Activision Blizzard | Novo relatório fala sobre o estado atual da Blizzard Entertainment e suas milhares de demissões

Activision Blizzard | Novo relatório fala sobre o estado atual da Blizzard Entertainment e suas milhares de demissões

Muitos diretores e grandes mentes vem saindo da empresa, mas porque?
#Games Publicado por Billy Butcher, em

Muito se fala do estado atual da Blizzard Entertainment, uma divisão da Activision Blizzard, recebida pela empresa após a fusão da Vivendi / Sierra + Activision em 2008.

Atualmente com o foco maior da empresa sendo Call of Duty no lado Activision das coisas, no qual foram deslocados seus 9 estúdios para dar ênfase nesse fator, o que se passa dentro da Blizzard Entertainment parece no mínimo estranho, parando para analisar cuidadosamente de 2018 para cá.

Nesse intervelo, 3 divisões da Blizzard foram encerradas, bem como o estúdio original e principal da empresa, o Team 1, no qual forjou títulos como StarCraft, StarCraft: Brood War, Warcraft 3, StarCraft II, Heroes of the Storm, e as 2 expansões de StarCraft II.

Isso significa que mais de 900 funcionários da Blizzard foram perdidos nos últimos 3 anos, e fora isso, tivemos a saída de diretores e chefões de todos os lados, incluindo a perda dos diretores principais e até mesmo do presidente original da empresa, sendo Mike Morhaime, Jason Chayes, Dustin Browder, Chris Sigaty, Eric Dodds, Jeff Kaplan, David Kim, e muitos outros.

Exatamente o que está acontecendo na Blizzard? Porque de repente a empresa começou a sangrar tão profundamente de forma interna? A IGN divulgou um recente relatório sobre o assunto, após entrevistar alguns funcionários da empresa, bem como alguns ex-funcionários, que falaram um pouco sobre o estado atual da Blizzard Entertainment.

"Jeff Kaplan foi sincero quando se despediu da equipe e disse a eles o quão orgulhoso estava de tudo o que fomos capazes de realizar juntos e como ele estava confiante no que muitos de nós consideramos ser uma das maiores equipes de desenvolvimento no indústria", disse Aaron Keller, que sucedeu Kaplan como diretor do Overwatch 2, em entrevista a IGN.

"Foi um momento emocionante ouvir isso de alguém que você sabia que falava sério e acreditou."

Embora a Blizzard diga que sua rotatividade voluntária está significativamente abaixo da média da indústria e que as saídas entre os desenvolvedores que estão na empresa há mais de 10 anos estão na verdade diminuindo, várias saídas de alto perfil contribuíram para o sentimento entre os fãs, a mídia e muitos dentro a empresa que a Blizzard está passando por um êxodo.

“Kaplan foi a última pessoa sobre a qual conversamos, 'Quanto tempo ele vai durar?' Porque ele é o último grande golpe”, disse uma fonte da Blizzard que concordou em falar longamente com a IGN sobre o estado da empresa (e pediu para ser mantida anônima para este relatório).

“Então, até certo ponto, agora que ele se foi, eu nem sei quem mais poderia fazer algo de grande na empresa. Eu nem acho que você vai ouvir sobre alguém dessa magnitude.''

A imagem que surge é complicada. Muitos dos desenvolvedores que falaram com a IGN disseram que ainda são leais ao que a Blizzard representa em suas mentes, mesmo que estejam mais confusos em algumas das mudanças nos últimos anos.

Mas mesmo que gostem da história e cultura da Blizzard, muitos ainda estão optando por partir. Algumas das saídas são uma consequência natural do esgotamento que acompanha trabalhar no mesmo jogo por mais de uma década, outras são porque sentem uma oportunidade de perseguir o projeto dos seus sonhos em um setor atualmente inundado de capital de risco.

E alguns são porque sentem que a Blizzard está em declínio nos últimos três ou quatro anos em meio a demissões, cortes no orçamento e falta de lançamentos importantes, e que é hora de seguir em frente.

Isso deixou a Blizzard em uma encruzilhada, e não está claro o que isso significará para a amada editora enquanto tenta traçar um retorno à glória que definiu seus melhores anos.

Esse forte sentimento de orgulho informa muito sobre a cultura da Blizzard, e suas equipes de desenvolvimento tendem a ser unidas e muito estáveis ​​ao longo dos anos. Muitos de seus funcionários também são fãs.

