.

80% dos atiradores de "massa" não mostravam interesse em video-games, diz pesquisa

Enviado por Frocharocha, , 3519 visualizações, 0 comentários
[img]https://cbsnews3.cbsistatic.com/hub/i/r/2018/03/08/29be2080-25ec-43b0-a01a-e6fcc17cadf7/resize/620x/ba5c4118f9c0c85382ced49a64d5dd08/0308-eve-werner-videogames.jpg[/img]
O presidente Trump se reuniu com os representantes do setor de videogames na quinta-feira, depois de dizer no mês passado que video games violentos podem desempenhar um papel em tiroteios em massa. O presidente se encontrou com pais como os de Melissa Henson.

"O tipo de mensagens e imagens que estão colocando em suas mentes, acho que são ensaios noturnos para grandes atos de violência", disse ela.

Mas a pesquisa do psicólogo Patrick Markey mostra que 80% dos atiradores em massa não mostraram interesse em games violentos.

"Parece algo que deve nos deixa mais seguros, então é uma reação totalmente compreensível", disse Markey. "O problema é que é apenas a ciência, os dados, não dizem que eles realmente tenham um efeito".

Outras críticas apontam para a aparição de armas específicas em j games, como um rifle de assalto Remington retratado no popular jogo "Call of Duty". As imagens do rifle provêm de um processo dos pais de Sandy Hook, que estão processando Remington, dizendo que a empresa é responsável pelas mortes das 26 crianças na escola pelo atirador Adam Lanza em 2012.

A Entertainment Software Association, que representa o setor de videogames, disse que disse ao presidente que "numerosos estudos científicos" mostram que "não há conexão entre videogames e violência". Na verdade, Markey disse que seu trabalho mostra quando um novo jogo violento é lançado, a taxa de crimes cai.
Frocharocha
Enviado por Frocharocha
Membro desde
38 anos, São Paulo
label