Osório: o MBT brasileiro que bateu o M1 Abrams americano

#Artigo Publicado por Wiking-SS, em .

IMAGEaHR0cDovL3d3dy5mb3J0ZS5qb3IuYnIvd3AtY29udGVudC91cGxvYWRzLzIwMDgvMDkvZWUtdDEtb3NvcmlvLmpwZw==

O EE-T1 Osório foi um carro de combate pesado (MBT – Main Battle Tank), desenvolvido na década de 80 pela empresa brasileira Engesa, produtora dos famosos EE-9 Cascavel e EE-11 Urutu, que estão em uso ainda em vários países. Projetado com financiamento próprio para fazer parte de uma concorrência para a Arábia Saudita, em Julho de 1987, um protótipo do Osório com canhão de 120mm competiu com o britânico Challenger:

IMAGEaHR0cDovL3d3dy5taWxpdGFyeS10b2RheS5jb20vdGFua3MvY2hhbGxlbmdlcl8yLmpwZw==

O americano M1 Abrams:

IMAGEaHR0cDovLzIuYnAuYmxvZ3Nwb3QuY29tL19OSHpZdnRCcEVlZy9UTmhDdEk3QjBQSS9BQUFBQUFBQUFEdy9OWkxwVndzSnpnVS9zMTYwMC9tMS1hYnJhbXMtMDMlNUIxJTVELmpwZw==

e o francês AMX-40:

IMAGEaHR0cDovL3d3dy5taWxpdGFyeS10b2RheS5jb20vdGFua3MvYW14XzQwX2wzLmpwZw==

Derrotando todos os oponentes. Em 1988, no Abu Dhabi, o Osório repetiu a façanha, desta vez derrotando também o MBT italiano C-1 Ariete.

IMAGEaHR0cDovL3d3dy5taWxpdGFyeWltYWdlcy5uZXQvcGhvdG9wb3N0L2RhdGEvNTAxL0MtMV9BcmlldGVfMjAuanBn

Quando os Sauditas estavam prestes a fechar negócio, os EUA entraram em campo, alegando que o Brasil não respeitava acordos internacionais e, principalmente, que negociava com nações consideradas inimigas pelos EUA. A Arábia Saudita acabou não fechando o acordo com a ENGESA e terminou por comprar o M1 Abrams mesmo.

O restante da história quase todo mundo já conhece: a Engesa acabou falindo, porque investiu sozinha no projeto do carro e o Exército Brasileiro não tinha dinheiro para comprá-lo (cada um custava cerca de US$ 1 milhão). Anos depois da falência da empresa, dois dos protótipos do Osório quase viraram sucata, mas hoje estão preservados, aos cuidados do EB.

IMAGEaHR0cDovLzQuYnAuYmxvZ3Nwb3QuY29tL19Wb2FiR05Dakl4Zy9SMHlfcWlnZmZwSS9BQUFBQUFBQUFyVS9GZl9RLVIzOXFPMC9zMTYwMC1oL09TT1JJTysxMC5ibXA=

Acima: O primeiro protótipo do Osório durante uma demonstração no deserto do oriente médio. O Osório é capaz de transpor obstaculos com até 1,15 m de altura.

IMAGEaHR0cDovLzEuYnAuYmxvZ3Nwb3QuY29tL19Wb2FiR05Dakl4Zy9SMHlfSHlnZmZuSS9BQUFBQUFBQUFyRS9NZVNFVnlIdElXVS9zMTYwMC1oL29zb3Jpbys3LmpwZw==

Acima: Nesta impressionante foto podemos ver o Osório abrindo fogo com seu canhão L-7 ingles de 105 mm. Só o segundo protótipo, é que foi armado com o mais potente canhão GIAT de 120 mm.

IMAGEaHR0cDovLzQuYnAuYmxvZ3Nwb3QuY29tL19Wb2FiR05Dakl4Zy9SMHlfSGlnZmZtSS9BQUFBQUFBQUFxOC9DTDFmTnpzRUwyay9zMTYwMC1oL29zb3Jpbys4LmpwZw==

Acima: O Osório durante seus testes no campo de provas de Marambaia onde os equipamentos militares de interesse das forças armadas do Brasil são testados e homologados.

ABAIXO TEMOS UM VIDEO SOBRE O OSÓRIO EXIBIDO NA TV.

OWQ5X1JPS0NPZXc=

FICHA TECNICA

Velocidade máxima: 70 Km/h.

Alcance máximo: 550 km.

Motor: Um motor MWM TBD-234 V 12 com 1040 Hp movido a diesel.

Peso: 42 toneladas.

Comprimento: 10,1 m.

Largura: 3,20 m

Altura: 2,37 m.

Tripulação: 4I

Inclinação frontal: 60º

Inclinação lateral: 40º

Passagem de vau: 1,2 m

Obstáculo vertical: 1,15 m

Armamento: Canhão GIAT de 120 mm e alma lisa, 1 metralhadora 7,62 mm coaxial e uma metralhadora M-2 de 12,7 mm anti-aérea. 12 lançadores de fumaça de 66 mm.

IMAGEaHR0cDovL2FkbWxvZy5maWxlcy53b3JkcHJlc3MuY29tLzIwMTEvMDgvb3NyaW9fMTEuanBn

IMAGEaHR0cDovL3d3dy50b2NhZGFjb3RpYS5jb20vd3AtY29udGVudC9nYWxsZXJ5L2JhbmRlaXJhLWRvLWJyYXNpbC9iYW5kZWlyYS1kby1icmFzaWwtOC5qcGc=

Bruno
Bruno #Wiking-SS
, Ribeirão Das Neves, Minas Gerais, Brasil
Publicações em Destaque