Publicado por Evil E., em .
Clique para ver a imagem em tamanho original


Origem de NFS & Estúdios da Franquia


Need for Speed é uma franquia criada em 1994, em parceria entre a Electronic Arts e a Road Truck, revista especializada em Carros esportivos, que inclusive, cedeu o nome ao jogo. O jogo foi desenvolvido pela EA Canada, que anos depois viria a se tornar o estúdio que hoje como conhecemos como Black Box Studio. E lançado para 3DO, PlayStation, Sega Saturn e uma versão para PC dependendo do desempenho durante um evento.

Estúdios da franquia Need for Speed



Clique para ver a imagem em tamanho original


A franquia foi criada originalmente pela Black Box Studio (quando se chamava EA Canada) em 1994, e foi a principal desenvolvedora da franquia até 2011, criando os grandes títulos e que marcaram muito em sua época até hoje, e que pra muitos, são os jogos favoritos, como Underground 1 e 2, Most Wanted, Hot Pursuit 1 e 2, Carbon e Pro Street. O estúdio veio á ser fechado pela Electronic Arts em 2013, após seu último lançamento, Need for Speed: The Run, ter sido um fracasso de críticas e vendas.


Clique para ver a imagem em tamanho original


Criterion Games, produtora e criadora da franquia Burnout e do FPS Black, também trabalhou com Need for Speed, sendo designada e criadora do Reboot de 2010, Need for Speed: Hot Pursuit, aclamado jogo da franquia em que você pode jogar como Piloto e Policial, o jogo foi destaque daquele ano, devido ao seu número arrojado de veículos e ter sido o jogo que trouxe o Sistema Online de NFS, o Autolog. Criterion também veio á trabalhar em Need for Speed Most Wanted 2012, Reboot do jogo original de 2005, que apesar de ter sido muito divertido, não é adorado pelos fãs devido á escassez de conteúdo na história e sua progressão não ser bem construída, por ter vários veículos de Ranking alto espalhados gratuitamente no Mundo-Aberto do jogo.


Clique para ver a imagem em tamanho original


Slightly Mad Studios, desenvolvedora de Need for Speed Shift 1 e Shift 2: Unleashed, também trabalhou na franquia. O estúdio ficou conhecido por ter voltado ao realismo na franquia, e com isso, ter criado a subssérie que por alguns na anos bateu de frente com Forza Motorsport e Gran Turismo, ambos Exclusivos de Xbox e PlayStation. Devido ás baixas vendas de Shift 2: Unleashed, o estúdio acabou por desvencilhar da Electronic Arts, e hoje produz a franquia Project CARS, na qual o estúdio considera um sucessor espiritual para NFS Shift.


Clique para ver a imagem em tamanho original


Ghost Games, atual desenvolvedora da franquia Need for Speed, é um estúdio fundado na Suécia, pelos antigos diretores da Black Box Studio e Ex-funcionários da Bizarre Creations e Codemasters, para dar sequência aos jogos da franquia. O Estúdio começou sua carreira em 2013, lançando Need for Speed Rivals, um jogo que segue o formato de Hot Pursuit, porém com algumas mudanças, como a incluição de Acessórios de ataque para os veículos Corredores (Antes era exclusivo para os carros da Polícia), além de cada capítulo do jogo ter uma série de objetivos á se cumprir. O estúdio também são os criadores do Reboot de 2015, Need for Speed, de Need for Speed Payback em 2017, e mais recentemente, Need for Speed Heat, lançado em 2019.

Jogos da franquia Need for Speed


1997 - Need for Speed II



Clique para ver a imagem em tamanho original


Need for Speed II, desenvolvido pela EA Canada/Black Box Studio, é a sequência direta do jogo de 1994, NFS, contém corridas que são realizadas em diversas pistas ambientadas em lugares diferentes do mundo. Cada carro possui características (como aceleração, curva, velocidade, etc.) diferentes e possuem uma visão de cockpit detalhada. A trilha sonora muito elogiada é composta por Músicas Eletrônicas e e Heavy Metal, além de algumas faixas de Folk Metal.

Need for Speed II é elogiado principalmente pela sua evolução gráfica, além de ter acrescentado o modo Multiplayer á franquia, que é destaque até os dias de hoje, além de conter 7 Pistas dedicadas, e ter como destaque a evolução do modo perseguição contra policiais.

1998 - Need for Speed III: Hot Pursuit



Clique para ver a imagem em tamanho original


Need for Speed III: Hot Pursuit, como o título já diz, é o início de uma subsérie da franquia Need for Speed até hoje, e que ao contrário de seus jogos anteriores, em que a Perseguição era algo adicional, neste jogo, ela foi a prioridade. O jogo conta com 18 Carros, sendo 2 exclusivos para os Policiais, e ter trazido de volta o modo Single Race, que havia sido algo removido de NFS II no ano anterior.

O jogo conta com 14 Pistas, que se ambientam principalmente em cenários fantasiosos dos Estados Unidos, Reino Unido, e Austrália. Need for Speed III: Hot Pursuit também foi o primeiro jogo da franquia em que podemos escolher se queremos jogar de Dia ou de Noite, além de ter opção de jogar com Chuva/Neve ou nenhuma das opções. O jogo foi um dos maiores destaques de vendas daquele ano, o que levou a franquia Need for Speed á patamares que nem mesmo a Electronic Arts estava esperando para sua época.

1997 e 1999 - Spin-Off Need for Speed: V-Rally 1 e 2



Clique para ver a imagem em tamanho original


Os 2 Spin-Offs NFS V-Rally 1 e 2 foram uma das maiores surpresas que se distanciavam muito do formato original da franquia, criados pela Black Box/EA Vancouver e Eden Games. No jogo você pode correr com 15 carros (10 carros já disponíveis, e 5 liberados depois) em 10 pistas de rally, garantindo muita lama e sujeira. Existem 3 modos de corridas, o Aventure, Action e Secret.
V-Rally foi considerado o melhor jogo de rally em 1997, e foi o 4º jogo de corrida mais vendido no ano. Sua sequência, lançada em 1999 para PlayStation, PC, DreamCast e Nintendo 64, acabou por levar o nome apenas de V-Rally 2: NFS, como uma Franquia própria dentro da logo da marca.

