Análise | Monster Hunter Rise: Sunbreak

Análise | Monster Hunter Rise: Sunbreak

Bora caçar ainda mais?
#Análises Publicado por Akuma, em

Monster Hunter é uma franquia bastante consolidada da Capcom, a qual atingiu de vez seu sucesso aqui no Ocidente com o lançamento de Monster Hunter World em 2018. De lá pra cá, Monster Hunter se tornou a franquia de maior sucesso de vendas da empresa. Monster Hunter Rise é um lançamento paralelo a linha principal, a qual já teve sua análise feita aqui. Lançado inicialmente exclusivamente para Switch, foi lançado posteriormente para PC e Consoles. O mesmo ocorreu com sua expansão denominada Sunbreak. Será que essa adição de conteúdo faz jus a recepção tão positiva do jogo base, bem como ao sucesso da franquia como um todo? É o que vamos descobrir logo abaixo. Lembrando que essa análise será majoritariamente livre de spoilers.

IMAGEaHR0cHM6Ly9zdGF0aWMuZ2FtZXZpY2lvLmNvbS9pbWFnZW5zX3VwL2JpZy85MS8wOTAyNzMuanBn

História

IMAGEaHR0cHM6Ly9zdGF0aWMuZ2FtZXZpY2lvLmNvbS9pbWFnZW5zX3VwL2JpZy85MS8wOTAyNzQuanBn

A história de Sunbreak começa imediatamente após os eventos que finalizam a campanha do jogo base. Após deter a calamidade chamada Frenesi do jogo principal em Kamura, o seu caçador é chamado para ajudar a investigar e deter um evento ainda mais perigoso e cataclísmico do que o anterior. Para isso, você será levado para um novo local chamado Elgado, centro de base de pesquisa principal dessa nova aventura. Chegando lá você irá conhecer uma completa nova gama de NPCs que irão te ajudar nesse desafio nunca antes visto pelos habitantes dali.

Enquanto Kamura possui uma temática mais Oriental remetendo ao Japão Feudal, Elgado possui uma temática medieval europeia que lembra muito a Transilvânia, possuindo castelos e fortalezas, com um belo céu em tons de crepúsculo em roxo. Além disso os novos monstros possuem inspirações em monstros clássicos da literatura de terror, como lobisomens, vampiros etc. É um sopro de ar fresco muito bem vindo nos visuais e temáticas.

IMAGEaHR0cHM6Ly9zdGF0aWMuZ2FtZXZpY2lvLmNvbS9pbWFnZW5zX3VwL2JpZy85MS8wOTAyNzUuanBn

Como todos os títulos mais frequentes da franquia, a história de Sunbreak apresenta basicamente um pano de fundo que ajuda a justificar toda a ação e pancadaria a qual você será exposto. A história é legal de acompanhar, tendo um teor leve e divertido em sua maior parte do tempo, com algumas pitadas de momentos de mais seriedade. Porém é importante dizer que a história não é o motor que vai mover suas ações ou algo do tipo, nem tão pouco será algo inesquecível ou que te fará grudar na cadeira para saber cada vez mais e mais. Quanto aos personagens, Elgado está recheada de novos NPCs, os quais particularmente achei mais carismáticos que os de Kamura no geral (com exceção das excelentes Hinoa, Minoto e Yomogi). Apesar de bons novos personagens, o foco de Monster Hunter é sempre outro, e é justamente isso que iremos abordar no tópico abaixo.

IMAGEaHR0cHM6Ly9zdGF0aWMuZ2FtZXZpY2lvLmNvbS9pbWFnZW5zX3VwL2JpZy85MS8wOTAyNzYuanBn

Gameplay e Combate

Particularmente, acho a gameplay de Rise melhor que a do World por um simples motivo: Possibilidades de movimentação. Enquanto o World possui mais etapas para se atingir um objetivo, o Rise é mais direto ao ponto em suas caçadas. É questão de gosto, visto que as duas formas são igualmente divertidas, só tendo um foco mais claro em uma ação ou outra. Enquanto o jogo base já apresentava uma gama gigante de movimentos rápidos de escalada de parede e desvios no ar, Sunbreak amplia tudo isso colocando mais novidades de movimentação que expandem ainda mais o leque de possibilidade na exploração e no combate. Um ótimo exemplo disso é que agora você pode equipar diferentes perfis de comandos de combate para sua arma, podendo alterar a qualquer momento durante o combate. Enquanto que no jogo principal você deveria escolher e equipar os perfis de golpe de sua arma antes de partir para a caçada, agora basta aperta L2+O+X no meio da luta que seu caçador irá mudar para o segundo perfil. Isso amplia bastante as possibilidades durante o combate, pois é possível equipar golpes e habilidades completamente diferentes entre si nos dois perfis. Eu gosto bastante de usar a Glaive Inseto, pois é uma arma muito versátil e forte sem abrir mão de sua velocidade. Enquanto que em um perfil eu usava de golpes verticais um pouco mais lentos com dano maior, combinados com ataques no ar mais rápidos, no segundo perfil equipei golpes mais rápidos e menos potentes no chão, combinados com golpes mais cadenciados no ar. Isso abre uma margem muito interessante de mudar de estratégia no meio do combate dependendo da estratégia que o monstro enfrentado exigir.

