.

A Era do Absurdo Tecnológico

Enviado por RipadorBR, , 3 visualizações, 0 comentários
A chapa está esquentando!

Mais uma análise nua e crua das polêmicas criadas sobre os jogos e que sempre vamos ter tomar partido. Hoje a conversa é mais perturbadora que a da coluna anterior que, conforme os comentários postados, gerou controvérsia e discussão que é o principal objetivo desta coluna.

Recebi um e-mail de um site oferecendo o jogo Peter Jackson's King Kong: The Official Game of the Movie. (Veja o link do anúncio - [url]hide:aHR0cDovL3d3dy5nYW1ldmljaW8uY29tLmJyL2NvbHVuYXMva2luZ2tvbmcuaHRt[/url] ).

Acho que pelo anúncio vocês já sabem qual o assunto dessa coluna "Dualidade do jogo". Não vou falar do preço, já que esse ainda é assunto sem solução no Brasil, fiquei espantado mesmo, foi com a configuração mínima para rodar a edição especial para gamers.

Simplesmente "animal" (em todos os sentidos). King Kong abriu a "Porteira do Absurdo" que todos temíamos, há algum tempo já estava esperando qual dos fabricantes iria finalmente extrapolar nos requisitos de um jogo. Enquanto algumas pessoas ainda falam de Doom 3, Half Life 2, Rome Total War, Fear e outros menos cotados, a Ubisoft foi a primeira a partir para o que vamos chamar aqui de "Era do Absurdo Tecnológico".
O mais engraçado no anúncio é o atrevimento de usar as duas placas de vídeo top lançamento de cada fabricante, ou seja, como se já não bastasse a nossa dificuldade de acesso ao produto, ainda vamos ter que analisar os preços... Que para as duas placas são para lá de Reais (R$ em ambos os sentidos).

O que nos força a imaginar e instigar a pensar que, isso só pode ser jogada de marketing para aumentar as vendas desses produtos, que devido ao custo estão indecentes e fora do alcance e necessidade de vários dos gamers em qualquer parte do mundo. Na verdade, a partir de agora, a procura e interesse pelo "absurdo tecnológico" vai aumentar muito, até por que, não havia necessidade no mercado de tê-los para jogar qualquer um dos lançamentos. Depois de ser considerado o melhor jogo de filme do ano de 2005, King Kong agora se tornou o marco divisório entre o possível e o imaginário, entre o rela e o sonho/pesadelo, em suma amigos, começou a "Corrida do Ouro", quem tem... que vá as compras.

Discutir o que um jogo desses oferece é improdutivo, pois o jogo é realmente fantástico. O que vamos ter que analisar de agora em diante é a inovação em jogos de versões diferentes: Versões "Primo Rico" e "Primo Pobre". Apesar de ser completamente fora da realidade brasileira, enquanto as produtoras e distribuidoras continuarem lançando as duas versões não vamos ter grandes mudanças no mercado, basta vermos e ficarmos de olho para ver até quando isso vai durar.

O que muda agora? Os jogos antes vinham com configurações top para placas top de linha e nós configurávamos na hora de jogar, a partir desse momento mudou, ou seja, o jogo determina em que computador vai rodar. Essa mudança torna-se simplesmente um divisor de águas na história dos jogos, haja dinheiro para agüentar as pressões da indústria e seus avanços. Se a moda pegar segurem-se em suas cadeiras, pois seu micro nunca mais será o suficiente.

Por enquanto, o positivo na novidade é para quem tem dinheiro pra investir e potencializar seu equipamento, sendo que isso é muito bom. Surgem agora novos desafios para turbinar o PC, antes de comprar faça uma boa pesquisa de mercado para que não fique frustrado em ter comprado gato por lebre. Agora não haverá a velha desculpa "O Vendedor Me Falou Que Essa Era A Melhor", de hoje em diante gato é gato, lebre é lebre ou "pato é pato".

Amigos da GameVicio entramos na "Era do Absurdo Tecnológico"... E durma-se com um barulho desses!!!

Está na dúvida??? Tira suas conclusões...
RipadorBR
Enviado por RipadorBR
Membro desde
48 anos, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil
label