.

Strikes no YouTube são usados para extorquir criadores

Enviado por Cristianogremista, , 1269 visualizações, 0 comentários
Um YouTuber identificado como ObbyRaidz está denunciando a utilização do sistema de strikes do YouTube como ferramenta de extorsão por criminosos. Ele afirma ter seu canal "sequestrado" por golpistas, que aplicaram duas penalizações e o ameaçam com uma terceira, o que resultaria no fechamento, caso ele não pague uma quantia em dinheiro.

Clique para ver a imagem em tamanho original

O caso aconteceu no início de janeiro e constitui mais um dos tantos abusos do sistema de remoção de conteúdo e solicitações de copyright do YouTube. No dia 1º, o criador recebeu dois strikes por direitos autorais em seu canal, ambos por vídeos de Minecraft, cuja postagem e monetização são liberadas pela produtora do game, a Mojang. Os pedidos eram claramente equivocados e não pertenciam aos detentores originais dos direitos, o que não impediu a aplicação das penalizações sobre o canal.

O pior veio depois, quando o criador recebeu, via Telegram, uma mensagem dos responsáveis pelas solicitações. A ameaça era clara: ele deveria pagar US$ 150 por meio do serviço de pagamentos PayPal ou US$ 75 em Bitcoins para que os strikes fossem cancelados, caso contrário, um terceiro seria emitido, o que resultaria no fechamento de seu canal e na exclusão de todos os vídeos.

Um dos pedidos foi feito em nome da ViperMC, uma network de criadores de conteúdo focada em e-sports, enquanto o segundo foi identificado por "Jewell B. Andrew". Os criminosos também citam tal detalhe, afirmando que nem mesmo um contato com os supostos responsáveis pelos strikes (provavelmente não envolvidos diretamente nas solicitações) resolveria a situação do criador.

ObbyRaidz disse não ter obtido sucesso no contato com o YouTube sobre os strikes e alega que, inclusive, uma das solicitações de revisão que realizou acabou negada pela empresa. Com 5,2 mil inscritos, ele diz estar trabalhando há alguns anos com conteúdo e acusa a empresa de possuir um sistema quebrado, que permita ataques dessa categoria. Ele disse ter crescido sem apoio e, agora, estar assustado com a possibilidade de perder todo o seu trabalho.

Clique para ver a imagem em tamanho original

A política de strikes do YouTube serve, de acordo com a empresa, para fazer valer as propriedades das companhias, mas, ao mesmo tempo, não penalizar duramente os criadores caso cometam erros. Os pedidos de solicitação de remoção de conteúdo expiram 90 dias após a data da aplicação, mas canais são deletados caso recebam um total de três dentro desse período.

Em resposta, o YouTube afirmou que o sistema ContentID possui regras bem definidas para uso e, "caso alguém faça notificações que não são verdadeiras, isso também é uma infração". Junto à declaração, a empresa nos encaminhou a uma página de suporte, com detalhes sobre o sistema de solicitações de copyright. O caso em si, entretanto, não foi diretamente comentado.
Cristianogremista
Enviado por Cristianogremista
Membro desde
26 anos, Santa Rosa-RS
label