A sequência de V-Rally é considerada por muitos uma regressão aos jogos clássicos, apesar da evolução gráfica e da introdução de mais modos e carros, o jogo sofreu muito com diversos problemas de otimização e bugs, além da Inteligência Artifical dos carros no jogo não ser tão funcional como nos anteriores.

1999 - Need for Speed IV: High Stakes



Clique para ver a imagem em tamanho original


Sendo sequência de NFS 3 Hot Pursuit, High Stakes vem em 1999 com a missão de re-trabalhar a franquia Need for Speed ao molde original criado em 1994, porém não sendo completamente Simulador e apelando mais ao estilo Sim-cade. Desenvolvido pela EA Vancouver, o jogo marcou sua época pela instrução dos modos High Stakes, Getaway e Time Trap.

O Modo Carreira tem uma série cronológica de torneios que desafia o jogador a completar um conjunto de 8 corridas de carro por troféus para desbloquear os carros bônus e faixas, incorporando um sistema de recompensa monetária que permite a um jogador para comprar upgrades de veiculos, como o desempenho reparação, bem como ao ganhar dinheiro pela corrida. Além disso, cada Copa exige o jogador competir contra um oponente em uma corrida High Stakes. Algo que foi incorporado anos depois ao formato de NFS Most Wanted em 2005, de maneira mais re-trabalhada.

High Stakes também tem uma certa curiosidade perante aos outros jogos da franquia, um número reduzido de pistas, 11, porém, desta vez foram de Países oficiaise suas localizações, como EUA, Espanha, Itália, Alemanha e outros.

2000 - Need for Speed: Porsche Unleashed



Clique para ver a imagem em tamanho original


Diferente de outros títulos de NFS, Porsche Unleashed gira em torno de carros esportivos da fabricante Porsche, com modelos de corrida fabricados entre 1948 e 2000. O jogo é conhecido pela sua ampla informação sobre a marca Porsche e seus carros. Uma grande característica do jogo é a condução dos carros bem realista, bem como os sons, efeitos sonoros e gráficos muito bons.

Porsche Unleashed é um dos jogos que acabou por servir de molde à outra franquia conhecida nas corridas, Gran Turismo 3, além de servir de inspiração para um NFS que veio 9 anos depois, Shift.

Porsche Unleashed foi considerado um dos melhores gráficos já criados em sua época, com grande destaque aos cenários, sons dos carros e sensação de velocidade muito bem aplicados, de forma que estabeleça um balanço entre o Simulador e Arcade.

2002 - Need for Speed: Hot Pursuit 2



Clique para ver a imagem em tamanho original


Sendo desenvolvido pela Black Box Studio após ser adquirida pela Electronic Arts, Hot Pursuit 2 dá sequência ao jogo original lançado em 1998, e foi um dos maiores destaques da franquia até então.

Lançando para PS2, Gamecube, PC e Xbox, Hot Pursuit 2 leva os jogadores à gráficos inexplorados desde então nos jogos de corrida, com foto-realismo e uma dirigibilidade que remete à outra franquia de corrida da EA, Burnout. No jogo, houve a introdução de Gadjets onde o Policial pode usar para derrotar os Corredores das pistas, além da entrada de Câmera Takedown quando você ou algum piloto é destruído durante as corridas.

A versão do jogo criada para PlayStation 2 é considerada até hoje à melhor do jogo, onde trouxe ainda mais qualidade na fidelidade de carros e pistas. Foi o primeiro a ter falta da visão do cockpit, apesar dela aparecer em uma missão específica com uma Ferrari no PS2. Apesar disso, na câmera do para-choque (bump cam), aparecem o velocímetro e conta-giros do painel do carro. E todas as corridas são realizadas de dia.

2003 - Need for Speed: Underground



Clique para ver a imagem em tamanho original


Considerado por muitos (E por mim) como o melhor jogo da franquia Need for Speed, Underground leva a franquia à patamares muito elevados. Usando um pouco da cultura de sua época e usando como inspiração a franquia de filmes Velozes e Furiosos, Underground é um jogo em que se passa inteiro à noite, além de ter sido e ser até hoje referência no quesito Customização e Veículos disponíveis com alterações.

Os carros podem ser alterados com modificações de desempenho, bem como modificações visuais, como cores de pintura, luzes de néon, e no corpo do carro. Os jogadores têm a capacidade de aumentar o desempenho do carro aplicando atualizações de desempenho ao carro. O jogador pode atualizar o motor, a suspensão, os pneus e a unidade de controle do motor do carro. Eles também podem adicionar óxido de nitro e carregadores turbo, além de reduzir o peso do carro com um pacote de redução de peso.

NFS Underground foi lançado para Xbox, PC, PS2 e GameCube, e até hoje um dos jogos mais vendidos da franquia em uma época onde à pirataria reinava, outro grande destaque devido à sua qualidade elevada. Além disso, é o primeiro Need for Speed a possuir uma história, reiniciando a série. Underground revitalizou á franquia Need for Speed e foi um dos maiores marcos de sua época, sendo influência pra muitos outros jogos de corrida que se seguiram em diante, inclusive a si próprio, como um NFS.

O jogo possuí 6 Modos difrentes de corrida que se diferem bastante e variam de gosto à gosto aos quesito dos jogadores, com os modos Circuit, Knockout Race, Sprint, Drag, Drift eChallenge Series. O jogo também tem uma das melhores Trilhas Sonoras da franquia, com 26 faixas que vão de Pop, Punk, Rock, além de muitas músicas famosas de sua própria época.

O jogo conta no total com 20 Carros, que podem ser severamente modificados à seu gosto, além de um Mundo-aberto que dá destaque muito à uma Cidade semi-futurística, porém com leves tons Modernos.

2004 - Need for Speed: Undergound 2



Clique para ver a imagem em tamanho original


Sequência direta e anual de seu antecessor, Underground 2 desenvolvido pela Black Box Studio evolui a fórmula apresentada ao jogo anterior à um patamar ainda mais diversificado, além da gama de Customizações ter se superado à mais níveis.

