.

Wolfestein abandonou hyper-masculinidade para fazer protagonista mais humano

Enviado por Frocharocha, , 0 comentários
Clique para ver a imagem em tamanho original


Por mais que Wolfenstein: The New Order seja sobre matar nazistas, havia um lado muito mais humano na história. No extenso passado de vários jogos de Wolfenstein, tínhamos um B.J. Blazkowicz hiper-masculino e hiper-sangrento, mas, ao longo dos anos, esse brutamontes evoluiu para um homem com uma família e aspirações. E parece que esta versão do B.J. está aqui para ficar.

Em uma discussão recente no Sweden Game Festival 2019 com Kristoffer Kindh, um designer de nível sênior da Machinegames, surgiu o tópico do desenvolvimento de personagens. Comparado com as entradas mais antigas de Wolfenstein (e, nesse caso, com os atiradores fps mais tradicionais), os jogos modernos são mais profundos do que a maioria. "Eles têm muito mais caráter", diz Kindh, "eles têm mais personalidade".

Se você conhece a série Wolfenstein, saberá que B.J. se beneficiou de muito do desenvolvimento de personagens em The New Order, incluindo flashes de seu passado e uma vida familiar idílica. Ele não é mais apenas um ser hiper-masculino equipado com armas que ele era nos primeiros jogos. Não entenda mal, o cara ainda é tão duro quanto o rambo, mas a discussão com Kindh revelou um pouco do porquê eles martelaram esse outro lado do soldado.

É tudo sobre contexto. Kindh fala sobre saber quando é o momento para atirar, e é isso, e quando você pode colocar alguns sentimentos em vez de uma matança irracional - "devemos saber quando ou quando não implementá-lo, " ele diz. No fim das contas, tudo se encaixa "no contexto do que você está tentando criar". Para finalizar, ele usa uma comparação com Alan Wake. Se Alan Wake fosse apenas um "robô assassino", sua história teria esse impacto? Realmente não teria funcionado.
Frocharocha
Enviado por Frocharocha
Membro desde
39 anos, São Paulo
label