.

Começa a briga da Segundona: Zeebo versus PS2

Enviado por Stanley_ipikis, , 3030 visualizações, 0 comentários
Clique para ver a imagem em tamanho original

PS2 versus Zeebo: Caros, mas talvez com duzentas prestações nas Casas Bahia...

O aparelho é uma ousada iniciativa da produtora brasileira Tectoy em parceria com a norte-americana Qualcomm que visa a conceber um videogame de baixo custo, com jogos a preços acessíveis, qualidade satisfatória e sistemas eficientes de combate à pirataria.

Em suma, declaradamente um aparelho destinado a classes sociais emergentes e de baixo poder aquisitivo dos chamados países em desenvolvimento.

Assim, não é de se esperar que apareçam títulos da mesma qualidade vistos em videogames de última geração, como o Wii, Xbox 360 e PlayStation 3.
Ainda assim, os executivos responsáveis pelo Zeebo afirmam que o aparelho compete com o PlayStation 2, seja em termos de mercado ou qualidade técnica.

Em notícia recente, a Sony derrubou o preço do PS2 para $99, visando competir diretamente com o Zeebo no mercado latino-americano. O Zeebo é o console "casual" e "direcionado ao Terceiro Mundo" desenvolvido pela americana Qualcomm, em parceria com a brasileiríssima Tectoy. Utiliza tecnologia 3G de celulares, e será produzido pela Tectoy nas suas instalações em Manaus.

Clique para ver a imagem em tamanho original

Lançaram o boomerangue será que irá cair nas mãos certas?

Na verdade, seja no Brasil, seja em outros países do terceiro mundo, a maior parte das pessoas ainda não teve acesso a consoles do patamar de um NES, que dirá um PS2. Para elas, um Mega Drive é coisa de ficção científica. Não é à tôa que a Dynacom até hoje vende, com sucesso, clones da geração 8 bits, apesar do preço desproporcionalmente alto. Se lançassem aqui o PSOne, ou mesmo o SNES, podem crer que ele teria MUITO mercado. Tudo depende de um único fator - preço. Apenas isso. Preço. Baixo.

Clique para ver a imagem em tamanho original

PSOne: mais condizente com a realidade econômica brasileira?

Aliás, falando nesse Zeebo, parece que ele vai custar uns 600 reais. SEISCENTOS reais! Porra, isso é preço para o público-alvo que ele pretende? Uma família de classe baixa, ou média-baixa, possui 600 reais sobrando para gastar em um supérfluo desses? Por um pouco mais (digamos, uns 800 reais), compra-se um bom computador, que tem muito mais utilidade, inclusive profissional e educativa. Mesmo contando apenas com uma solução gráfica integrada, provavelmente será uma plataforma de games mais sofisticada, flexível e poderosa do que esse Zeebo. Com uma biblioteca de jogos infinitamente superior, mesmo que descartemos títulos mais recentes - digamos, dos últimos 3 anos. Se a pesssoa se restringir a jogos de selos "best sellers", "classic", ou desses de revista, existem games excelentes aí na faixa de 20 reais. Títulos de qualidade, com preço super-acessível.

Clique para ver a imagem em tamanho original

Um console que queira realmente focar no público de terceiro-mundo com algum poder aquisitivo, deve se manter em uma faixa de R$300, no máximo. Com todos os impostos, será que o PS2 chegará aqui por um preço compatível com essa realidade? Improvável. Provavelmente sairá em torno de uns R$600 reais, ou mais. Mas é o suficiente para destruir o Zeebo, dada a diferença astronômica de poder de processamento e de títulos disponíveis (em qualidade e quantidade). A chance do Zeebo recai sobre o preço dos jogos do PS2, ainda muito caros, pelo menos no mercado oficial (obviamente, não estou levando o mercado cinza em consideração). Ainda existem jogos de PS2 sendo vendidos por 250 reais (!), embora alguns títulos possam ser encontrados por R$ 50,00, em promoções. De uma maneira ou de outra, ambos serão consoles "de elite", pelo menos por essas bandas, e o terceiro-mundo tupiniquim terá que continuar se virando com os "clones 8-bits" da vida. Uma realidade que dificilmente mudará a curto prazo, dados os impostos irracionais que imperam no nosso país, principalmente sobre jogos eletrônicos.

Aliás, vale lembrar que todas essas considerações partem do princípio de que o PS2 vai mesmo ser lançado por aqui. Isso ainda não está confirmado. O Brasil é um dos poucos que ficaram de fora da seleção de países latino-americanos que terão o PS2 oficial. Aparentemente a Sony tem intenção de produzir o PS2 na Zona Franca de Manaus. Mas a única iniciativa concreta até agora, por parte dela, foi enviar um projeto para a SUFRAMA. O jeito é aguardar as cenas dos próximos capítulos.
Stanley_ipikis
Enviado por Stanley_ipikis
Membro desde
Salvador, Bahia, Brasil
label