O jogo traz novos recursos em relação ao anterior, o maior sendo uma cidade virtual para percorrer livremente em busca das corridas e lojas, Modo de Exploração (Free Roam). Além disso, há mais veículos, 29 no total, opções de tuning, novos modos de corrida e a adição de alterações climáticas.

A história do jogo começa quando o protagonista conduz um Nissan Skyline GTR R-34 modificado azul, o mesmo que fora usado para derrotar Eddie em Need for Speed: Underground. Uma noite, depois de uma corrida, ele recebe um telefonema de um homem que lhe oferece um lugar em sua banda. Ryan concorda. Quando ele dirige para o ponto de encontro, Samantha o chama dizendo que o assunto é quente e que as pessoas querem ver sua estrela e que ele chega em breve. É aí que tudo começa.

O Underground 2 utiliza a maioria das opções de personalização apresentadas em Need for Speed: Underground. Os jogadores podem modificar quase qualquer parte do veículo, como luzes, para-choques, espelhos laterais, equipamentos de som e Spinners. A classificação por estrela de Need for Speed Underground também é usada. A personalização do desempenho é tão abrangente quanto o ajuste visual. É permitido aos jogadores instalar várias modificações de desempenho em seu veículo.

Novas adições no Underground 2 incluem ajuste fino e Dyno Run para os jogadores ajustarem as habilidades de desempenho de seus veículos. Os jogadores serão oferecidos a aparecer na capa de uma revista depois de atingirem determinados níveis de classificação por estrelas. Os jogadores receberão um telefonema de Rachel para informar a localização da sessão de fotos, mas o jogador precisa alcançá-la antes que o fotógrafo saia. Os jogadores entrarão no modo de foto ao chegar à sessão de fotos. O jogador pode dirigir, exibir suas personalizações internas e utilizar diferentes ângulos de câmera para encontrar uma boa foto para a capa da revista.

No jogo, há uma gama ainda maior de modos de corrida, com a volta dos modos Drift, Drag, Sprint e Circuit, além da adição dos modos Outrun, Street X e Undeeground Race League (URL).

Underground não só foi um marco para sua sequência, como foi un recorde de vendas para a Electronic Arts, tendo vendido mais de 11 Milhões de cópias pelo mundo.

2005 - Need for Speed Most Wanted



Clique para ver a imagem em tamanho original


Focado em corridas clandestinas e se destacando mais uma vez por se diferenciar dos outros jogos, a Black Box Studio nos traz Need for Speed Most Wanted em 2005 e altera pra sempre os moldes originais da franquia NFS, que foram e são usados até hoje.

Em Most Wanted, o jogo conta uma História onde é usado Atores em Live-Action em quanto seu personagem apenas observa tudo acontecer. A trama começa 6 dias antes de uma disputa, a principal na primeira parte do jogo. Você está dirigindo sua BMW M3 GTR E46 pelas ruas de Rockport, quando encontra uma piloto de rua conduzindo um Mazda RX-8. Ambos começam a correr juntos, quando de repente, ao pararem num semáforo, e em cima da faixa de pedestres, aparece um Chevrolet Corvette C6R, pertencente ao Sargento Cross, um dos principais vilões do jogo. A piloto que corria com você consegue escapar, mas Cross se aproxima de você e começa a conversar. Ele e sua companheira de trabalho brincam arrogantemente, tanto com você quanto com seu carro. Ele afirma que as rachas na cidade foram extintas (uma vez que seu trabalho permitiu tal feito), e que tinha uma pequena surpresa para você, assim como para os outros corredores. Assim , ele manda você sair do carro e se prepara para prendê-lo, quando uma chamada de urgência acontece bem na hora. Cross e sua companheira ficam furiosos por terem que deixá-lo, mas o policial deixa bem claro que da próxima vez você não teria sorte. Como punição, ele pega as chaves do Corvette C6 e deixa um enorme risco na sua BMW M3.

No jogo, seu objetivo principal é entrar na Black List dos 15 pilotos mais procurados, e se tornar o primeiro. Derrotando Razor, e resgatando sua BMW.

Em Most Wanted, também é apresentado o Ranking de Perseguição, onde quanto mais você continua perseguindo os Policiais, mais o níveis e a dificuldade contra os policiais aumentam, com alterações e upgrade nos carros da Polícia, Aviões, Bloqueios de Pista e Cercos contra o corredor.

A Challenge Series inclui 68 eventos regulares e 2 eventos especiais adicionais, nos quais o jogador recebe a tarefa de vencer um tempo alvo em um evento Tollbooth ou vencer um marco dentro de uma perseguição.

O jogo também contou com 2 edições, a Black Edition de Need for Speed Most Wanted é uma edição de colecionador e foi lançada em comemoração ao décimo aniversário da série Need for Speed, apresentando conteúdo adicional do jogos e informações para desenvolvedores, além de carros extras. Já a Need for Speed: Most Wanted 5-1-0 Edition é um lançamento exclusivo para dispositivos portáteis para as plataformas PlayStation Portable, Game Boy Advance e Nintendo DS. A 5-1-0 Edition não apresenta nenhuma forma de condução em roaming gratuito, mas segue um estilo de jogo semelhante ao de Need for Speed: Most Wanted e permite que os jogadores joguem como policiais no modo de jogo Tuner Takedown .

Sua trilha sonora é composta 26 músicas focadas principalmente no Rock, sempre se destacando e trazendo um ápice de adrenalina nas Corridas e perseguições. O jogo conta com 37 carros no total, sendo sua capa de destaque para o jogo, a BMW M3 GTR.

Most Wanted superou todas e quaisquer expectativas da Electronic Arts em sua época, sendo o jogo da franquia NFS mais vendido até hoje, com 16 Milhões de cópias no total.

2006 - Need for Speed: Carbon



Clique para ver a imagem em tamanho original


Misturando elementos de Need for Speed Underground e Most Wanted, Carbon é a sequência direta da trama iniciada em 2005 no MW, criada pela Black Box Studio em que você, tendo recuperado sua BMW M3 GTR, tem agora um objetivo ainda maior nas corridas.

