Cary Fukunaga, diretor de 007 No Time To Die, diz que o James Bond de Sean Connery abusava das mulheres

Cary Fukunaga, diretor de 007 No Time To Die, diz que o James Bond de Sean Connery "abusava das mulheres"

A contratação de roteiristas femininas para o novo 007 tem como objetivo mudar todo esse lado agressivo de Bond às mulheres
#Cinema Publicado por Billy Butcher, em

James Bond é um dos maiores ícones britânico. Ele é um espião ágil, sofisticado e sedutor. Ele é conhecido por seu jeito com as mulheres, mas por ter existido desde os Anos 60, muito de seu comportamento e atitudes não se sustentam hoje. O diretor do No Time To Die, Cary Fukunaga, reconheceu recentemente esse fato.

Em uma entrevista para o The Hollywood Reporter, Fukunaga disse:

"É Thunderball ou Goldfinger onde, tipo, o personagem de Sean Connery estupra uma mulher? Ela fica tipo 'Não, não, não' e ele, 'Sim, sim, sim.' Isso não funcionaria hoje."

Existem cenas de estupro em ambos os filmes. Em Goldfinger, Bond se impõe a Pussy Galore, um dos muitos nomes fortemente sexualizados de Bond, em um celeiro. Para piorar as coisas, no romance de Ian Flemming em que o filme se baseia, esse estupro torna a lésbica Galore heterossexual.

Tanto no livro quanto no filme, ela se apaixona por Bond após a agressão, enviando uma mensagem clara de que não não significa não e que as mulheres estão simplesmente bancando o difícil. Em Thunderball, Bond é colocado em um dispositivo de alongamento por um bandido, e um assistente de spa o encontra e acredita que foi um acidente.

Ele a coage a fazer sexo com ele sob a ameaça de ele mentir para o chefe dela sobre isso. Ele então a puxa para uma sauna e começa a estuprá-la. Até mesmo o Bond de Daniel Craig tem uma cena muito questionável em Skyfall, onde ele se junta a Sévérine no chuveiro, sem ser convidado, após saber que ela foi vítima de tráfico humano e estupro. Há uma mensagem clara em todos os filmes e séries de livros de que Bond pode resolver qualquer problema com sexo.

No Time To Die, o filme de Bond mais longo até o momento, começou a ser desenvolvido em 2016, pouco antes de as estrelas de Hollywood que foram abusadas sexualmente começarem a usar a hashtag #MeToo após inúmeras acusações contra o produtor Harvey Weinstein. Parece que Fukunaga, o primeiro americano a dirigir um filme de Bond, está ansioso para garantir as mudanças de Bond no futuro.

"Você não pode transformar Bond da noite para o dia em uma pessoa diferente", diz ele, "mas você pode definitivamente mudar o mundo ao seu redor e a maneira como ele deve funcionar nesse mundo."

Para tanto, ele solicitou à escritora britânica Phoebe Waller-Bridge, escritora e estrela de Fleabag, que trabalhasse no rascunho do roteiro de No Time To Die. Ele refuta a ideia de que ela foi criada para tornar o roteiro mais "suave", e a produtora Barbara Broccoli, que trabalha na série Bond desde 1977, confirmou que também está feliz por Bond estar mudando.

“Acho que as pessoas estão aceitando, com alguns chutes e gritos, que essas coisas não são mais aceitáveis”, diz ela.

"Graças a Deus. Bond tem uma longa história, e a história do passado é muito diferente da maneira como ele é retratado agora, e principalmente, no seu futuro."

Billy Butcher
Billy Butcher #BillyButcher

Um grande fã de jogos e filmes dos gêneros Stealth e Ficção-Científica.

Tenho uma paixão imensa pela franquia Metal Gear Solid, na qual considero a minha favorita, porém também sou um grande amante das sagas Halo e StarCraft.

Moderador do Site, Volta Redonda, Rio de Janeiro
Deixe seu comentário para sabermos o que você achou da publicação
Não se esqueça que você pode participar do nosso Discord.
E também nos seguir no Facebook, Twitter, Instagram e na nossa curadorida da Steam.
Publicações em Destaque
#Games, Por VSDias55,
#Games, Por DreadnaughtBR,
#Games, Por VSDias55,