.

Realidade aumentada foi melhorada pela Apple no seus aparelhos mais recentes

Enviado por okardec, , 0 comentários
Clique para ver a imagem em tamanho original

Novidades requerem grande processamento de inteligência artificial e por isso estarão presentes apenas nos smartphones e tablets com processadores de última geração.

A Apple anunciou, durante o evento para desenvolvedores WWDC, a nova versão das aplicações em realidade aumentada (AR), chamado de ARKit 3. No ano passado, a empresa trouxe a possibilidade de reconhecimento de superfícies e agora introduz sensores de movimentos, a capacidade de diferenciar pessoas na cena e sessões colaborativas para mais participantes numa mesma cena.

Para apresentar algumas dessas novas funcionalidades a empresa trouxe o jogo Swift Strike, uma espécie de boliche gigante, em que dois jogadores devem utilizar tablets para empurrar uma bola e derrubar os pinos do adversário.

Os principais conceitos da novidade estão lá: reconhecimento de uma pessoa na cena, captura de movimento de um usuário e até diferenciação do material dos produtos criados na realidade aumentada. Agora, a ferramenta faz melhor detecção da física de um objeto e consegue reagir a mudanças no ambiente.

Esses conceitos estão em linha com o que a Apple apregoa em termos de realidade aumentada e futuro da tecnologia. O presidente da empresa, Tim Cook, já afirmou em entrevistas que esse é o tipo de tecnologia que permitirá integrar ainda mais aparelhos e devices à vida das pessoas.


Clique para ver a imagem em tamanho original


Mas essas novas funções, que demandam mais inteligência dos processadores, poderão ser utilizadas apenas nos aparelhos que contêm mais inteligência embutida: os que contêm o chip A12 Bionic. Assim, o ARKit 3 está disponível apenas para a geração de iPhones lançados em 2018 e para os iPad Pro de 2ª e 3ª geração, além de iPads Mini e Air lançados em 2019.

A Apple acredita que essas funcionalidades podem ser utilizadas além de jogos, em funcionalidades de comércio ou de aprendizado: em lojas de móveis, que permitirão ao usuário baixar o aplicativo e testar a colocação de um móvel em específico num ambiente, por exemplo.

Entre as novidades do ARKit estão também facilidade de integração com aplicativos, eliminando a necessidade que seja criado um app exclusivo para a realidade aumentada.

A empresa também tornou mais fácil a execução de um projeto nessa tecnologia: que agora conta com uma interface chamada de "Reality Composer", que pode ser utilizada por desenvolvedores sem grandes conhecimento de AR para criar ferramentas com essa tecnologia
okardec
Enviado por okardec
Membro desde
34 anos, Luziânia, GO, Brasil
label