Depois de ser perseguido pela polícia na cidade de Rockport, o jogador, através do desfiladeiro de Carbon, foge para a cidade de Palmont. No entanto, durante a rota, um flashback do que parece ser uma corrida contra Kenji, Angie e Wolf vem à mente do personagem. Um incidente da polícia no final da prova obriga o jogador a fazer uma fuga precipitada de Palmont. Nos dias de hoje, o ex-sargento da polícia e agora caçador de recompensas Cross, em seu Chevrolet Corvette C6 Z06 persegue o jogador abaixo do desfiladeiro, fazendo com que sua BMW M3 GTR seja destruída. Pouco antes de Cross prender o jogador, Darius Tahmoh Penikett e seu clã chegam. Darius dá a Cross U$150.000, e o jogador se encontra com Nikki (interpretada por Emmanuelle Vaugier), uma ex-namorada, em condições ruins. Darius ao diz o jogador que com a ajuda de Nikki para limpar sua imagem, você deverá vencer as equipes de corrida rivais para ganhar território e para recuperar sua reputação como um corredor de rua em Palmont.

O jogo conta com 5 modos de Jogo, sendo eles os conhecidos Pursuit, Sprint e Carreira, além dos modos Canyon Duel e Last Man, que é voltado ao Online.

Carbon é elogiado pela trama bem desenvolvida devido à ser sequência direta de NFS MW além de ter recebido ainda mais número de carros, mas o jogo sofre de grsves problemas de Missões repetitivas, problemas na condução de alguns veículos e uma certo desgaste aos moldes da franquia, sendo considerado por muitos, um jogo genérico.

Mesmo com isso, NFS Carbon conseguiu configurar boas vendas, com 7 Milhões de unidades vendidas, mas foi a partir daí que a franquia Need for Speed foi se ré-alterando.

2007 - Need for Speed: ProStreet



Clique para ver a imagem em tamanho original


Se reformulando mais uma vez e de forma radical, a Black Box Studio reformular a franquia Need for Speed e nos trás uma experiência mais voltada ao Simulador com ProStreet, focada em corridas de circuitos e fechadas, além de uma temática mais robusta no quesito gráfico.

As corridas são realizadas nos Estados Unidos, Japão, Europa e México, além de ter ocorrido uma maior variedade entre elas, com mais de 10 modos diferentes, sendo cada um específico para um perfil único de jogador. Também vale notar que em ProStreet, os carros possuem 4 tipos de destruição por dano, trazendo um instinto mais Simulador.

ProStreet por ter fugido muito de suas origens, acabou por amargurar baixíssimas vendas, além do jogo ser muito criticado por seu excesso de Efeitos de Poeira que atrapalham à visibilidade em alguns momentos e pelo jogo possuir graves problemas na condução de veículos, com falhas tremendas na física e no peso dos carros.

2008 - Need for Speed: Undercover



Clique para ver a imagem em tamanho original


Mais um ano, mais um Need for Speed, e mais uma vez uma reformulação, agora com Undercover, NFS volta ao estilo de Most Wanted, com as corridas clandestinas e focados na Perseguição Policial, além de uma campanha ao mesmo estilo, com Atores famosos em Live-Action sendo a grande atração do jogo.

A este ponto, a Black Box Studio já estava desesperada, com os últimos títulos de NFS se metendo em controvérsias (Carbon e ProStreet), a empresa Canadense apostou todas suas fichas em um jogo que se assemelhasse ao seu grande sucesso de 2005, revitalizando e trazendo mais uma vez o aspecto Arcade como foco do jogo.

Undercover se desenvolve ao longo de 8 modos de jogo diferentes, em uma Nova engine construída pela Black Box Studio, a Heroic Driving Engine, criada em colaboração com a Criterion Games. Undercover sofreu de alguns problemas em seu lançamento no excesso de Bugs e Otimização, além do jogo ser criticado fortemente pela Trama e Histórias fracas além de um número muito reduzido de sistemas Online, e seu mundo-aberto ser redondamente menos atraente do que o de Carbon e Most Wanted.

Undercover não foi redondamente um fracasso, com mais de 6 Milhões de unidades, o jogo conseguiu render mais do que ProStreet, mas ainda teve vebdas muito abaixo das de Underground, Most Wanted e Carbon.

2009 - Need for Speed Nitro



Clique para ver a imagem em tamanho original


Sendo Exclusivo para o Nintendo Wii, e desenvovido pela EA Montréal, Need for Speed Nitro entra na vibe dos jogos com controle de movimento, sendo dito pela EA como um jogo focado para o público infantil/adolescente.

O jogo não possuí história,e foca em corridas casuais, onde seus Upgrades espalham diferentes tipos de Spray na cidade do jogo durante a corrida, além de diferentes tipos de Nitro em que variam suas colorações.

Nitro é considerado um dos piores jogos da franquia Need for Speed, amargurando baixíssimas vendas e sendo o primeiro passo no que fez a Electronic Arts mudar severamente à fórmula da franquia para os futuros jogos, além de ter servido para a adição da Criterion Games, estúdio de Burnout, ter assumido no Reboot de Hot Pursuit lançado em 2010.

2009 - Need for Speed: Shift



Clique para ver a imagem em tamanho original


Sendo o primeiro Need for Speed para Consoles de nova geração sem ter desenvolvimento por trás da Black Box Studio, a Slightly Mad Studios nos trás uma experiência revitalizada de Need for Speed que bebe completamente dos primeiros 2 jogos da franquia além de muita inspiração nos jogos de Forza Motorsport e Gran Turismo.

Shift trás uma experiência de Simulador focada essencialmente na condução e em sua física, muito completa e com física para destruição de veículos que é a mais bem aplicada da franquia NFS até então.

