Epic Games enfrenta reclamação trabalhista por se recusar a contratar uma sindicalista para sua empresa

Epic Games enfrenta reclamação trabalhista por se recusar a contratar uma sindicalista para sua empresa

Funcionária sindicalista teve seu currículo negado pela Epic, e por conta disso, ela denunciou a empresa
#Mundo Publicado por Billy Butcher, em

Uma queixa trabalhista foi apresentada ao Conselho Nacional de Relações Trabalhistas contra a Epic Games, autores de Fortnite, acusando a empresa de se recusar a contratar alguém devido aos seus esforços em defesa dos direitos dos trabalhadores.

O The Washington Post (TWP) relata que a queixa foi apresentada por uma ex-funcionária da Activision Blizzard e da Apple, que se candidatou a um emprego na Epic no final de 2021.

Após quatro rodadas de entrevistas, ela recebeu um formulário de solicitação de atividade externa que pedia que ela divulgasse "qualquer esforço que você faça fora do trabalho que possa se sobrepor ao seu papel potencial na Epic". Em sua resposta, ela mencionou que estava aconselhando membros do movimento trabalhista Apple Together e testemunhando perante o governo federal sobre práticas trabalhistas justas.

Dois dias depois, a Epic informou a ela que escolheu dar o papel a outro candidato. A requerente acredita que isso se deve ao seu trabalho de advocacia, dizendo ao Post:

"[Eu] agora realmente desconfio da indústria em geral e sinto que minha voz, juntamente com as vozes dos outros no local de trabalho, são vistas como uma responsabilidade, em vez de uma parte importante de fazer grandes locais de trabalho."

A funcionária já apresentou acusações semelhantes ao NLRB contra a Mozilla e tem três acusações em aberto contra a Apple, incluindo uma por retaliação contra trabalhadores e criação de um ambiente de trabalho hostil que a levou a deixar a empresa em novembro.

No ano passado, ela compartilhou sua história de assédio sexual durante seu mandato na Activision Blizzard. A porta-voz da Epic Games, Elka Looks, confirmou ao Post que a queixosa foi entrevistada para um cargo na empresa, que o formulário de solicitação de atividade externa foi recebido após a decisão de contratação ter sido tomada e que seu trabalho de advocacia já era conhecido no início do processo de recrutamento.

"O currículo e a inscrição deste candidato incluíam um link para seu site pessoal", explicou Looks. "O site detalha sua atividade de organização, e essa informação não influenciou em nossa decisão de prosseguir com as entrevistas."

Ela acrescentou:

"Oferecemos o cargo para outra pessoa que obteve pontuação mais alta em suas entrevistas... A forma não desempenhou nenhum papel em nossa decisão."

O NLRB está investigando a denúncia. Se encontrar evidências suficientes, emitirá uma reclamação formal contra a Epic Games.

Billy Butcher
Billy Butcher #BillyButcher

Um grande fã de jogos e filmes dos gêneros Stealth e Ficção-Científica.

Tenho uma paixão imensa pela franquia Metal Gear Solid, na qual considero a minha favorita, porém também sou um grande amante das sagas Halo e StarCraft.

Moderador do Site, Volta Redonda, Rio de Janeiro
Deixe seu comentário para sabermos o que você achou da publicação
Não se esqueça que você pode participar do nosso Discord.
E também nos seguir no Facebook, Twitter, Instagram e na nossa curadorida da Steam.
Publicações em Destaque