Sledgehammer Games provoca ter ganhado luz verde da Activision Publishing para criar uma Nova IP

Sledgehammer Games provoca ter ganhado luz verde da Activision Publishing para criar uma Nova IP

Caso seja concretizada, será a nova nova franquia da editora em mais de 10 anos
#Games Publicado por Billy Butcher, em

De todas as principais editoras Third-party na indústria de videogames, a Activision (ignorando sua holding Activision Blizzard) é historicamente a que menos lança novas franquias e jogos diferentes um dos outros, gostando de ficar no comodismo e aproveitar o máximo possível das franquias na qual ela já tem.

Por um lado isso muitas vezes causa uma estagnação de criatividade e saturação no mercado, mas por outro lado, gera muito lucro, e não é atoa que mesmo adotando desse formato, a empresa obtém mais sucesso que todas suas rivais, sendo a Editora N°1 em termos de valor de mercado e receita, estando muito acima do 2° Lugar (EA) e 3° Lugar (Take-Two).

Apesar de tudo isso, um fato conhecido é que quando a Activision resolve criar uma Nova IP, sempre é um grande monstro na indústria. Nomes como Call of Duty, Tony Hawk's, Crash Bandicoot, Skylanders e Guitar Hero são muito lembrados por serem franquias que arrecadam bilhões de dólares, e em suas épocas de lançamentos, mudaram todo o mercado de jogos.

Parece que a Activision pode estar saindo da toca outra vez, desde que sua última Nova IP, Skylanders, foi lançada em 2011, franquia essa que arrecadou US$ 1,2 bilhão em apenas 3 dias de seu lançamento, revolucionando o conceito de Toys-for-life.

Em uma entrevista com a VentureBeat, o chefe da Sledgehammer Games, deu a entender que o estúdio do próximo Call of Duty: Vanguard pode ter ganhado luz verde da Activision Publishing para criar uma Nova IP.

Questionado sobre onde a Sledgehammer, autores de Call of Duty: Modern Warfare 3, Call of Duty: Advanced Warfare e Call of Duty: WWII deseja ir no futuro, Andy Wilson disse que o estúdio está atualmente "totalmente investido" em Call of Duty, mas ele sugeriu que isso não será para sempre.

“O mais importante para a nossa equipe é que queremos ter projetos interessantes e empolgantes para trabalhar constantemente”, disse ele.

“Obviamente, Call of Duty é um grande pilar no estúdio. É o nosso foco principal, aquilo em que estamos totalmente investidos agora. Neste momento."

“Se houver outras coisas no futuro para as quais olharmos também, vamos reservar um tempo para pensar sobre todas essas coisas. Culturalmente, fazemos isso também. Reservamos um tempo para respirar ocasionalmente e pensar sobre aonde queremos ir."

A Sledgehammer, com sede em San Francisco, Califórnia, tem enfrentdo grandes desafios nos últimos anos, com a saída de seus fundadores Bret Robbins, Michael Condrey e Glen Schofield em 2018 e, mais recentemente, perderam o controle do Call of Duty: Black Ops Cold War para a Treyarch devido a problemas internos entre o estúdio e a Raven Software.

O caso recente de "quase breakdown" da Sledgehammer Games nos remete muito a tragédia de 2010/2011 na Infinity Ward, um aclamado estúdio que deu vida ao primeiro Call of Duty e principalmente a sub-série mais importante da franquia, Modern Warfare, em 2007, e que foi sabotado por sua própria dona, Activision.

IMAGEaHR0cHM6Ly9pLmliYi5jby9NN0ZqdFZXL1NsZWRnZWhhbW1lci1HYW1lcy5qcGc=

Ambos Condrey (31st Union), Robbins (Ascendant Studios) e Schofield (Striking Distance) estabeleceram novos estúdios perto de sua antiga empresa, e dezenas de funcionários da Sledgehammer Games deixaram a empresa para se juntar a eles.

Muitos outros também escolheram ir para outros estúdios após o lançamento do problemático e criticado Call of Duty: WWII, com cerca de 100 pessoas entre 300 desenvolvedores deixando o estúdio, de acordo com a VentureBeat.

A Sledgehammer Games está em fase de reconstrução desde então, abrindo novos escritórios em Melbourne, Austrália e Toronto, Canadá, e "em breve" empregará 500 funcionários, de acordo com Wilson.

“Houve um grande atrito no estúdio após o lançamento de Call of Duty: WWII, principalmente em 2018”, disse o chefe do estúdio Aaron Halon à VentureBeat.

“No desenvolvimento de jogos, esses podem ser pontos de partida naturais para muitas pessoas, mas obviamente neste ponto para nós houve outras mudanças também."

“Na época, o estúdio estava se concentrando em um plano de longo prazo para o futuro, incluindo nossa expansão para Melbourne e o início do que se tornaria Call of Duty: Vanguard."

“Várias pessoas também voltaram ao longo do caminho, além de todos os grandes novos talentos que vimos entrar no estúdio. Como você pode ver hoje, estamos maiores, mais fortes e, acima de tudo, mais saudáveis ​​do que nunca."

Internamente, o estúdio se chama de "Sledgehammer 2.0", uma empresa renascida do zero em 2018, não carregando e herdando nada daquele velho e impulsivo estúdio fundado em 2009, conhecido por ter gerado Modern Warfare 3, Advanced Warfare e WWII.

Call of Duty: Vanguard, o novo jogo da Sledgehammer, será lançado oficialmente em 05 de Novembro de 2021.

Billy Butcher
Billy Butcher #BillyButcher

Um grande fã de jogos e filmes dos gêneros Stealth e Ficção-Científica.

Tenho uma paixão imensa pela franquia Metal Gear Solid, na qual considero a minha favorita, porém também sou um grande amante das sagas Halo e StarCraft.

Moderador do Site, Volta Redonda, Rio de Janeiro
Publicações em Destaque