.

Xbox 360 ganha produção nacional

Enviado por Malvaso, , 0 comentários
Console da Microsoft, que já está sendo feito no Brasil desde o início deste mês, terá redução de preço de R$ 600


Na indústria globalizada, as estratégias de produção e distribuição de produtos são orquestradas para garantir a maior rentabilidade possível. E quando uma nova geração de determinado produto está em fase de lançamento, inicia-se a produção do antigo em outro mercado, de menor impacto, com preços mais brandos que suas versões importadas. Foi assim como PlayStation 2, que hoje é fabricado no Brasil, da mesma forma que já tinha ocorreido com aparelhos da Nintendo, o Super Nintendo e o Nintendo 64, que também só ganharam produção local quando perderam fôlego no Japão, Estados Unidos e Europa.


Agora é vez do Xbox 360 receber o rótulo "Made in Brazil". Afinal, o aparelho está no mercado internacional, desde 2006. E, quando se trata de um equipamento eletrônico, cinco anos é uma eternidade. A imprensa internacional prevê que seu sucessor, apelidado de Xbox 720, chegue às lojas entre o final de 2013 e o início de 2014.


A Microsoft não deixa claro se a operação consiste em prensar DVDs, produzir o console propriamente dito ou ambos. A empresa também não explica quem será o responsável pela manufatura. "A Microsoft anunciou, oficialmente, o início da fabricação local de jogos, permitindo à empresa oferecer melhores preços aos consumidores, a partir deste mês em lojas de varejo", informou a gigante, por meio de nota oficial.


Na verdade, não há nenhuma simpatia com o consumidor tupiniquim. E o processo segue os mesmos conceitos do segmento automotivo, em que determinados modelos só passam a ser fabricados em mercados emergentes, quando uma nova geração está prestes a ser lançada em suas principais praças. No caso dos automóveis, as matrizes precisam remover o maquinário antigo para dar lugar ao ferramental do novo modelo. Daí desova-se toda a parafernália para as filiais.


No caso dos eletrônicos o processo é parecido, mas há uma adaptação industrial menos agressiva e o desafio fica em criar uma estratégia de vendas que compense a migração. "O Brasil é um mercado muito importante para a Microsoft e estamos sempre explorando novos modelos de negócios e oportunidades, para expandir nosso alcance geográfico onde faz sentido para o nosso negócio e para os clientes", conclui a nota.


A Incomp, distribuidora oficial do Xbox 360 no Brasil, aponta que o preço final do console cairá R$ 600. A versão de entrada, com memória interna de 4 GB, passará a custar R$ 699, o mesmo que é cobrado pelo PlayStation 2 nacional. Já a versão topo de linha, equipada com disco rígido de 250 GB, por sua vez, será oferecido por R$ 999. Não é nenhuma pechincha, pois a opção mais simples custa o equivalente a US$ 436.


Nos Estados Unidos, o mesmíssimo aparelho custa US$ 199, que daria algo em torno de R$ 320. Ou seja, o brasileiro ainda pagará mais que o dobro do que é cobrado lá fora. Mesmo assim, é menos proibitivo que antes. No entanto, é recomendável que o consumidor tenha um pouco de paciência, antes de correr para as lojas. É que a distribuidora não definiu quando os novos preços passam a vigorar – duro, não é?!


Varejistas do setor acreditam que a nacionalização do Xbox 360 causará uma explosão de vendas do aparelho. De acordo com o gerente financeiro da Brother Games, Geraldo Magela, a medida é muito bem vinda, pois, além de elevar as vendas, irá conter o mercado informal de jogos. "Desde o final do ano passado que o Xbox 360 caiu no gosto do consumidor, por causa do Kinect. Agora, esperamos um crescimento ainda maior, pois não é só o console que terá redução de preço, mas os jogos também", aponta Magela que afirma que cada título custará entre R$ 79 e R$ 129. Hoje, ainda há jogos que não saem por menos de R$ 250.


Magela, que é representante oficial da Microsoft em Belo Horizonte, também aposta que a manobra da Microsoft irá forçar uma queda de preço das concorrentes Sony e Nintendo. "A medida vai sacudir o setor e os concorrentes terão que rever sua estratégia de preço. senão irão perder terreno para o Xbox 360", prevê.


Por hora, nem a Sony e nem a Nintendo se manifestaram sobre o assunto. Mesmo assim, a dona da marca PlayStation anunciou que o PS3 manterá o preço de R$ 1.399 até o final de outubro. Já a Big N afirma que não há planos de reduzir o preço do Wii, que hoje custa R$ 800.
Malvaso
Enviado por Malvaso
Membro desde
52 anos, Ribeirão Prêto, Sao Paulo, Brasil
label