Uma das funções principais do jogo é a câmera do cockpit, que não aparecia em um Need For Speed desde Porsche Unleashed. A câmera do cockpit será livre, permitindo ao jogador 'mover a cabeça' do piloto, para poder ter uma visão melhor do espelho retrovisor, etc. Essa câmera também será afetada pela força G lateral. Também vale notar o destaque do número elevado de veículos disponíveis no jogo, mo total sendo 70 carros, o maior número de veículos que um Need for Speed já acumulou.

Com novo ar puro, e com um novo estúdio no comando, Need for Speed Shift configurou um sucesso comercial em 2009, retrabalhando a essência da franquia e mostrando que ainda havia espaço para um cenário Simulador em NFS.

2010 - Need for Speed: World



Clique para ver a imagem em tamanho original


Voltando à Black Box Studios, NFS World nos trás um MMORG (Massive Multiplayer Online Racing Game), sendo lançado exclusivamente nos PC.

Em World, o seu mundo é a junção dos mapas de Most Wanted, Carbon e Undercover, sendo um jogo que teve uma vida consideravelmente longa, continha uma galeria vasta de veículos, além de diversos modos e estilos próprios de corrida.

World continha uma caçada semanal de Jóias espalhadas pelo mapa na qual liberava peças de Upgrade ao seu veículo ao capturar todas na semana, que ficavam espalhadas pelo mapa inteiro. Por ser um jogo gratuito e online, World se alimentava inteiramente de Micro-Transações e conteúdos baixável (DLC), e com isso, facilmente foi impestado por Hackers, levando ao fechamento de seus servidores em 2017 e morte completa do jogo.

World fez muito barulho durante 2010-2013, tendo coletado neste período mais de 3 Milhões de jogadores em simultâneo, um marco histórico da franquia, que levou como inspiração um futuro jogo um tanto quanto cancelado pela EA, NFS Edge.

2010 - Need for Speed: Hot Pursuit



Clique para ver a imagem em tamanho original


Sendo o Reboot do clássico de 1998 e o primeiro NFS desenvolvido pela Criterion Games, Hot Pursuit nos trás de volta ao cenário das corridas de Piloto vs Polícia.

Hot Pursuit nos leva à cidade de Seacrest County, tendo missões como policial, correndo atrás dos competidores ilegais, e missões como corredor além de possuir o Autolog, sistema da Eletronic Arts que sincroniza suas missões e seu progesso com sua conta on-line.

Hot Pursuit é uma volta da série a suas origens e, como o nome sugere, é uma releitura do estilo dos jogos Hot Pursuit originais, com carros exclusivos e perseguições em alta velocidade. Nele, o jogador poderá jogar como policial, dirigindo até, um poderoso Pagani Zonda, e terá um modo de carreira para os dois lados.

O jogo foi destaque da E3 2010 com seu trailer de anúncio com a música Edge of the Earth, da banda 30 Seconds to Mars, além de ter conseguido o título de jogos com os melhores gráficos de 2010, superando títulos como Halo: Reach e Red Dead Redemption de sua mes época.

Hot Pursuit contém um dos maiores mapas da franquia Need for Speed, além de ter integrado e melhorado ainda mais o sistema Gadjets para os policiais, onde eles adquirem "armas" de combate contra os corredores, como o Míssil, Burn, Emp, Chamada de Helicóptero, Grade de Espinhos e Barragem Policial.

Hot Pursuit teve uma das maiores vendas da franquia NFS desde Most Wanted em 2005, com mais de 8.5 Milhões de Unidades vendidas e se tornando o 2 jogo mais vendido de 2010 pela Electronic Arts, com destaque à versão de Xbox 360 onde continha conteúdos Exclusivos, como carros bônus e DLC's antecipadas.

2011 - Shift 2 Unleashed, a NFS Production



Clique para ver a imagem em tamanho original


Retirando o nome Need for Speed como capa e utilizando-o apenas como Slogan, Shift 2 Unleashed: a NFS Production é um jogo desenvolvido pela Slightly Mad Studios, sequência direta de Shift de 2009, além de ter sido uma brilhante sequência em todos os níveis de Simulação, superando Gran Turismo 5, perdendo apenas para Forza 4.

Em Shift 2 Unleashed, o trará mais no total 145 carros de 37 fabricantes e 36 pistas diferentes, que os jogadores podem competir em diversos tipos de corridas. Os jogadores também são capazes de competir online, através do sistema Autolog. O jogo também conta com três novas adições principais ao jogo, a câmera no capacete, a corrida noturna e o recurso Autolog, introduzido inicialmente em Hot Pursuit 2010.

O jogo também recebeu diversos elogios pela auta fidelidade de realismo gráfico e físico, com destruições em massa, além de uma trilha sonora que se firma até hoje como uma das melhores para jogos de Corrida Simulador. O jogo também recebeu tremendos elogios pela variedade de detalhes em cada veículo e conter uma gama de Sound Design de cair o queixo.

O que não foi elogios são suas vendas, que ao contrário de NFS Shift de 2009, Shift 2 Unleashed acabou ficando com apenas 2 Milhões de Unidades, número muito abaixo das expectativas para a Electronic Arts, que fez com que a franquia Shift ficasse no limbo até hoje. É uma sequência de muito respeito e um dos melhores simuladores que você poderia encontrar na 7° Geração de Consoles, mas que pelo seu lançamento ter sido próximo ao de NFS Hot Pursuit, acabou por sofrer de baixo rendimento financeiro, sendo também o último Need for Speed produzido pela Slightly Mad Studios.

2011 - Need for Speed: The Run



Clique para ver a imagem em tamanho original


Sendo descrito originalmente como o Uncharted/Fast&Furious de Need for Speed, The Run foi o jogo que deu adeus à produtora original da franquia, a Black Box Studio. A empresa Canadense dedicou o maior investimento já visto em um jogo da EA naquele ano, superando os gastos de Battlefield 3, além de ter adotado pela primeira vez na história de NFS a Frostbite Engine.

Em The Run, você é Jake Rourke, um ex-mafioso que se meteu em briga com seus chefes, e estava prestes à morrer dentro de seu Porsche, depois de escapar utilizando um veículo roubado, Jake encontra Samantha, que coloca Jake na "The Run", uma corrida com outras 100 pessoas de Sam Francisco à Nova York com a premiação de 1 Milhão de Dólares de recompensa. No jogo, são utilizados diversos elementos diferentes até hojena franquia NFS.

