Publicado por Kang-O_Conquistador, em .
Clique para ver a imagem em tamanho original

O criador de God of War , David Jaffe , rebateu os críticos do protagonista da série Kratos , expressando frustrações por aqueles que comparam seu retrato do personagem com a sequência de 2018 do Santa Monica Studio.

Jaffe criou a franquia God of War e atuou como diretor até God of War 2 , que também foi co-dirigido por Cory Barlog. Barlog passou a dirigir God of War 2018, que tem sido amplamente considerado um dos melhores exclusivos do PS4.

Como o último jogo do GoW se concentra nas lutas de Kratos em aceitar o passado violento ao mesmo tempo em que cria seu filho, Jaffe reclamou que acreditava que o anti-herói havia sido descaracterizado após o lançamento do jogo em 2018.

"Devo afirmar continuamente que Kratos NUNCA foi um misógino na serie God Of War. Como em tudo - Jaffe twittou . "O que me irrita é ver 'jornalistas' usarem esse jogo para justificar suas teses sobre a história de GOD OF WAR 2018".


Clique para ver a imagem em tamanho original

Jaffe continuou a defender o personagem, acrescentando : "Misoginia é definida como ódio e aversão as mulheres. Isso não está correto.

"Kratos está usando as mulheres para seu próprio propósito egoísta? Sim. Ele é totalmente egoísta. Eles estão usando ele para o mesmo? Quem sabe. Mas todos estão se divertindo (e deixamos isso super claro). Se você acha que o sexo casual e consensual, onde a única razão pela qual você deseja fazer sexo é a sua gratificação pessoal, é misoginia, então tudo bem, é isso que é. Mas nunca vi ninguém usar isso para definir misoginia.

God of War sempre foi conhecido por suas cenas sexuais, com cada entrada da série principal apresentando um mini-jogo que mostrava Kratos envolvido em atividades sexuais com personagens femininas.

No entanto, o momento mais controverso da série ocorreu em God of War 3 , um jogo que não foi dirigido por Jaffe, no qual Kratos forçou a Princesa de Poseidon a segurar uma manivela para abrir dois portões, que a esmagariam até a morte no final. Essa cena foi usada para iluminar retroativamente uma luz negativa sobre as origens do GoW , embora Jaffe tenha servido apenas como consultor no GoW 3 , ele não era diretamente responsável pela inclusão dessa cena polêmia em GoW 3.

Jaffe não trabalha formalmente na série desde God of War 2 de 2007 , com seu último lançamento sendo Drawn to Death de 2017 .
Kang-O_Conquistador
Kang-O_Conquistador
Colaborador do site
Deixe seu comentário para sabermos o que você achou da publicação
Gosta do site e quer ajudar a o manter online? Apoie-nos!.
Não se esqueça que você pode participar do nosso Discord.
E também nos seguir no Facebook, Twitter, Instagram e na nossa curadorida da Steam.