Publicado por macmi, em .
Clique para ver a imagem em tamanho original


Facebook diz que rastreamento de local é necessário para direcionar anúncios e para combater usuários que propagam fake news

O Facebook sempre sabe onde você está, mesmo que você tenha desativado o acesso à sua localização: isso não é novidade, mas a rede social precisou lembrar alguns senadores dos EUA sobre essa informação. A empresa diz que o rastreamento é necessário para direcionar anúncios e para combater usuários que propagam fake news.

As práticas do Facebook foram detalhadas em uma carta enviada a dois senadores dos EUA e divulgada nesta terça-feira (17). Mesmo quando a rede social é impedida de acessar os serviços de localização no iPhone ou Android, ela consegue deduzir o local do usuário através do endereço IP ou de fotos publicadas na rede social. Essas informações são menos precisas, mas são o bastante para segmentar anúncios, por exemplo.

"Por necessidade, praticamente todos os anúncios no Facebook são segmentados com base na localização, embora anúncios geralmente costumem ser direcionados a pessoas dentro de uma cidade em particular ou em alguma região maior", explica a empresa. "Caso contrário, pessoas em Washington, DC receberiam anúncios de serviços ou eventos em Londres e vice-versa."

Ao monitorar a localização do usuário, o Facebook também consegue saber se alguém tentar fazer login a partir de outra cidade ou país - um possível sinal de invasão de conta. Além disso, o endereço IP pode ajudar a combater campanhas de desinformação: por exemplo, é possível detectar se posts de orientação política tentam interferir em um processo eleitoral se estiverem vindo de outro país.

Não se trata apenas do endereço IP:

"As pessoas podem fornecer ao Facebook informações específicas sobre sua localização... elas podem fazer check-in em um restaurante ou loja, ou aplicar uma etiqueta de localização em uma foto, ou serem marcadas por um amigo em um check-in".


Facebook confirmou rastreamento no ano passado


Clique para ver a imagem em tamanho original

Nada disso é realmente novo: no Gizmodo, Kashmir Hill confirmou todas essas práticas com o Facebook em dezembro de 2018. "Não há como as pessoas desativarem completamente o uso da localização para anúncios", disse um porta-voz da empresa na época.

Ele continuou:

"Usamos a cidade e o CEP que coletamos dos endereços IP e outras informações, como check-ins e cidade atual do seu perfil, para garantir que estamos oferecendo às pessoas um bom serviço - como exibir o Facebook no idioma correto e mostrar eventos próximos e anúncios de empresas locais".

Ainda assim, isso pode pegar alguns de surpresa. O senador Chris Coons diz em comunicado:

"o Facebook alega que os usuários estão no controle de sua própria privacidade, mas, na realidade, eles nem sequer têm a opção de impedir a rede social de coletar e monetizar suas informações de localização".

Vale lembrar que o Google tem uma política semelhante:

"quando você usa nossos serviços, coletamos informações sobre sua localização, o que nos ajuda a oferecer recursos, como rotas de carro para a viagem de fim de semana ou horários de filmes que estão perto de você".

Assim como o Facebook, o Google sabe onde você está a partir do GPS, endereço IP, pontos Wi-Fi nas proximidades, torres de celular e dispositivos com Bluetooth ativado. Você é rastreado mesmo se o histórico de localização estiver desativado.
macmi
Macmi
Colaborador do site, Honnōji Academy
Deixe seu comentário para sabermos o que você achou da publicação
Gosta do site e quer ajudar a o manter online? Apoie-nos!.
Não se esqueça que você pode participar do nosso Discord.
E também nos seguir no Facebook, Twitter, Instagram e na nossa curadorida da Steam.