Em The Run, o modo Campanha inteiro segue numa Trilha Singleplayer Linear Cinematográfica, que foi a primeira vez que NFS adotou isso, ao decorrer das corridas, você não só tem que sobreviver e vencer dos carros adversários, mas também de elementos climáticos como Avalanches, Terremotos, Blackouts, etc. O jogo também é o primeiro da franquia à permitir a saída do jogador de seu veículo, com momentos Cinematográficos em QTE (Quick Time Events) onde você escapa de balas, policiais, helicópteros, trems e outros obstáculos.

Por The Run seguir uma estrutura Cinematográfica Linear, o jogo teve uma drástica redução de customização, resumindo-se à Cor, Aerofólio, e Motor. Algo que foi muito criticado ao jogo.

A História de The Run tem duração média de 6-8 horas, e atravessa uma linha inteira dos EUA, como eu disse, ela vai de Sam Francisco à Nova York. O Sistema Online Autolog está de volta, com corridas Multiplayer em vários tipos e bem integradas.

No total, são 49 carros disponíveis em The Run, contendo mais 7 veículos bônus, que foram lançados exclusivamente no PlayStation 3, como uma parceria entre a Electronic Arts e a Sony em 2011. Outro fato curioso é o Porsche 911 Carrera 4S, que pode ser visto na cena de abertura do jogo durante a fuga de Jack no ferro velho, mas não é um carro jogável e só pode ser obtido através de hacks. Curiosamente este carro tem uma performance própria (indicando que ele talvez pudesse ser jogável) e um sistema de danos diferente dos outros carros do jogo (devido a cena inicial que ele está no compactador de lixo).

Por ser muito diferente de todos os Need for Speeds até então, The Run foi recebido com críticas mistas pelos jornalistas e jogadores, vendendo apenas 3.3 Milhões de Unidades e sendo considerado um fracasso comercial pela EA devido seu exagerado custo de produção, após isso, o estúdio Black Box foi fechado pela Electronic Arts, designando os diretores da empresa à fundar a Ghost Labs na Suécia, que segud como produtora da franquia nos dias atuais.

2012 - Need for Speed: Most Wanted



Clique para ver a imagem em tamanho original


Reboot do original de 2005, Most Wanted 2012 produzido pela Criterion Games é uma experiência que se remete totalmente à Burnout, porém carrega o selo Most Wanted em seu nome.

No jogo que não possuí história e que desta vez tem ainda menos customização do que The Run, Most Wanted 2012 traz de volta o Mundo-Aberto, perseguição policial e a lista dos 10 carros mais procurados para derrotar, à "Most Wanted".

O jogo usa 100% do Autolog em sua funcionalidade em Menus e Configurações, além de no mapa haver cerca de 30 veículos no total em quê contém carros grátis para o jogador continuar sua carreira, como "facilitadores" de corrida. Most Wanted 2012 se destaca por suas Cutscenes apresentativas aos carros Most Wanted e à seus gráficos de ponta produzidos pela Criterion Games na sua Chameleon Engine.

Os jogadores no entanto, acharam que o jogo foi à gota d'água e que arruinaram à franquia NFS e ao nome Most Wanted, por não haver nenhuma característica e nem a atmosfera do jogo original presente no Reboot, como algo completamente paralelo.

Most Wanted 2012 se passa na cidade fictícia Fairhaven, recriação do mapa de MW 2005, além de conter no total 50 veículos, sendo o destaque o Koegnisegg Agera R, como o carro mais rápido do jogo.

Mesmo com todas as críticas dos jogadores, Most Wanted 2012 foi sucesso crítico e de vendas, com mais de 9 Milhões de Unidades vendidas, porém sendo o último jogo da Criterion Games na franquia, com grande parte de estúdio sendo designado à Ghost Labs, fundada pelos ex-funcionários da Black Box Studio, que foi liquidada pela EA no ano anterior.

2013 - Need for Speed: Rivals



Clique para ver a imagem em tamanho original


Dando entrada à Ghost Labs como produtora de Need for Speed e sendo o primeiro NFS para a 8° Geração de Consoles, NFS Rivals nos põe de volta à fórmula de Hot Pursuit, porém com leves mudanças. Além de ser o segundo jogo da franquia á usar a Engine Frostbite, criada pela DICE, agora em sua 3° versão.

O jogo segue a fórmula criada em Hot Pursuit em 2010, permanecendo com o estilo de seus antecessores sobre pistas de personalizações de veículos em sua estética, como atualizações de desempenho, trabalhos de pintura, decalques e juntas podem ser modificados. Rivals conta com onze aparelhos atualizáveis, como EMPs, ondas de choque e a capacidade de chamar bloqueadores nas estradas. O mundo aberto contará vários saltos, armadilhas de velocidade e carros desbloqueáveis.

Além disso, Rivals usou uma nova tecnologia por trás do Autolog, em que ao jogar o jogo conectado á Internet, ele sempre estaria Online, sistema usado em Forza Horizon, com outros jogadores, podendo ser Policial ou Corredores, e com isso ao você ter seu carro destruído ou apreendido pela polícia, você automaticamente perde todos seus pontos de corrida daquela área, tendo que reinicia-los ao voltar ao Abrigo, algo muito elogiado como uma evolução da fórmula desde 2010.

NFS Rivals trouxe também outra gama de Assets no mundo aberto, iniciadas no NFS World, como caça semanais, brindes por surpresas no mapa, além de modos de corrida até 24 jogadores contra Policiais.

A trama do jogo é bem simples, porém funcional ela se desenvolve na base de seu personagem, um fugitivo da polícia, não ter limites mesmo após já ter sido capturado outrora, e com isso seu arqui-inimigo, um Policial, está em buscar de te capturar, no jogo você descobre 2 finais diferentes, um como o Corredor, outro como o Vilão.

