Publicado por ertuzio.scn, em .
Clique para ver a imagem em tamanho original

O fracasso inicial da Google não significa o fim do streaming nos videogames.

A coisa mais importante que aconteceu no mundo dos videogames na semana passada, sem contar o lançamento e o sucesso de Pokémon Sword and Shield, foi o lançamento do Stadia da Google, pelo menos academicamente. É fácil perceber por que deveria ser: é o primeiro novo participante importante no mercado desde que a Microsoft lançou o Xbox original há quase duas décadas. É o primeiro grande lançamento de um tipo totalmente novo de plataforma de jogos: streaming, que promete mudar o futuro do desenvolvimento e consumo de jogos, se decolar e essa ideia ir adiante. É também, pelo menos teoricamente, a nossa primeira espiada do que a próxima geração pode ser capaz.

Realmente deveria ter sido um belo home run. A publicidade e força de marketing da Google, são basicamente marketing on-line e possuem uma das maiores plataformas de publicidade existentes no YouTube, deveriam ter, pelo menos, garantido muita agitação, conversas e entusiasmo. E, no entanto, se você viesse até mim e me dissesse que não sabia que tinha sido lançado na semana passada, eu acreditaria em você. E você seria pelo menos um seguidor entusiasta do meio dos seguidores mais casuais dos videogames que não sabem que o Stadia existe. E aqueles que estão muito confusos sobre o que é, ou o que faz, ou quais são os recursos.

Houve um espetacular fracasso de marketing e mensagens com o Stadia. Para quem exatamente é essa coisa? Se você desenhasse um diagrama de Venn de quem é visivelmente alvo do Stadia, você acabaria sem nada. Joga jogos, mas não está interessado em comprar um console ou um PC. Quer jogos sofisticados, mas não está interessado em comprar um console ou um PC. Não está interessado em comprar um console ou um PC, mas, por qualquer motivo, possui uma conexão de Internet de fibra óptica de alta velocidade de última geração. Quer jogar em qualquer lugar, mas não quer um Switch e quer mais do que apenas jogos para celular. Quer jogar em 4K, mas não quer possuí-los. Não temos certeza se essa pessoa realmente existe. A Google parece estar segmentando um grupo demográfico de exatamente zero pessoas.


Clique para ver a imagem em tamanho original


Mas plataformas muito menos atraentes do que o Stadia conseguiram um pouco de sucesso no passado, graças à brutalidade de forçá-los com grandes jogos. Veja o Wii U vendendo mais de uma dúzia de milhões na parte de trás, nada além da produção da Nintendo que você não conseguiria em nenhum outro lugar. Se o Stadia tivesse jogos atraentes, jogos que não poderiam ser desfrutados em nenhum outro lugar, jogos que talvez mostrassem o que essa nova forma de nuvem ajudava, apenas o streaming de jogos poderia alcançar, então haveria quem comprasse apesar de tudo e de todas as outras coisas assustadoramente mal comunicadas sobre o Stadia. Surpreendentemente, a Google falhou mesmo aqui: eles não têm nenhum exclusivo importante no lançamento, exceto um pequeno jogo indie. A importância dos jogos na venda de novas plataformas, especialmente por novos entrantes no mercado, é praticamente uma sabedoria axiomática neste momento. A Sony garantiu que eles tivessem Pygnosis e Namco ao seu lado antes do lançamento do primeiro PlayStation. A Microsoft garantiu a Rare e também a Bungie, desenvolvedora de Halo, antes do lançamento do Xbox clássico. E a Google? Nada?

Mas vamos aprofundar ainda mais essa hipótese e supor que alguém em algum lugar pode querer verificar o assunto apenas para ver como poderia ser esse futuro potencial dos jogos, como um entusiasta do meio. Se a Google tivesse cumprido o que prometeram, pelo menos haveria o apelo de pura novidade para vendê-lo aos chefes técnicos e pioneiros, enquanto a Google se esforçava para resolver os outros problemas. E, no entanto, de alguma forma, a Google estragou tudo isso.

A maioria dos principais recursos prometidos ao Stadia, incluindo a possibilidade de compartilhar fluxos de jogos em tempo real, reprodução remota espontânea por fluxos em tempo real, compartilhamento de jogos em família ou apenas, você sabe, a capacidade de jogar onde quiser, quando e como você deseja, este último sendo um importante ponto de marketing, não está presente no lançamento. Pelo amor de Deus, as conquistas não estão presentes no lançamento! Como diabos você simplesmente não pode vê-los porque a interface para visualizá-los ainda não existe?

Fica pior. Não há como comprar jogos para o Stadia sem usar o aplicativo Stadia para o seu telefone. Deseja acessar uma loja virtual? Você não pode! Não há uma!

