.

Um iPhone 6 na Venezuela custa R$ 147 mil

Enviado por Cristianogremista, , 8607 visualizações, 0 comentários
Nós entendemos como é ter que desembolsar um bom dinheiro para comprar um iPhone. O nosso iPhone 6 já foi eleito pelo jornal econômico Financial Times como o mais caro do mundo ― ou melhor, o mais caro que é vendido oficialmente.

Os venezuelanos, que vivem uma inflação de 68,5% no último ano, escassez de itens como papel higiênico, óleo e farinha e uma criminalidade descontrolada, não têm condições para trocar de celular. A última versão do smartphone da Apple não sai por menos de 300 mil bolívares, o que dá US$ 47.678 ou R$ 147 mil.

[img]hide:aHR0cHM6Ly90ZWNub2Jsb2cubmV0L3dwLWNvbnRlbnQvdXBsb2Fkcy8yMDE0LzEyL2lwaG9uZS02LXBsdXMtaGVyby03MDB4MzkzLmpwZw==[/img]
Esses problemas decorrem da queda no preço do petróleo, que responde por 95% das exportações do país, o que reduziu a oferta de dólares na Venezuela. As lojas e operadoras venezuelanas não podem comprar smartphones diretamente das fabricantes; elas têm de recorrer à Telecom Venezuela, empresa estatal, para intermediar a importação, mas a falta de dinheiro tem impedido que o governo consiga suprir a demanda.

Portanto, a compra de smartphones deve ser feita pelo Mercado Livre venezuelano, uma vez que as taxas de câmbio oficiais, que são de 6,3 e 12 bolívares por dólar, são usadas apenas para produtos prioritários autorizados pelo governo, como comida e medicamentos. Não dá para pedir esse subsídio anual para comprar celulares na Amazon, por exemplo.

[img]hide:aHR0cHM6Ly90ZWNub2Jsb2cubmV0L3dwLWNvbnRlbnQvdXBsb2Fkcy8yMDE1LzA2L3ZlbmV6dWVsYS1pcGhvbmUtNi1tbC03MDB4MzMyLnBuZw==[/img]
Com todos esses problemas, a Venezuela não acompanha o crescimento de 4,2% na venda de telefones na América Latina. Uma previsão da Pyramid Research estima que apenas 4,9 milhões de dispositivos serão vendidos em 2015, uma queda de 46% em relação aos 9 milhões vendidos em 2012. Maria Veronica Fernandez conta à agência de notícias Bloomberg News que comprou um Galaxy Fame por US$ 2,7 mil (R$ 8,3 mil). No Brasil, ele é vendido por cerca de R$ 400.

A dificuldade de conseguir smartphones faz com que o roubo de celulares cresça desenfreadamente. A própria Fernandez teve seu Galaxy S4 roubado à mão armada antes de comprar o Galaxy Fame. "Se você tem um telefone legal, em algum momento você vai ser roubado se sacá-lo na rua", avalia Tina Lu, consultora sênior da Counterpoint em Buenos Aires.

Lojas de celulares também são afetadas pela escassez. Eduardo Eckholt, dono de uma loja em Caracas, passou a focar em reparos e venda de componentes. "Estou no ramo há 18 anos e vejo que as pessoas preferem consertar seu telefone antigo a comprar um novo", comenta.
Cristianogremista
Enviado por Cristianogremista
Membro desde
25 anos, Santa Rosa-RS
label