.

Pessoas estão vendendo seus próprios órgãos em pleno Facebook

Enviado por Catos, , 0 comentários
Clique para ver a imagem em tamanho original


É impossível pensar em todas as medidas desesperadas que uma pessoa pode tomar por dinheiro. Na Filipinas, por exemplo, tem gente disposta a vender seus próprios órgãos pelo Facebook, segundo informações do Channel News Asia.

O tráfico nas redes sociais não é mais novidade há bastante tempo, mas os oficiais do país estão dando prioridade a essa nova tendência que acontece na cara da surface web. As pessoas envolvidas na venda de órgãos online já estão atentas às investigações que estão acontecendo, e conseguem rapidamente criar novas contas no Facebook para não perder nenhum negócio.

Os anúncios que, geralmente, oferecem um rim, não são muito elaborados. A pessoa apenas diz que está oferecendo o seu próprio órgão para a venda, informa qual é o seu tipo sanguíneo ou outros dados médicos, e fala sobre o preço. No exemplo abaixo, a pessoa diz que o valor é negociável.


Clique para ver a imagem em tamanho original


Os valores, como conta o Channel News Asia, são extremamente altos e costumam ser cobrados para que as pessoas possam pagar suas contas médicas, por exemplo, e outras eventualidades. Uma fonte anônima revelou ao site que optou por oferecer um de seus seu rins não só para pagar contas de hospital, como também para criar um pequeno negócio e ajudar a sua família. Na reportagem do CNA, fica claro que as despesas médicas no país, muitas vezes inesperadas, são tão altas que apenas uma decisão desesperada parece ser a solução.

Em resposta à denúncia, um porta-voz do Facebook contou que a empresa está removendo conteúdos encontrados com este tipo de oferta. "Encorajamos a nossa comunidade a denunciar conteúdos que possam quebrar regras", disse o porta-voz, visto que a venda de órgãos é uma prática ilegal.


Clique para ver a imagem em tamanho original


Victor Lorenzo, chefe da divisão de cibercrime nas Filipinas, disse que as pessoas sentem segurança em oferecer os seus órgãos online, mesmo que seja algo contra a lei. Lorenzo destaca também que esta forma da prática, que não acontece na dark web, ajuda nas investigações, já que o contato da pessoa está no próprio Facebook.


"A venda de órgãos é ilegal. Quando você se envolve nisso, precisa ter um sistema de comunicação com os doadores, compradores e financiadores. Para conseguir doadores, eles precisam fazer propaganda aberta e pública", diz.


O Comitê Nacional de Ética de Transplantes das Filipinas está fazendo o acompanhamento em hospitais, analisando se os transplantes realizados são classificados como não-comerciais ou ilegais.
Catos
Enviado por Catos
Membro desde
28 anos, Goiânia
label