Os SpeedPoints (Moedas do jogo) são as ferramentas que você ganha ao vencer corridas, completar desafios, e com elas você utiliza para adquirir novos carros, novas customizações, Gadjets de combate, além de servir para as otimizações dos veículos. No total, o jogo possuí 43 carros, sendo 21 para Corredor, e 22 para Policiais.

NFS Rivals conseguiu bater a meta de seu ano, sendo uma leve melhoria de NFS Hot Pursuit 2010, e sendo um título Cross-Gen, o jogo resgatou mais de 8 Milhões de Unidades, sendo um grande sucesso comercial para a Electronic Arts.

2015 - Need for Speed



Clique para ver a imagem em tamanho original


Sendo um Reboot espiritual da franquia Need for Speed, e usando Undeground 1 e 2 como inspiração, a Ghost Labs nos trás a uma experiência completa de nova geração com NFS, além de garantirem que este é o jogo de Corrida com os gráficos mais belos já criado.

O jogo combina uma história que segue os antigos formatos de Most Wanted, Carbon e Undercover, onde a história e os personagens são contados em Live-Action, enquanto você, é o personagem na qual está fazendo tudo aquilo, porém sem rosto, sem uma voz e sem características próprias.

Need for Speed tem uma jogabilidade similar aos jogos anteriores da série, usufruindo assim de uma mecânica de jogo virada para o estilo Arcade racing. A acção tem lugar na cidade fictícia de Ventura Bay (baseada em Los Angeles), numa estrutura de mundo aberto. As estradas do jogo, por sua vez, são o dobro das de NFS Rivals.

Durante a conferência na E3 2015, a Ghost Games detalhou as Cinco Maneiras de Jogar: Velocidade, Estilo, Customização, Equipe e Fora-da-Lei; construídos em redor de cinco ícones do mundo automóvel real, cada um herói atual da cultura dos carros. Os cinco métodos dão ao jogador a possibilidade de progredir, criando a sua própria história, ao mesmo tempo que ganham respeito e reputação para eles próprios e assim se tornarem também ícones do mundo automóvel, através de vários elementos de jogabilidade e da narrativa interligada.

No final, não foi bem isso que aconteceu, pois os 5 modos se parecem inteiramente iguais entre si, e o final é minimamente alterado, além de no total, você só poder escolher 5 carros para ser seus, e poder Customiza-los e melhorá-los ao longo das corridas. Algo bastante criticado e falho do jogo. Outra reclamação é a obrigatoriedade de sempre estar online no jogo, sendo criado isto para impedir futuras cópias Pirateadas do jogo.

A Gameplay por sua vez, peca muito em dar foco principal nos horizontes de Zoom da tela, além da Inteligência Artificial dos carros adversários não funcionar nem um pouco bem, com ela sempre focando apenas em destruir seu veículo ao invés de focar em ganhar as corridas, não só isso mas ocorre diversos Bugs com ela, onde o piloto pode ficar preso pra sempre em um tráfego caso a IA se prenda, tendo que reiniciar a corrida para voltar ao normal.

A customização foi bem aplicada nesse sentido, vindo depois de 3 jogos da franquia Need for Speed onde não se podia ter quase nada nesta área (Rivals, Most Wanted e The Run), o jogo trouxe uma gama de formas que você pode usar para alterar seu veículo, faltando somente algo que sempre é muito desejado pelos fãs, o Neon.

Need for Speed 2015 acabou por ser uma decadência em comparação ao Rivals, mesmo tentando trazer o impacto que foi os Undegrounds em 2003 e 2004, o jogo acabou por ser muito falho, e sofreu críticas duras, tanto pela crítica quanto pelos seus jogadores, vendendo abaixo das expectativas da Electronic Arts naquele ano.

2017 - Need for Speed: Payback



Clique para ver a imagem em tamanho original


Voltando ao estilo Velozes e Furiosos e tentando trazer um pouco do que era o Most Wanted original, NFS Payback chega pela Ghost Labs com a missão de reconstruir a imagem da franquia após o fraco lançamento do Reboot em 2015, e acaba por sua vez, falhando ainda mais que seu antecessor.

O jogo se ambienta na cidade de Fortune Valley, inspirada em Las Vegas, e traz três personagens principais: Tyler (O Piloto), Mac (O Apresentador), e Jess (Condutora), que se unem para destruir um cartel intitulado "The House". Após uma corrida para resgatar um Koegnisegg Regera de seu chefe, uma amiga chamada Navarro traí sua equipe em busca de mais poder. Com isso, Tyler tem de se juntar à uma equipe de baixo risco e subir em seu Ranking até poder ter sua vingança.

Payback é criticado muito por este enredo, apesar da trama simples do jogo anterior (NFS 2015), o jogo acabava por sua linearidade conseguir ser fluente ao longo da jogatina, em Payback, eles tentam usar elementos cinematográficos, como os de The Run em 2011, porém não funciona muito bem, tornando a história clichê e genérica.

Na jogabilidade, Payvack também é duramente criticado pelo seu formato de Personalização e Upgrade nos veículos, sendo movido à cartas e prêmios de Lootboxes que você recebe ao terminar as corridas, de forma aleatória. O jogo teve sofreu algumas alterações após DLC's e Correções nesse sentido, mas continuou com o problema, apenas em menos escala do que no seu lançamento.

Need For Speed Payback tem três personagens jogáveis, cada um com um conjunto diferente de habilidades e que trabalham juntos. O jogo inclui cinco diferentes classes de carros personalizáveis: Corrida, Off-Road, Drift, Drag e Fuga.

A trilha sonora do jogo apresenta os artistas e canções mais populares de 2017, incluindo A$AP Ferg, Action Bronson, Barns Courtney, Gorillaz, Jacob Banks, Jaden Smith, Nothing but Thieves, Queens of the Stone Age, Rae Sremmurd, Royal Blood, Run the Jewels, Skepta, Spoon, Post Malone e X Ambassadors. O jogo também traz a canção "Systematic", do DJ Shadow & Nas, criada para a série de TV Silicon Valley, de Mike Judge.