Mas vamos supor que você possua um Chromecast ou um smarthphone (os dois únicos dispositivos que atualmente suportam o Stadia) e descubra que mesmo nesse estado meio cozido, você deseja dar uma olhada, apenas por curiosidade mórbida. Tenho más notícias para você, pelo menos para o Chromecast, a partir de agora, os únicos que podem executar o Stadia são os de "Edição de Fundador (Founder's Edition)" e "Edição Premium (Premium Edition)" da marca. Por enquanto, você não pode usá-lo no seu Chromecast existente.


Clique para ver a imagem em tamanho original


Minha mente confunde o quão ruim isso tudo é. O streaming sempre seria difícil de vender, na melhor das hipóteses, mas o Stadia parecia ser conceitualmente defeituoso, depois sofria de marketing insatisfatório e depois exacerbava com mensagens confusas. Aparentemente estavam apressados para lançá-lo sem ter o básico de um plataforma moderna, nem mesmo uma plataforma de jogos, apenas uma plataforma, como a interface do usuário, não concluída. E para quê? Por que foi apressado? Por que não esperar até ter todas essas coisas planejadas e completas, e talvez um jogo ou dois de um daqueles novos estúdios chiques que vocês montaram, antes de lançar essa maldita coisa? Qual foi a pressa?

Portanto, não deve surpreender ninguém, em nenhum lugar, que as primeiras indicações sejam de que o Stadia fracassou miseravelmente, o mais recente de uma série de faceplants cada vez mais destacados no campo do streaming de videogames. O notável jornalista da indústria Jason Schreier afirmou que o lançamento da plataforma aparentemente não atendeu às expectativas do Google e uma olhada no número de downloads do aplicativo do Stadia para Android nos motram que menos de 200.000 pessoas fizeram o download deste aplicativo (o que, como já mostrei, é necessário para realmente usar o Stadia).

Então, o Stadia é um fracasso, pelo menos por enquanto. Talvez no futuro isso mude. Talvez em uma mudança dramática em relação à rotina, a Google decida perseverar e seguir em frente e trabalhar para resolver seus muitos problemas para transformá-los lentamente em um dos principais pilares dos jogos e pioneiros no futuro mercado de streaming. Mas agora, é um fracasso. Apenas o mais recente de uma longa linha de flops para o mercado de streaming. O que isso nos diz?


Clique para ver a imagem em tamanho original


É tentador dizer que isso significa que o streaming é um beco sem saída. Afinal, já tivemos vários flops de streaming de alto perfil no mundo dos jogos antes (alguém se lembra do OnLive?) E, se uma empresa tão grande quanto a Google não consegue, quem pode?

Mas sinto que qualquer pronunciamento sobre o destino do mercado de streaming é prematuro. Não estou necessariamente dizendo que o mercado de streaming tem um futuro, é perfeitamente possível que seja de fato um beco sem saída, e que jogos, exigindo enormes pacotes de transferência de dados juntamente com entradas de contração de jogador, não são adequados para streaming, ao contrário, digamos , filmes ou música. Mas também é possível que a transmissão decole de fato no futuro. Porque, como passei uma quantidade excessiva de tempo destacando neste artigo, por todos os motivos no papel que o Stadia deveria ter sido um belo "home run", esses motivos permaneceram firmemente no papel. Em resumo, a Google estragou completamente o Stadia. É possível que a posição da Microsoft como a única custodiante de conteúdo, infraestrutura e comunidade com o xCloud será a forma para que os jogos em nuvem possam decolar. Talvez a PS Now se torne um concorrente do azarão e se torne a líder desse novo segmento de jogos. Talvez o serviço de streaming da Amazon possa fazer o que o Stadia não conseguiu.

A Sony e especialmente a Microsoft, pelo menos, parecem mais adequadas à tarefa. Elas são veteranas no mercado de jogos. Elas têm enormes bibliotecas de conteúdo exclusivo e atraente. Ambas estão equipadas com infraestrutura de última geração. E ambas parecem entender que o streaming como a ÚNICA forma de jogo provavelmente é insustentável, principalmente devido às limitações que lhe são inerentes. Ambos oferecem serviços de streaming para complementar suas ofertas existentes de console principal. E acho que esse é o caminho certo a fazer.

Então, sim, talvez o streaming ainda tenha futuro. Caso contrário, não é o fracasso do Stadia que marcará a hora da morte dos jogos por streaming. Havia muito de errado com esse esforço apressado e incompleto para que eles realmente representassem o que uma proposta de streaming atraente faria no mercado.


PS: Faceplants: Faceplants é uma expressão utilizada para expressar quando alguém cai de cara no chão, ou de cara sobre algo.
Home run: O home run é o ponto culminante de uma partida de beisebol.
ertuzio.scn
Ertuzio.scn
Colaborador do site, 24 anos, Sete Lagoas MG
Deixe seu comentário para sabermos o que você achou da publicação
Gosta do site e quer ajudar a o manter online? Apoie-nos!.
Não se esqueça que você pode participar do nosso Discord.
E também nos seguir no Facebook, Twitter, Instagram e na nossa curadorida da Steam.