.

Divisão de celulares da Sony demite mais mil funcionários

Enviado por Anônimo, , 2445 visualizações, 0 comentários
[img]hide:aHR0cDovL2kyLnR1ZG9jZG4ubmV0L2ltZy90eXBlMjgvd2lkdGg2NDYvaGVpZ2h0Mjg0L2lkMTI2Nzg2LmpwZw==[/img]
A Sony continua a sofrer com vendas baixas no mercado de smartphones e isto está repercutindo de forma muita negativa nas diferentes fábricas da empresa. De acordo com um relatório recente, a Sony móbile está demitindo cerca de mil funcionários na Suécia, uma das fábricas mais importantes da empresa. 575 servidores de carteira assinada serão demitidos, e 400 contratados terão seus contratos finalizados antes do tempo, em todas as divisões da Sony, desde a administração até cargos mais técnicos.

A redução de pessoal afetará metade dos trabalhadores da fábrica sueca, que ainda conta com cerca de 1200 funcionários para executarem as suas funções. Apesar de tudo, o corte não deve ser uma grande surpresa para quem acompanha a empresa. Hiroki Totoki, o chefe da divisão móbile da Sony está determinado em torná-la lucrável até o final do ano, e desde então pelo menos 2100 pessoas foram demitidas em uma tentativa de redução de custos.

A Sony Mobile, originalmente uma divisão conjunta com a Ericsson (razão da fábrica na Suécia) foi totalmente absorvida pela gigante japonesa, mas continua incapaz de ser lucrativa. Responsável pela criação de celulares e tablets baseados em Android, a linha Xperia tem tido dificuldade em combater seus rivais da Samsung ou da Motorola; ou mesmo a Apple no mercado de smarphones como um todo, no qual a empresa ficou em nono lugar, com 2% das vendas de celulares do mundo.

A empresa tem tentado vender smartphones a preços mais baixos, mudando sua estratégia inicial de dominar o mercado de luxo com a linha Xperia. Apesar disso, a mudança também não funcionou com a empresa perdendo 1.7 bilhões de dólares no mercado no ano passado.

Existem rumores que a Sony estaria interessada em vender completamente a sua divisão mobile, já que ela tem gerado tanta dor de cabeça para a companhia. Mesmo a supervalorização do dólar no mercado mundial tem ajudado neste problema, já que o yen nativo da empresa se encontra desvalorizado, impactando o preço de custo dos componentes dos celulares.

Além das demissões, Totoki pretende reduzir o número de telefones produzidos pela empresa e desistir de determinados mercados onde a entrada de produtos Sony é mais baixa. O último membro da linha Xperia, o Z4, foi lançado no Japão e ainda não tem nenhuma estimativa de chegar em outros países.

A Sony confirmou que tem expectativa de perder mais 39 bilhões de Yens (315 milhões de dólares) neste ano fiscal com sua divisão mobile. Apesar das péssimas notícias no campo dos celulares, a empresa como um todo, tem previsão de lucro de 2.6 bilhões para 2015.
label