Presidente da PlayStation Studios, Hermen Hulst, fala sobre o fechamento da SIE Japan Studio

Presidente da PlayStation Studios, Hermen Hulst, fala sobre o fechamento da SIE Japan Studio

Também comentou sobre os problemas de Crunch-Time na indústria de videogames
#Games Publicado por Billy Butcher, em

Durante uma entrevista com o coletivo da Game Informer, Hermen Hulst, atualmente no cargo de Presidente da PlayStation Studios, falou em 360° sobre a nova estratégia da SIE (Sony Interactive Entertainment) para se manter forte no mercado de videogames, onde se expande do mercado de Single-player para explorar ideias experimentais de todos os tipos, seja com um Jogo multiplayer ou Jogo cooperativo.

Entre as questões mais delicadas da entrevista, Hulst deu seu ponto de vista pessoal sobre ''The Crunch-Time Culture'' que, infelizmente é algo que vem aumentando de 2017 pra cá, e já causou muitos desastres em diretores, designers, e até mesmo impactos muito negativos em estúdios inteiros.

Na opinião de Hermen Hulst, quem fala sobre esse delicado assunto tende a fazer considerações apressadas e superficiais e nem sempre levar em conta todos os fatores envolvidos:

"Eu li alguns artigos sobre o assunto de Crunch-Time, e sempre acho que é uma simplificação de tudo o que precisa ser feito. Eu poderia resumir dizendo: 'Nós não fazemos crunch e eu não gosto nem um pouco de crunch', mas não é o suficiente.''

''Pode ser tão estressante para um desenvolvedor estar subocupado quanto trabalhar muitas horas ou em algo que não está claro, ou entrar em um estúdio e se sentir invisível. São tantos os problemas que afetam o bem-estar de nossos estúdios.''

''Posso dizer com confiança que eliminar o Crunch-Time não vai ser o suficiente para melhorar o bem-estar de nossos desenvolvedores. Precisamos fazer muito mais por eles. E é um tópico muito importante."

Passando para outro tema, Hulst falou sobre o catalógo de jogos exclusivos vindo pela PlayStation Studios, onde há pouco tempo foi dito por ele que a divisão tem 25 novos jogos. Hulst reiterou que:

''Ainda temos muito trabalho em andamento que ainda não mostramos.''

O ex-diretor de Killzone e Horizon Zero Dawn e fundador da Guerrilla Games, como já noticiamos antes, também disse que mais portes de jogos de PlayStation 4 para PCs continuarão chegando, mas o foco da Sony é continuar a produzir títulos exclusivos para o PS5.

Por fim, houve uma menção a hoje extinta SIE Japan Studio, um histórico estúdio que foi encerrado pela PlayStation em abril de 2021. Como já foi apontado, a subsidiária já vinha sofrendo de reduções há uns anos, sendo mais um estúdio secundário do que primário na geração do PS4.

Apesar da óbvia ocidentalização e maior foco na América do Norte e Europa que se materializou nos últimos 10 anos, a Sony continua ancorada nas suas raízes orientais, segundo Hermen Hulst, que acrescentou:

“Estamos construindo a Team Asobi sob o comando de Nicolas Doucet, por isso estamos investindo nessa equipe. As pessoas as vezes se esquecem disso, mas também temos a Polyphony Digital, que é um estúdio dividido em dois países.''

''Também estamos investindo em nosso grupo de desenvolvimento externo em Tóquio, que já trabalhou junto de nomes como a Bluepoint Games, FromSoftware e Kojima Productions. Portanto, estamos muito comprometidos com o desenvolvimento de jogos japoneses, que continua sendo algo que amamos.''

Billy Butcher
Billy Butcher #BillyButcher

Um grande fã de jogos e filmes dos gêneros Stealth e Ficção-Científica.

Tenho uma paixão imensa pela franquia Metal Gear Solid, na qual considero a minha favorita, porém também sou um grande amante das sagas Halo e StarCraft.

Moderador do Site, Volta Redonda, Rio de Janeiro
Publicações em Destaque