Em sua jogabilidade, Payback foca-se principalmente em tentar seguir os moldes adotados em Burnout Paradise e Forza Horizon 3, mas por tentar se parecer muito com os 2 jogos, acaba por ficar sem identidade, e sua gameplay acaba por se tornar cansativa e com grandes falhas no sistema de Drift.

Recebendo duras críticas e uma das piores médias já obtidas na franquia Need for Speed, Payback amargura baixas vendas e obriga mais uma vez à Need for Speed ter de se reinventar para agradar os fãs.

2019 - Need for Speed Heat



Clique para ver a imagem em tamanho original


Sendo o melhor jogo de NFS na 8° Geração, Heat veio para conquistar os fãs antigos da marca, sendo feito mais uma vez pela Ghost Labs, atual produtora de Need for Speed desde Rivals em 2013.

O jogo combina elementos de Underground e ProStreet, onde de Dia você joga em corridas de circuito fechado e lineares, e durante a Noite você corre livremente contra os policiais e disputa o ranking de mais procurado, que concede aos jogadores REP. Quanto mais REP você ganha, mais agressiva a polícia será durante a noite, os jogadores devem escapar da polícia e voltar ao seu esconderijo antes de serem presos ou antes que seu carro seja destruído.

Pela primeira vez na franquia, você escolhe com quem quer jogar, sendo um protagonista Homem ou Mulher, o jogo apresenta uma Série de opções prontas, e os personagens possuem Nomes e Falas durante o jogo, o que é muito bem-vindo. A trama se decorre ao estilo Most Wanted, onde há um policial que não quer mais tiver nas corridas, e você terá de derrota-lo para conquistar a multidão.

Heat trás uma vasta opção de Personalização e Upgrades, evoluindo a mecânica trazida em NFS 2015, com dezenas e dezenas de opções que o jogador pode usar para tornar o carro no seu gosto pessoal. Além disso, Heat contém 127 carros de 33 marcas diferentes com a Ferrari retornando a série após se ausentar no Payback devido a problemas de licenciamento. Ao contrário do Payback, as atualizações de desempenho não são mais recebidas em Speedcards aleatórios e são desbloqueadas por REP e corridas ganhas. O jogo não tem lootboxes ou microtransações, entretanto, economizadores de tempo estão disponíveis para desbloquear o conteúdo mais rapidamente, como uma DLC paga.

Além disso, a Electronic Arts lançou o app NFS Heat Studio para dispositivos iOS e Android. Os usuários podem colecionar e customizar seus carros que podem ser importados para o jogo principal depois de ter sido lançado.

Need for Speed Heat recebeu críticas positivas dos fãs e um pouco mistas pela crítica, porém, sendo o jogo da franquia nessa geração com a melhor avaliação no momento, no entanto, suas vendas não tem sido das melhores, com o jogo não conseguindo segurar o mês de novembro como o jogo mais vendido em seu mês. A Electronic Arts ainda não divulgou os dados oficiais de venda do jogo devido à isso.

Need for Speed em outras mídias


Além de jogos, Need for Speed recebeu uma adaptação para os filmes em 2014, sendo produzida pela DreamWorks Studios em parceria com a Electronic Arts, com os irmãos George e John Gatins sendo os roteiristas, e sendo dirigido por Scott Waugh.


Clique para ver a imagem em tamanho original


No filme protagonizado por Aaron Paul (Jesse Pinkman de Breaking Bad), Tobey Marshall (Aaron) dono de uma garagem que modifica carros caros, é injustamente condenado pela morte de seu melhor amigo. Dois anos depois, enfim, libertado da prisão, ele procura vingança por quem o incriminou.

A filmagem do filme deu início em Abril de 2013, em Macon, na Georgia. Para sequências de perseguição do filme, os cineastas decidiram contra o uso de imagens geradas por computador, empregando efeitos práticos, o que exigiu do elenco para receber extensas aulas de condução.

O filme apesar de ter recebido duras críticas da mídia, considerando-o muito ruim, teve um orçamento de 66 Milhões de U$, e faturou 203 Milhões U$, mais do que o triplo de sua produção, sendo um grandioso sucesso. A Electronic Arts em 2015 confirmou sua sequência, mas até o presente dia deste Artigo o filme ainda se encontra em Pré-produção, sem data de lançamento prévia para sua chegada.

O Legado de Need for Speed


Por ser uma franquia de grandioso sucesso mesmo com seus altos e baixos, a Saga Need for Speed marcou um legado nos Anos 90 e 2000, sendo a maior franquia de Jogos de Corrida mais vendida da década, além de ser uma das franquias mais vendidas da história dos jogos, estando em 9° Lugar, com 150 Milhões de Unidades vendidas no total.

Need for Speed serviu de inspiração para muitos jogos como Midnight Club, Forza Horizon, Grid, Burnout, além de ter servido de estrutura para alguns de seus Spin-Offs Mobile próprios, como Need for Speed No Limits lançado em 2015. É uma franquia sofreu pra emplacar jogos depois de ter subido no pódio, mas vem se re-encontrando, e esperamos ver mais dela no futuro, agora, na 9° Geração de Consoles.

A Logo de Need for Speed


Em 2008, Need for Speed ganhou uma Logo própria, criada pela Black Box Studio, que simboliza o N de forma estilizada e de lado, sendo usada para os jogos da franquia durante os anos de 2008-2013, iniciou em Undercover, encerrou em Rivals.


Clique para ver a imagem em tamanho original


--

E então? Gostaram do Artigo? Não deixe de dizer sua opinião nos comentários abaixo e dizer o que achou e o que eu posso melhorar. Com NFS, quero dar entrada à um novo quadro de Artigos na GV, o "Legado de Franquias", com isso esperem ver mais e mais franquias que marcaram nossa época sendo trazido aqui, fiquem bem, e até a próxima!
Evil E.
Evil E.
Colaborador do site, 25 anos, Volta Redonda, Rio de Janeiro
Deixe seu comentário para sabermos o que você achou da publicação
Gosta do site e quer ajudar a o manter online? Apoie-nos!.
Não se esqueça que você pode participar do nosso Discord.
E também nos seguir no Facebook, Twitter, Instagram e na nossa curadorida da Steam.