O diretor de World of Warcraft, Ion Hazzikostas, era um líder da guilda hardcore auto-intitulado de World of WarCraft que administrava um site da comunidade e se correspondia com os desenvolvedores da Blizzard.

O diretor de Diablo Immortal, Wyatt Cheng, cresceu jogando Lost Vikings, e disse a IGN que se inscreveu na Blizzard quatro vezes em seis anos antes de finalmente ser aceito na Blizzard North. Sua história lhe dá uma atração igualada por poucas outras empresas.

“Foi um sonho que se tornou realidade quando pude atravessar os portões da Blizzard e transformar meu hobby em uma carreira, em uma vocação”, diz Hazzikostas.

Reprimida, a Blizzard procurou reverter a narrativa crescendo na BlizzCon 2019 e anunciando Diablo IV e Overwatch 2. A Blizzard foi realmente capaz de dar a seus fãs motivos para ficarem entusiasmados novamente, levantando o ânimo dentro da empresa, mas seu lançamento ainda demorou anos longe.

Embora a Blizzard tenha hospedado uma grande transmissão ao vivo de Overwatch 2 ontem, ela não será lançada até 2022, no mínimo. Falando com a IGN, o analista Andrew Uerkwitz, diretor-gerente da empresa de serviços financeiros Jefferies, especulou que poderia ser tão tarde quanto 2023 antes que a Blizzard lançasse o Overwatch 2, possivelmente para se alinhar com o quinto aniversário da Liga Overwatch.

Exteriormente, a Blizzard ainda está indo muito bem. World of Warcraft: Shadowlands foi uma expansão comparativamente bem-sucedida, ajudando a levar a um aumento de receita geral de cerca de 7 por cento de acordo com seu relatório de ganhos mais recente.

Mas a Blizzard também eliminou outros 2 milhões de usuários ativos mensais [MAU], que Uerkwitz atribui em parte ao declínio do Overwatch.

“A Blizzard está passando por uma transição interna bastante longa, eu acho, obviamente mudando alguma gestão em toda a linha e reposicionando suas IPs. Estamos no final dessa transição, eu acho, e no próximo ano será o primeiro tipo de lançamento de como será a Blizzard renovada.''

''Então, normalmente, quando você está no final de uma transição, está perdendo muitos jogadores”, diz Uerkwitz.

Mas, enquanto isso, os funcionários da Blizzard sentiram o impacto da diminuição da participação nos lucros, um pagamento duas vezes anual vinculado às metas de lucro da Blizzard e ao desempenho individual dos funcionários.

“Todos os anos eles ficavam tipo, 'Oh, você sabe, é apenas um período de descanso. Não estamos enviando nada. Mas tipo, provavelmente vai melhorar no próximo ano. E eu pensei, uh... mas eu posso fazer a matemática. Tipo, estávamos a anos de lançar qualquer coisa em 2018”, disse uma fonte da Blizzard.

Keller reconhece as grandes lacunas entre os lançamentos.

“Eu entendo que é difícil para os jogadores esperar. Eu entendo isso, e acho que é muito importante que Overwatch 2 seja lançado o mais rápido possível. Mas quando lançamos a próxima edição de nossos jogos, as pessoas voltam a ele, e acho que a razão disso é porque sabem que estamos dedicando um tempo para tornar o jogo o melhor possível”, ele diz.

“Você pode ver isso como pressão, mas internamente nossa equipe não vê a pressão de fazer o Overwatch 2, mas sim como trazer todos esses jogadores de volta ao nosso jogo ou como aumentar o público?”

Fonte: IGN
Billy Butcher
Billy Butcher #BillyButcher

Um grande fã de jogos e filmes dos gêneros Stealth e Ficção-Científica.

Tenho uma paixão imensa pela franquia Metal Gear Solid, na qual considero a minha favorita, porém também sou um grande amante das sagas Halo e StarCraft.

Moderador do Site, Volta Redonda, Rio de Janeiro
Deixe seu comentário para sabermos o que você achou da publicação
Não se esqueça que você pode participar do nosso Discord.
E também nos seguir no Facebook, Twitter, Instagram e na nossa curadorida da Steam.
Publicações em Destaque