Discord baniu milhares de servidores por serem extremistas violentos

Discord baniu milhares de servidores por serem "extremistas violentos"

Boogaloo Boys e QAnon são um deles.
#Segurança Publicado por coca, em

Hoje em dia o Discord é uma das principais plataformas usadas para se comunicar, fazer amizades e muito mais, o foco do Discord sempre foi para a comunidade gamer, mas nem todos os servidores são assim e alguns passaram dos limites. Segundo um relatório do Discord que foi publicado essa semana, o Discord baniu e removeu mais de 1.500 servidores por casos de extremismo violento.

Servidores que foram criados por "organizações radicais", "conspiradores perigosos", "grupos militarizados e associações de extremismo violento", foram banidos da plataforma entre julho e dezembro de 2020. Um dos motivos desse grande aumento de público "diferente" foi por causa do Covid-19, no qual o Discord teve um grande aumento de público que era de 100 milhões de usuários ativos mensais em junho para 140 milhões em dezembro de 2020. Também foi divulgado que mais de 3 milhões de contas foram banidas por spam e por compartilhar conteúdo proibido, assédio e ameaças.

Grupos como os "Boogaloo Boys" e grupos conspiratórios perigosos como "QAnon" foram banidos. O Discord diz que continua acreditando que não há lugar na plataforma para grupos que se organizam em torno do ódio, da violência ou de ideologias extremistas. A equipe de Truth & Safety removeu de forma proativa 1.504 desses servidores. Esse aumento pode ser atribuído à expansão dos esforços anti-extremismo, bem como as tendências crescentes no espaço do extremismo online. Uma das tendências online observadas neste período foi o crescimento do "QAnon" e foram banidos mais de 334 servidores relacionados ao QAnon.

Fonte: Discord
coca
coca

Me segue lá no Twitter.

Equipe do Site, Narnia do oeste ao lado sul do norte meio oeste
Deixe seu comentário para sabermos o que você achou da publicação
Não se esqueça que você pode participar do nosso Discord.
E também nos seguir no Facebook, Twitter, Instagram e na nossa curadorida da Steam.