.

Xiaomi Redmi 2 aparece com preço atraente em loja online no Brasil;empresa afirma não ser oficial

Enviado por Cristianogremista, , 1227 visualizações, 0 comentários
No dia 30 de junho, o mercado brasileiro receberá mais uma concorrente de peso: a chinesa Xiaomi, conhecida por oferecer smartphones com boas combinações de hardware por preços abaixo da média. Na noite de terça-feira (16), o Redmi 2, um dos aparelhos já homologados pela Anatel, apareceu no Submarino antes da hora. E por um preço muito interessante: R$ 393,63 ou, no desconto com boleto, R$ 354,27.

[img]hide:aHR0cHM6Ly90ZWNub2Jsb2cubmV0L3dwLWNvbnRlbnQvdXBsb2Fkcy8yMDE1LzA2L3hpYW9taS1yZWRtaS0yLTcwMHgzOTQuanBn[/img]
É um valor extremamente atraente para um smartphone que compete em hardware com o Moto E, trazendo câmera e telas melhores - mas dispensando a TV digital. O Redmi 2 vendido pelo Submarino tinha processador quad-core Snapdragon 410, 8 GB de armazenamento, 1 GB de RAM, tela de 4,7 polegadas com resolução de 1280×720 pixels e suporte a dois chips, com direito a conexão 4G.

A página do Redmi 2 no Submarino foi tirada do ar, mas o manual de instruções em português continua disponível nos servidores da loja online. Uma screenshot, tirada pelo Manual do Usuário, mostra que o produto era realmente vendido pelo Submarino, e não por lojas terceiras, que importam produtos por meios alternativos - e já causaram confusão ao venderem iPhones antes da homologação, o que é ilegal.

[img]hide:aHR0cHM6Ly90ZWNub2Jsb2cubmV0L3dwLWNvbnRlbnQvdXBsb2Fkcy8yMDE1LzA2L3N1Ym1hcmluby1yZWRtaS0yLTcwMHg1NzMuanBn[/img]
Nos grupos de discussão no Facebook, todo mundo ficou bastante empolgado com o valor: estamos falando de um concorrente para o Moto E por pouco mais da metade do preço. Mesmo comparando com a Índia, onde o Redmi 2 já é vendido, o valor é interessante: lá, ele custa 6.999 rúpias indianas, ou aproximadamente 341 reais.

Mas espere: será que o preço vazado pelo Submarino é verdadeiro? Se sim, provavelmente teremos um novo campeão em custo-benefício no mercado brasileiro. No entanto, depois do alvoroço, a Xiaomi afirmou na madrugada desta quarta-feira (17) que as vendas serão diretas, realizadas apenas pelo site oficial da fabricante, uma prática que a empresa já adota nos países em que atua para eliminar a comissão do varejo e reduzir os custos.

"A Xiaomi informa que nossos produtos serão vendidos apenas no site oficial da marca no Brasil, Mi.com. Portanto, recomendamos a todos os nossos Mi Fãs que só comprem produtos e acessórios no nosso site, onde podemos garantir que os produtos são oficiais, testados e preparados para funcionar no Brasil. Todos os produtos e valores, assim como formas de pagamento, serão informados no nosso evento de lançamento no dia 30 de junho", diz a empresa.

Quem está mentindo?
Cristianogremista
Enviado por Cristianogremista
Membro desde
25 anos, Santa Rosa-RS
label