.

Cientistas descobrem um planeta cometa

Enviado por Frocharocha, , 4785 visualizações, 0 comentários
[img]hide:aHR0cDovL2NsaW1hdG9sb2dpYWdlb2dyYWZpY2EuY29tL3dwLWNvbnRlbnQvdXBsb2Fkcy8yMDE1LzA2L3BsYW5ldGEtY29tZXRhLTEwMjR4ODEyLmpwZw==[/img]
Uma descoberta única em sua espécie tem chamado a atenção de astrônomos e fãs de astronomia em geral. Um planeta semelhante a Netuno, seguido de perto por um gigantesco raio de luz, parece ter sido confundindo por muito tempo com um cometa. Chamado de GJ 436b, o planeta está orbitando uma estrela anã vermelha e tem cerca de 22 vezes mais massa que a Terra. A nuvem de gás que corre junto com o planeta foi detectada pela NASA, com o telescópio Hubble, e o Observatório Raio-X Chandra.

"Eu fiquei impressionado com o tamanho da nuvem de gás acompanhando o planeta", disse o autor do estudo David Ehrenreich, astrônomo do observatório da Universidade de Geneva, na Suíça.

O GJ 436b, localizado a cerca de 33 anos-luz da Terra, na constelação de Leo (ou Leão), é de um tipo de planetas conhecido como "Netuno quente". Esse tipo de planetas, cerca de 10 a 20 vezes mais maciços que a Terra, têm quase a mesma massa dos planetas conhecidos como "Netunos frios", como Urano e - obviamente -, Netuno. Ele está tão próximo de suas estrelas quanto Mercúrio está para o nosso sol. Com uma órbita de apenas 4,8 milhões de quilômetros, o GJ 436b é 33 vezes mais próximo de sua estrela do que a Terra é do nosso sol, e 13 vezes mais próxima que Mercúrio - explica Ehrenreich ao 'Space.com'.

A sua nuvem de gás, que fez com que o planeta fosse confundido com um cometa, é feita basicamente de hidrogênio, tem uma ponta circular que engloba o planeta e um trilha que se arrasta a partir do GJ 436b. Essa ponta tem cerca de 3 milhões de quilômetros de diâmetro, ou cinco vezes a largura da sua estrela, que tem aproximadamente a metade do tamanho do sol, diz Ehrenreich. Como a equipe de observadores não conseguiu observar 100% do tamanho da nuvem, seu comprimento não é exato. Entretanto, modelos de computador sugerem que ela pode ter cerca de 15 milhões de quilômetros de comprimento.

Cientistas sugerem que o planeta em questão libera, por segundo, 1000 toneladas de gás por segundo. Isso significa que o GJ 436b está atualmente perdendo cerca de 0,1% de sua atmosfera a cada bilhão de ano. Entretanto, os pesquisadores, utilizando modelos de computador, acreditam que em seu princípio o planeta deve ter perdido cerca de 10% de sua atmosfera no primeiro bilhão de anos de sua vida.

Um outro time de pesquisadores sugeriu que o GJ 436b pode possuir um céu rico em hélio e podre em hidrogênio. Os cientistas acreditam que uma série de planetas semelhantes podem ser descobertos em breve. As descobertas em questão foram publicadas e detalhadas online no dia 24 de junho de 2015 no 'Nature'.
Frocharocha
Enviado por Frocharocha
Membro desde
38 anos, São Paulo
label