É claro que não podemos deixar de citar a principal adição dessa expansão, que é o Ranking Mestre. Como tradição da franquia, o ranking mestre é o ranking mais avançado, onde podemos encontrar as missões mais difíceis do jogo, que possuem como recompensa os itens mais avançados para craftar armas e armaduras de níveis mais altos, o que é muito importante visto a força devastadora dos monstros aqui. É extremamente divertido e viciante colecionar os novos equipamentos e armas mais fortes do jogo. Vale lembrar que todos os monstros do jogo base possuem versões de ranking mestre. Além disso os ferreiros oferecem novas opções de engastes e joias de ranking mestre para você equipar. Portanto se prepare, pois não será tão fácil.

IMAGEaHR0cHM6Ly9zdGF0aWMuZ2FtZXZpY2lvLmNvbS9pbWFnZW5zX3VwL2JpZy85MS8wOTAyNzcuanBn

Além disso, existem novos itens que podem ajudar também na movimentação do personagem, como as Aranhas Marionetes, que são aranhas coletadas no mapa que servem para te aproximar do monstro durante o combate, agindo como um gancho de aproximação e montaria, ou até mesmo servindo de auxílio para desviar. Além disso também há dois novos besouros (wirebugs) que podem ajudar no combate, especificamente na mecânica de montar os monstros. A variante dourada concede quedas de material extra quando você está montando em algum monstro, enquanto a versão vermelha faz com que os monstros que você monta causem muito mais dano em seu oponente. Saber balancear isso pode ser o segredo para conseguir aquele drop mais raro desejado, ou até mesmo ajudar a derrotar um monstro específico em um tempo menor.

Como se já não bastasse tudo isso, agora seus parceiros fiéis de batalha também receberam novos recursos de batalha. Ao fazer missões secundárias para alguns NPCs você desbloqueia golpes e habilidades especiais para seu Amicão e Amigato. Essas habilidades podem ser de suporte focado em cura e buff pro seu caçador ou até mesmo novos ataques poderosos especiais contra monstros. Cabe a você aumentar a quantidade de slots máximos de habilidades a serem equipadas, pois cada habilidade pode ocupar diferentes quantidades de slots dependendo do nível delas. Portanto não deixe de fazer essas missões secundárias sempre que possível.

Uma nova adição muito bem vinda são as Missões de Suporte, que são missões offline onde algum NPC te pede ajuda para caçar algum monstro. Ao concluir um número determinado de missões de suporte de um mesmo NPC, o mesmo passará a ficar disponível para te ajudar nas caçadas durante o jogo, servindo quase como uma ajuda humana em praticamente todas as missões do jogo caso você assim deseje, podendo ser escolhidos ou não antes de partir pra cada missão. Vale ressaltar que quando um NPC de suporte desmaia durante a missão, esse desmaio não é contado para o fracasso da missão. Portanto você pode abusar da ajuda de até 2 NPCs simultâneos basicamente sempre que quiser, sem por em risco sua missão. A IA deles é muito boa, e cada um deles possui um perfil de combate diferente, com alguns focados em cura, e outros focados 100% em combate e dano. Achei essa mecânica extremamente interessante, visto que a IA não te atrapalha, as curas deles funcionam bem (muitas vezes fui salvo no último segundo por eles ao ser curado), além de ser uma boa opção para quem não gosta de jogar online. Um único ponto a ser discutido aqui é que isso pode facilitar até demais certas missões, pois apesar dos monstros ter mais HP com mais membros na party, essa ajuda acaba tornando algumas missões muito fáceis, tirando um pouco do desafio de enfrentar eles de forma solitária. De qualquer forma achei uma ótima adição.

Vale também ressaltar que as missões de Cerco ao Frenesi do jogo base não estão de volta aqui. Ou seja, nada daquelas missões de ficar protegendo a aldeia de hordas intermináveis de monstros. Particularmente fiquei muito feliz em não ter que fazer mais dessas missões novamente, pois sentia que elas quebravam o ritmo do ação do jogo.

Quanto ao online ele melhorou em vista ao jogo principal. Ainda que seja mais burocrático do que o World, onde era só disparar um sinal de SOS durante ou missão ou já entrar na missão online desejada, sinto que entrar em um loft online e conseguir participar de missões online ficou mais simples em relação ao jogo base. A conexão fluiu muito bem e sem engasgos ou travamentos. De qualquer forma ainda acho desnecessariamente burocrático ter que conversar com um NPC para ser jogado em um servidor online, além de as vezes ter q esperar alguns minutos para conseguir achar uma caçada interessante.

