.

Terra terá o maior show de fogos de artifícios da galáxia em 2018. Nasa faz trailer paródia do espetáculo

Enviado por Frocharocha, , 2163 visualizações, 0 comentários
[img]hide:aHR0cDovL2ltYWdlcy5zY2llbmNlZGFpbHkuY29tLzIwMTUvMDcvMTUwNzAyMTYxMTU3XzFfOTAweDYwMC5qcGc=[/img]
Michael aprova

O que acontece quando uma estrela de nêutrons girando centenas de vezes por minuto voa através das garras de uma grande estrela 15 vezes a massa do Sol? Um show de fogos nunca visto antes. Na Primavera de 2018, os astrônomos serão os primeiros a cobrir um aguardado evento de "fogos de artifício de alta energia".

Este evento irá ocorrer quando o pulsar J2032 + 4127, ou apenas J2032 arar através da atmosfera exterior da sua enorme estrela companheira, MT91 213, em até 300 quilômetros (190 milhas) por segundo. A NASA está planejandotreinar uma série de telescópios no sistema binário localizado 5.000 anos-luz da Terra para assistir o evento se desdobrar.

J2032, o remanescente de uma estrela que já supernova, tem cerca de 20 quilômetros (12 milhas) de diâmetro, cerca de duas vezes a massa do Sol e completa uma rotação de sete vezes por segundo. MT91 213, por sua vez, é classificada como uma estrela Be - uma estrela grande e quente que perde grandes quantidades de material devido a sua própria rápida rotação de 200 quilômetros (120 milhas) por segundo - e é 10.000 vezes mais brilhante do que o Sol

A descoberta do próximo evento, publicado no Monthly Notices da Royal Astronomical Society, foi feita por uma equipe internacional que incluiu Andrew Lyne, da Universidade de Manchester, que disse a IFLScience que seria comparável a um meteorito passando atráves da atmosfera da Terra, mas "em uma escala muito maior".


As duas estrelas têm a órbita mais longa de qualquer sistema binário contendo um pulsar de rádio, estimado de cerca de 25 anos. Enquanto isso não será o primeiro evento deste tipo a ser observado, ele tem uma órbita maior e envolve tanto estrelas mais maciças do que qualquer coisa vista antes.

"Nós não sabemos ao certo o que esperar", disse Lyne. "Eventos como este são extremamente raros e temos assistido a apenas dois outros sistemas com os encontros como este, mas com órbitas menores e com menos estrelas de grande massa, por isso não há muito para observar
Frocharocha
Enviado por Frocharocha
Membro desde
38 anos, São Paulo
label