.

Shota Nakama revela sua canção favorita nos jogos e dá dicas para jovens músicos

Enviado por Catos, , 0 comentários
Clique para ver a imagem em tamanho original


Pela segunda vez, Shota Nakama foi uma das principais atrações da Brasil Game Show, e na BGS 2019, o japonês até realizou dois shows ao lado de sua banda, a Video Game Orchestra.

O GameSpot Brasil conseguiu arrancar muitas curiosidades de Shota em uma entrevista bem descontraída na BGS 2019, incluindo qual canção composta pelo japonês para games é sua favorita e o que ele mais gosta de comer no Brasil.

Veja abaixo a entrevista completa:

Essa é sua segunda vez na BGS. O que você mais gosta daqui?

Falando da BGS, eu gosto muito das pessoas. Elas são muito calorosas, simpáticas e acolhedoras. Eu sinto a paixão por jogos aqui, e isso é impressionante.

E a BGS é ótima, as pessoas são super profissionais, e quando nós queremos algo, eles fazem isso acontecer para gente. Estou me divertindo muito, amo o Brasil.

Qual é a coisa mais importante quando você está criando uma nova música?

Se você estiver criando uma para videogames é mais importante, pois você precisa saber se a música está contribuindo de um jeito que realce o jogo através do gameplay e a expressão emotiva do game. Essa deve ser a prioridade. O contexto é a parte mais importante. É a primeira coisa na qual eu penso.

Das muitas músicas que você criou para videogames, qual é a sua favorita?

Isso é muito difícil de dizer (risadas). Mas Bros on the Road, de Final Fantasy 15 é a minha favorita.

Qual trilha sonora de um jogo te deu mais trabalho para compor?

Acho que eu nunca tive tanta dificuldade. Claro, às vezes eu tenho um bloqueio, mas é mais difícil pra mim quando eu tenho que rearranjar uma música de outra pessoa. Especialmente se for de um estilo no qual eu não sou tão bom, que não tenho tanta familiaridade e tenho que estudar para isso.

Qual é seu jogo favorito?

No momento é Ori and the Blind Forest. Meu amigo Gareth (Coker) compôs a trilha sonora dele, e é um album tremendo.

Tenho jogado Ori no Switch, mas meu jogo favorito muda de tempos em tempos. Porque aquele que eu estiver jogando no momento é o meu favorito, e acho que isso é o motivo para eu jogar.

Você gosta de algum músico brasileiro?

Angra e Dr. Sin. Esses caras são os melhores. Eu lembro de ter conhecido a música deles 20 anos atrás, quando tinha 16 ou 17 anos.

Eu costumava ir a uma loja de CDs em Okinawa (no Japão) e os discos do Dr. Sin e do Angra faziam parte de um pacote, e eu pensei "por que não, tem um visual maneiro". E então eu comprei os discos e pensei "puta merda".

Que dicas você daria a alguém começando sua vida no mundo da música?

É crucial que ela saiba que papel ela quer executar na música, porque existem compositores, arranjador, engenheiros, diretores de gravação, cantores e todo o tipo de coisas.

A pessoa precisa saber qual é seu foco. E se ela quiser cantar, ela deve cantar. Se ela quer compor músicas, ela deve compor músicas. Mas eu realmente recomendaria a qualquer um que se apresentasse – com guitarra, teclado, ou qualquer instrumento – em um palco, na frente de outras pessoas, pelo menos uma vez no trimestre.

Porque todo músico tem que trabalhar com alguém para criar música, ou refinar música. E aprender e entender como a mente de quem toca ao vivo funciona, como essas pessoas pensam, é extremamente importante.

E quando você toca ao vivo, isso também ajuda na sua capacidade de composição, você compões mais rápido, porque a performance ao vivo é basicamente uma composição espontânea.

Nós amamos a culinária japonesa no Brasil. Você gosta de alguma comida brasileira?

Ai meu Deus, a carne de vocês é a melhor, é incomparável. E açaí é o meu favorito. Se você tomar açaí no Brasil você nunca mais pode tomar em qualquer outro lugar do mundo, porque aqui é bom demais. Ele tem um sabor rico, e muito distinto. Eu já tomei açaí no Japão, nos Estados Unidos, e eles simplesmente não são iguais.

Feijoada também é ótima. Acho que é a sua cultura, vocês tentam se divertir o tempo todo, e quando vocês vão comer vocês realmente curtem a experiência. E eu respeito isso.

O que você gosta de fazer quando não está trabalhando?

Recentemente eu tenho estado tão ocupado, trabalhando o tempo todo. Mas o que eu gosto de fazer é viajar, bem, eu viajo pra todo canto com o trabalho, mas quero dizer viajar para conhecer o que eu desconheço.

Nada técnico, como códigos ou teorias musicais, eu adoro saber mais sobre a cultura das pessoas, e a comida, e tudo que só consigo ver no local. Eu posso estudar sobre o Brasil estando nos Estados Unidos, mas isso é só um conhecimento de livro. Mas para realmente ver e entender como as coisas são aqui, preciso viajar.

Então viajar para enriquecer a minha vida é o que eu gosto de fazer.

Qual foi o pedido mais estranho que um fã fez a você?

Não acho que ninguém tenha me pedido por algo ridículo ou algo do tipo. Pelo menos não que eu tenha considerado ser ridículo. Uma vez um cara ficou esperando por 10 horas para me dar um abraço, mas normalmente as pessoas são bem respeitosas comigo.
Catos
Enviado por Catos
Membro desde
28 anos, Goiânia
label