.

Dia Mundial do Rock: Confira jogos que têm o rock na veia

Enviado por Catos, , 0 comentários
Clique para ver a imagem em tamanho original


O dia 13 de julho marca o Dia Mundial do Rock, mas, apesar do nome, ele é celebrado apenas no Brasil. As comemorações ocorrem no país desde o início dos anos 1990, quando duas rádios de São Paulo especializadas neste gênero musical, a 89 FM e a 97 FM, passaram a citar o 13 de julho como o Dia do Rock em sua programação.

A escolha da data relembra um dos grandes eventos musicais da história, o Live Aid, realizado em 13 de julho de 1985. Organizado por Bob Geldof, ele contou com apresentações simultâneas em duas cidades (Londres, na Inglaterra; e Filadélfia, nos Estados Unidos) e seu principal objetivo era arrecadar fundos para combater a fome na Etiópia.

O evento marcou a história por sua proporção, reunindo nas duas cidades alguns dos principais artistas musicais de todos os tempos. O lineup do evento foi composto por BB King, Black Sabbath, David Bowie, Dire Straits, Eric Clapton, Led Zeppelin, Joan Baez, Madonna, Mick Jagger, Paul McCartney, Phill Collins, Queen, Scorpions, Status Quo, Sting, The Who e U2.

E se você é um grande fã de rock'n'roll, que tal relembrar alguns dos games que fizeram as pedras rolarem ao longo da história?

Brütal Legend


Idealizado por Tim Schafer, o mesmo criador de Full Throttle, Brütal Legend mistura ação, aventura e muito rock'n'roll. O protagonista do game se chama Eddie Riggs e seu aspecto físico foi inspirado em Jack Black, ator famoso por filmes em que o rock está presente, como A Escola de Rock e Tenacious D – Uma Dupla Infernal, e responsável também pela dublagem do personagem.

Brütal Legend é jogado em terceira pessoa e você controla Riggs por um vasto mundo aberto. Ele vai equipado de um machado, uma guitarra e uma caranga potente, partindo assim pelo fantástico mundo do metal. Altamente inspirado em diversas vertentes deste estilo musical, o game ainda conta com a participação de Ozzy Osbourne na dublagem.

Holy Diver

Não é todo mundo que se lembra deste game quando se fala em um jogo inspirado no rock, mas ele é, sem dúvida, um dos que mais bebe nesta fonte. Isso porque Holy Diver, lançado em 1989, é inspirado em algumas das figuras mais respeitadas do metal, como Ronnie James Dio, Slayer, King Crimson e Ozzy Osbourne.

O título do game de plataforma é inspirado em uma canção de Dio, que também é inspiração para o protagonista do game. Além disso, um dos vilões é Black Slaye, uma espécie de rei-demônio do Império Subterrâneo da Escuridão. Ozzy, aqui, é um fiel servo do rei Crimson (King Crimson, em inglês). Enfim, é referência ao mundo do metal que não acaba mais.

Michael Jackson's Moonwalker


Michael Jackson ficou conhecido como o Rei do Pop, então você deve estar se perguntando: que diabos ele faz em uma lista de jogos inspirados no rock? Ora, apesar da associação clara entre o mais jovem dos irmãos Jackson e o pop, a influência de MJ sobre a música transcende os limites de um único gênero.

Assim, nada mais justo que Michael Jackson's Moonwalker esteja aqui. O game foi lançado em 1990 e é baseado em um filme homônimo lançado em 1988. No jogo, você comanda Michael Jackson e pode repetir alguns dos mais clássicos passos de dança do mundo para combater o crime. É simplesmente sensacional.

The Blues Brothers


O duo The Blues Brothers surgiu em 1978 como um quadro dentro do programa humorístico Saturday Night Live. Composta pelos atores Dan Aykroyd e John Belushi, a dupla extrapolou os limites do programa, ganhou filme, gravou discos e virou até mesmo um ótimo jogo de plataforma, lançado em 1991.

Em The Blues Brothers, a dupla deveria partir pelos cenários e atirar objetos contra os inimigos que tentavam interromper a sua jornada rumo a mais um show de blues. Em cada fase, a dupla deveria encontrar um objeto em específico, como um instrumento musical. A trilha sonora da jogatina era composta por músicas do filme da dupla, conhecido no Brasil como Os Irmãos Cara-de-Pau, lançado em 1980.

Crüe Ball


Misture o visual extravagante e do glam metal com toda a insanidade convencional aos jogos de pinball e então você tem Crüe Ball. Apesar do nome ser inspirado na banda Mötley Crüe, o game em si era uma grande homenagem à fração mais colorida de todo o metal.

A trilha sonora era recheada de faixas de metal originais, mas também contava com três canções do Mötley Crüe na trilha sonora - Dr. Feelgood, Live Wire e Home Sweet Home. A nojeira também não ficou de lado, com vermes e crânios sendo destruídos pelas bolas que você manda para o meio da mesa com os rebatedores.