IMAGEaHR0cHM6Ly9zdGF0aWMuZ2FtZXZpY2lvLmNvbS9pbWFnZW5zX3VwL2JpZy85MS8wOTAyNzguanBn

Apesar de todas as novidades apresentadas até então, senti falta de uma maior gama de monstros novos. O início da expansão é muito parecido com o jogo base, com poucos monstros novos logo de cara. Felizmente a partir do segundo e terceiro ranking da expansão, os novos monstros começam a aparecer mais e mais. Porém fiquei com a sensação que poderiam haver mais novidades aqui, com o jogo podendo abusar um pouco menos de variações dos mesmos monstros enfrentados no jogo base, aquele conhecido "palette swap", onde uma mesma criatura de cor e elemento diferente vale como um novo monstro. Apesar disso, há monstros bem mais interessantes aqui, com visuais mais distintos e variados. A quantidade é pequena, porém a qualidade dos monstros novos é alta. De qualquer forma este é um ponto que poderia ser um pouco melhor. Também sinto falta da diferença de armaduras entre rankings. Enquanto que no World a cada ranking novo as armaduras dos mesmos monstros possuíam diferenças visuais entre si, aqui são basicamente as mesmas armaduras esteticamente falando, não importando se é ranking baixo ou ranking mestre. Também senti bastante falta das variações Alfa e Beta das armaduras que são presente no World, onde cada criatura rendia de duas até mesmo três armaduras diferentes com visuais e habilidades diferentes. Para um colecionista como eu isso faz falta. Vale lembrar que cada jogo tem sua proposta, portanto isso não chega a ser um defeito em si, sendo somente um detalhe mesmo o qual eu senti falta.

Detalhes Técnicos

Quanto a parte técnica o jogo não deixa a desejar. No PS4 o jogo roda muito bem com opções de 30 FPS em Full HD ou a 60 FPS em uma resolução menor. No PS5 o jogo roda a 4K 60FPS sem problemas. Por ser um jogo originalmente de Switch, os gráficos de Sunbreak não se equiparam ao do World, porém há um capricho aqui na direção de arte dos novos cenários e mapas que são lindos, além dos detalhes dos monstros que são um show a parte. Independente da plataforma escolhida você terá um jogo muito bem otimizado no geral. Não presenciei bugs visuais ou técnicos em minha experiência. Vale mencionar que joguei antes do lançamento oficial, portanto, antes do patch de correções que foi disponibilizado no lançamento, e mesmo assim não tive nada que atrapalhasse a experiência geral.

IMAGEaHR0cHM6Ly9zdGF0aWMuZ2FtZXZpY2lvLmNvbS9pbWFnZW5zX3VwL2JpZy85MS8wOTAyNzkuanBn

Considerações Finais

Apesar de eu ter tido algum pouco contato com a franquia no PS2/PSP/3DS, foi somente no World que eu mergulhei de vez nesse mundo, e que de vez a fórmula clicou de vez comigo. Monster Hunter Rise conseguiu manter essa fórmula bem viva em mim, aumentando ainda mais o carinho que sinto pela franquia, com sua expansão tornando o que era bom ainda melhor. Com mecânicas mais diretas ao ponto, com mais foco no combate do que no rastreio do monstro em si, Monster Hunter Rise pode ser a melhor porta de entrada atual da franquia para novatos, bem como uma excelente porta de retorno para quem já possui experiência na franquia, com Sunbreak sendo um conteúdo de luxo que adiciona até centenas de horas de novos conteúdo e desafios para os já amantes de Rise. O jogo base já me rendeu tranquilamente 130 horas de diversão, enquanto que Sunbreak até o momento me rendeu 90 horas sem eu nem ter conseguido fazer todas as secundárias ainda, porém isso vai variar de acordo com seu ritmo e objetivos de repetição e colecionismos. Sunbreak é simplesmente obrigatório para qualquer fã da franquia.

9.2
Nota
Monster Hunter Rise: Sunbreak é um prato cheio obrigatório para quem quer mais sensação de caçada
Prós
  1. Novos movimentos que dão mais dinâmica ao combate e exploração
  2. Combate ainda mais diversificado
  3. Temática de horror clássico combinou muito com a atmosfera do jogo
  4. NPCs ainda mais carismáticos do que os do jogo base
  5. Novos cenários possuem uma belíssima direção de arte
Contras
  1. Poucos monstros novos que não sejam variação dos já existentes
  2. Início com poucas novidades causando uma sensação de repetição do jogo base
  3. Armaduras de ranking mestre não possuem um visual distinto
Akuma
Akuma #TelaBrancaDoAkuma

Jogador desde criancinha, e assim será até a velhice.

Colaborador do Site, Curitiba
Publicações em Destaque
#Games, Por VSDias55,
#Games, Por VSDias55,
#Games, Por VSDias55,