratório Nacional de Los Alamos quanto com a Área 51, em algum ponto durante os anos 2000. O protagonista do jogo é o físico teórico Gordon Freeman, detentor de um Ph.D. no MIT. Freeman torna-se um dos sobreviventes de um experimento na Black Mesa que dá terrivelmente errado, quando uma inesperada "cascata de ressonâncias" - um fenômeno fictício - rasga emendas dimensionais, devastando as instalações. Alienígenas vindos de outra dimensão conhecida como Xen subsequentemente entram nas instalações através dessas emendas dimensionais (um evento conhecido como o "Incidente de Black Mesa").
À medida que Freeman tenta sair das instalações em ruínas, descobre que está preso entre dois lados: os alienígenas hostis e a Unidade de Combate em Ambientes Perigosos, uma unidade de operações especiais do Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA enviada para encobrir o incidente, eliminando os organismos, além do próprio Dr. Freeman e dos outros sobreviventes da Black Mesa, a fim de silenciá-los.
Até hoje os fãs da franquia imploram para que a Valve faça o tão sonhado Half-Life 3, título esse que acabou ganhando o status de lenda em toda comunidade, pois infelizmente a Valve não sabe contar até 3.

Enslaved: Odyssey to the West



Clique para ver a imagem em tamanho original


Esse título provavelmente não foi jogado por muitas pessoas, devido a sua fraca campanha de marketing na época. Mas não se engane, ele com certeza vale a sua atenção.
Em vez de adaptar literalmente o livro Journey to the West, que se passa na China Imperial. Enslaved se passa no futuro, em um mundo destroçado pela guerra. Expondo os riscos de ficar brincando de deus, o game mostra o que acontece quando pessoas usam máquinas para conduzir uma guerra. E quando aqueles que controlam as máquinas morrem, a raça humana pode se tornar bastante frágil...
Em Enslaved, o jogador encarna um brutamonte conhecido pelo apelido de Monkey. O jogo inicia-se em uma espécie de aeronave que serve como prisão, na qual o protagonista e sua futura companheira, Trip, se encontram. Misteriosamente, o veículo se desestabiliza e começa a cair. Com isso, a inteligente Trip corre para poupar sua vida escapando em uma das naves de emergência. Já Monkey, por outro lado, tem de usar a força bruta para tentar chegar vivo à Terra.

Fallout



Clique para ver a imagem em tamanho original


E se o mundo acabasse em um desastre nuclear? O universo de Fallout é uma realidade alternativa onde os Estados Unidos tentam desenvolver energia de fusão na tentativa de salvar sua economia, tornando-se um país mais hegemônico e menos dependente de petróleo. A falta de recursos em outros países causaram uma série de conflitos militares e diplomáticos, como a Guerra dos Recursos, a anexação do Canadá pelos EUA, ataques nucleares de pequenas proporções, resultando com uma grande guerra nuclear entre os Estados Unidos e a China em outubro de 2077. Os jogos da série começam a partir daqui, em um mundo pós-apocalíptico.
Antes da troca de ataques nucleares acontecer, o governo dos Estados Unidos construiu grandes Vaults subterrâneos para proteger a população dos perigos e da radiação de um eventual ataque nuclear. Porém, somente 122 vaults foram construídos, sendo que seriam necessários mais de 400.000 vaults para proteger toda a nação. Isto porque na verdade os projetos dos vaults não foram projetados para abrigar todas as pessoas, ao contrário do que a maioria imaginava. Em vez disso eles eram experimentos sociais conduzidos pelo governo, abrigando assim somente uma minúscula parte da população. A maioria dos vaults apresentaram formas de testar como certas coisas influenciariam as pessoas (e presumidamente as características pessoais dos ocupantes do vault), como aconteceu com o Vault 69, que foi propositalmente habitado com 999 mulheres e apenas um homem.

Killzone



Clique para ver a imagem em tamanho original


A série conta a história de uma guerra entre a Aliança Estratégica Interplanetária (ISA) e os Helghast. Os protagonistas da série são o Cpt/Col. Jan Templar (Killzone e Killzone: Liberation) e o Sgt. Tomas "Sev" Sevchenko (Killzone 2 e Killzone 3), enquanto que o principal antagonista é o Imperador de Helghast, Scolar Visari; a sua morte em Killzone 2 trouxe ao de cima dois novos antagonistas e herdeiros do trono de Visari, Jorhan Stahl e Admiral Orlock em Killzone 3.
Killzone segue a guerra contínua entre a ISA e os Helghast, batalhas que têm lugar tanto em colónias terrestres da ISA bem como em Helghan, planeta natal dos Helghast.



Então é isso. Gostou? Tem sugestões ou críticas? Não deixe de opinar logo abaixo, na sessão de comentários, e até a próxima.
TelaBrancaDoAkuma
TelaBrancaDoAkuma
Colaborador do site, 25 anos, Curitiba
Deixe seu comentário para sabermos o que você achou da publicação
Gosta do site e quer ajudar a o manter online? Apoie-nos!.
Não se esqueça que você pode participar do nosso Discord.
E também nos seguir no Facebook, Twitter, Instagram e na nossa curadorida da Steam.