Rock & Roll Racing


Não há como falar na interseção entre videogame e rock'n'roll sem falar de Rock & Roll Racing. O game é um dos grandes clássicos de corrida dos anos 90 e marcou a infância e a juventude de muitos gamers. As corridas insanas colocavam você para disputar até o fim pelo primeiro lugar e tudo isso regado a uma trilha sonora excelente.

Apenas para se ter uma ideia, o jogo contava com canções de bandas como Black Sabbath, Deep Purple, George Thorogood and the Destroyers e Steppenwolf. Além disso, o tema de abertura foi criado pelo músico Henry Mancini, o mesmo que criou o tema da Pantera Cor-de-rosa.

Doom


O renascimento de Doom em 2016 acertou em todos os sentidos, desde a jogabilidade frenética e repleta de variáveis até a trilha sonora, que parece ter realmente saído das portas do inferno.

O compositor australiano Mick Gordon usou guitarras pesadas de sete cordas em conjunto com sintetizadores com sons surpreendentes para criar uma das trilhas mais elogiadas de 2016, rendendo até um prêmio no The Game Awards.

Aproveite para revisitar o game, já que "Doom Eternal" chega ainda em 2019.

Full Throttle


Este é outro jogo que não tem uma relação direta com o rock'n'roll - pelo menos não como Rock & Roll Racing -, mas que ocupa um lugar especial nos fãs do gênero musical que também são fascinados pelos games. Full Throttle era uma ode à transgressão e à porradaria, mas com muita inteligência.

No game, você controlava Ben, o líder da gangue de motoqueiros Polecats e tinha contato com outras gangues e outros personagens dos mais bizarros. A trama se parecia com a de um seriado de TV, cheia de minúcias e confusões, sempre regada ao som do bom e velho rock'n'roll.

Ed Hunter


Em 1999, o Iron Maiden lançou uma turnê, um álbum e um jogo chamado Ed Hunter. O título fazia referência a Eddie, a mascote da banda, e era um game de tiro em primeira pessoa clássico, bastante semelhante a nomes tradicionais do gênero como Wolfenstein, Doom e Quake.

O álbum era uma coletânea dos maiores sucessos da banda e vinha acompanhado do jogo, que contava com oito fases. De todos eles, sete cenários eram inspirados cada um em um disco lançado anteriormente pela banda. O jogo pode não ter sido um sucesso de crítica e de público, mas marca por ser uma aventura em um campo totalmente de uma das principais bandas de metal da história.

Guitar Hero


Chegando ao século XXI, uma das principais franquias musicais da história começava a trilhar o seu caminho em 2006. Naquele ano, Guitar Hero chegava às prateleiras de lojas de todo o mundo e colocava jogadores para tocar guitarra e baixo em frente ao console e à televisão.

Resgatando uma característica já presente em outros games, Guitar Hero transforma cada botão do controle em cordas da guitarra, que precisam ser tocadas no momento exato. O game logo ganhou uma legião de fãs, passando pelas mãos de cinco produtoras distintas e ganhando mais de 15 sequências para as mais variadas plataformas desde 2006.

Rock Band


Após encerrar a sua parceria com a RedOctane, a Harmonix se juntou à MTV Games e Electronic Arts para criar Rock Band, o principal rival de Guitar Hero. O game segue um estilo bastante parecido com o do concorrente, porém, foi o primeiro a adicionar mais instrumentos além da guitarra.

Assim, baixo, bateria e até mesmo o microfone poderia estar presente, reunindo até quatro jogadores em uma mesma partida colaborativa, com cantoria e tudo. O sucesso foi imediato e o game logo passou a rivalizar de forma intensa com Guitar Hero, acumulando fãs e ganhando seis continuações desde o seu lançamento.

Heavy Metal Machines


Os brasileiros da Hoplon tiveram a brilhante ideia de misturar "Rock'n Roll Racing", MOBA e muito peso na trilha sonora. "Heavy Metal Machines" é um jogo ideal para o dia de hoje, com riffs pesados e muitos solos virtuosos de guitarra na trilha sonora. Em português, o jogo ainda conta com a narração do Detonator, da banda Massacration.

Kiss: Psycho Circus – The Nightmare Child


Quando o Kiss lançou o Psycho Circus, junto com ele veio o "pesadelo da criança". O game foi lançado para PCs e Dreamcast em 2000, com versões canceladas para Playstation e Game Boy Color. Um legítimo shooter, que deu muita sorte por chegar em uma época em que Doom ainda fazia muito sucesso, e Quake também desfrutava de muito sucesso, com tiroteio e ambientes dark.

O game do Kiss trouxe toda a aura de seu Psycho Circus aos games, com arte que lembra muito Spawn, e também trilha sonora com sucessos da banda, como "Unholy", "Cold Gin", "Childhood's End", "Baby Driver" e "God Of Thunder". O que fazia deste game, obrigatório, para fãs de shooter, e fãs da banda.

É claro que muitos jogos ficaram de fora desta lista. Se você conhece outros jogos que fazem referência ao rock'n'roll e que merecem ser lembrados no dia de hoje, deixe a sua dica aqui embaixo, nos comentários.
Catos
Enviado por Catos
Membro desde
28 anos, Goiânia
label