Recepção da imprensa e do público é destoante. Talvez esteja na hora de ignorar números.
Publicado por Renatito, em .
Apesar da recepção mista por parte do público de The Last of Us Part 2, o Metacritic, um agregador de notas de críticas, mostra uma pontuação de 95/100, com uma infinidade de jornalistas dando 10, os quais a Naughty Dog está feliz em divulgar. Enquanto isso, as pontuações dos usuários situam-se em 39/100, com base em mais de 31.000 análises e contagens, das quais mais de 20.000 são negativas. Todos esses números não têm sentido.

As análises de usuários no Metacritic começaram a aparecer quase assim que o jogo foi lançado. Muito disso provavelmente foram reviews bomb, uma prática na qual as pessoas intencionalmente inundam um jogo com críticas negativas. A Forbes observou que o jogo teve mais de 5.000 avaliações de usuários com apenas 12 horas de lançamento, sugerindo "a menos que as pessoas façam speed runs e depois vão imediatamente ao Metacritic para postar avaliações irritadas de 0/10... algo suspeito está acontecendo claramente".

O jogo nem sequer dura dois dias completos; de 25 a 30 horas, é improvável que muitas dessas críticas negativas, mesmo levando em conta as regiões onde o jogo foi lançado mais cedo, sejam de pessoas que o terminaram. Um contingente de jogadores ficou contra The Last of Us Part 2 desde o trailer da E3 de 2018, mostrando a personagem Ellie em um relacionamento lésbico, e isso se intensificou ainda mais após os vazamentos de abril. No Metacritic, grande parte das críticas reflete isso, chamando o diretor Neil Druckmann de "Cuckman" e criticando a "propaganda SJW" do jogo. "Esta é uma propaganda política, não um jogo", escreveu um usuário.

Outras críticas negativas são mais fundamentadas, com reclamações sobre a história do jogo, citando furos de roteiro e personagens improváveis. "Infelizmente, esta sequência destrói as conquistas notáveis ​​do primeiro jogo", escreveu um crítico. "Depois que você terminar, literalmente haverá nada!" escreveu outro. Muitos jogadores não gostaram do que o jogo faz com alguns de seus amados personagens, com um escrevendo que a história de um personagem era "um insulto completo ao personagem".

Embora as críticas negativas superem em muito as positivas, também existem mais de 800 críticas mistas até o momento, e mais de 8.500 positivas. “Expressões faciais incomparáveis, level design incrível, áudio e gráficos fenomenais fazem deste um dos mundos mais bonitos já criados... A história é chocante e real”, diz uma das críticas positivas.

Para comparação, o geralmente desprezado Fallout 76 para PS4 tem uma pontuação dos críticos (imprensa) de 53 contra uma pontuação de usuário de 2,8, com base em 4.601 avaliações. O desastroso Anthem tem uma pontuação dos críticos de 54 em comparação com uma pontuação de usuário de 3,5, com base em 1.268 avaliações. Mass Effect 3, cujo final provocou muita insatisfação entre o público, teve uma pontuação dos críticos de 93 contra 5,7 dos jogadores com mais de 1.921 avaliações. Esses números dos críticos não refletem todos os sites que não usam notas nas reviews ou que diminuíram números ou alteraram a forma como são utilizados - a Polygon, por exemplo, parou de usar notas em 2018, enquanto a IGN removeu pontuações em janeiro. (Enquanto isso, a Kotaku nunca usou números.) Em todos esses casos, no entanto, tanto a pontuação dos críticos quanto a dos usuários no Metacritic parecem representar pelo menos uma imagem razoável das recepções desses jogos.

Seja a quantidade impressionante de críticas negativas de The Last of Us Part 2, de jogadores predispostos a odiar o jogo ou daqueles que legitimamente o acharam ruim, a discrepância entre as pontuações dos críticos e dos usuários é notável. Existem muitos problemas com o Metacritic: as classificações tem efeitos sobre os desenvolvedores de jogos, a facilidade com que os jogadores podem abusar deles, para citar alguns. Basear o seu senso de qualidade de um jogo em números é uma tarefa fácil; As pontuações do Metacritc falham em levar em consideração as diversas opiniões críticas do jogo (várias análises de usuários acusam essas notas positivas de serem pagas) e as inúmeras análises não pontuadas (como as da Kotaku, entre outras).

Alguém olhando apenas as notas dos jornalistas acreditaria que o jogo é amplamente amado, mas quando se olha para as críticas negativas dos usuários ele percebe que algo está errado no final das contas. Além disso, a quantidade e o barulho das críticas dos usuários tornariam ainda mais difícil dizer como os jogadores realmente se sentem sobre o jogo. O Metacritic, apesar de ter se tornado uma métrica supostamente importante para avaliar a qualidade de um jogo, mostra um monte de números sem sentido, muito pouco se mostra do que os jogadores estão realmente achando do jogo.

Se você quiser saber como é The Last of Us Part 2, ignore os números. Leia resenhas de alguns sites em que você confia, pergunte a um amigo o que ele achou do jogo até agora ou assista a uma gameplay no YouTube antes de comprá-lo.
renatito91
Renatito #renatito91
Historiador e fã de Xbox
Moderador do Site, 28 anos, Recife
Deixe seu comentário para sabermos o que você achou da publicação
Gosta do site e quer ajudar a o manter online? Apoie-nos!.
Não se esqueça que você pode participar do nosso Discord.
E também nos seguir no Facebook, Twitter, Instagram e na nossa curadorida da Steam.