.

Dados apontam processador nativo de 6 núcleos da Intel

Enviado por rafael linux, , 949 visualizações, 0 comentários
Nossos assíduos leitores sabem que a Intel já tem processadores quadrinucleares dotados da arquitetura Nehalem operacionais, os quais foram utilizados em sistemas biprocessados. Cada processador é capaz de dobrar a quantidade de fluxos de operação, o que ocasionou 16 núcleos virtuais pelo sistema demonstrado.

O anúncio do primeiro modelo quadrinuclear da geração Nehalem está previsto para o quarto trimestre de 2008, segundo roadmap oficial da Intel. Os representantes da companhia deram a entender que esses processadores serão monolíticos. Na tendência do aumento de núcleos em um die dentro do contexto da arquitetura Nehalem, esse número poderá chegar a 8, mas apenas ao segmento de servidores. Quanto aos rumores de um possível lançamento de modelos trinucleares a Intel negou categoricamente e afirma que há bons índices de dies utilizáveis na cadeia de produção de processadores quadrinucleares. Isso significa que o número de núcleos dos processadores Intel aumentará segundo a fórmula 2^n e o primeiro processador polinuclear com die monolítico será o Bloomfield?

Parece que não será bem assim... Os correspondentes japoneses do site [url=hide:]PC Watch[/url] informaram que no último trimestre de 2008 a Intel poderá lançar o primeiro processador nativo dotado de 6 núcleos, mas utilizará a arquitetura Core e evidentemente gravado em 45 nm. Ele é conhecido pelo codinome Dunnington. Cada par de núcleos colocados em um die será equipado com 3 MB de cache L2 e terá um cache L3 compartilhado cujo volume não foi definido, mas será 12 ou 16 MB, dependo se o processador terá 4 ou 6 núcleos.

[img]hide:aHR0cDovL3d3dy5vdmVyY2xvY2tlcnMucnUvaW1hZ2VzL25ld3MvMjAwNy8xMC8yMC9leF8wMS5naWY=[/img]
Os processadores Dunnington suportarão FSB de 1.066 MHz e terão TDPs máximos de 60 W, 90 W ou 130 W. Como seu sucessor pode-se considerar apenas o processador Beckton, previamente conhecido pelo codinome Nehalem-EX. Ele utilizará os recursos da nova arquitetura, inclusive o controlador de memória integrado, cujas características foram parcialmente reveladas. Sabe-se apenas que terá 4 canais e suportará tanto memórias FB-DIMM do tipo DDR2 como DDR3 registradas.

[img]hide:aHR0cDovL3d3dy5vdmVyY2xvY2tlcnMucnUvaW1hZ2VzL25ld3MvMjAwNy8xMC8yMC9leF8wMi5naWY=[/img]
Ainda segundo os dados divulgados, os 8 núcleos reunidos do processador Beckton utilizarão o cache de menor nível, dedicado, em pares enquanto o de último nível, cujo volume chegará a 24 MB, será compartilhado entre eles. Não há indicação de que se esse último seja um cache L3, mas a probabilidade é alta. Os 4 canais do controlador do link QPI (Quick Path Interconnect) irão conectar entre si o processador com os elementos do chipset. Esses processadores deverão surgir no segundo semestre de 2009 e continuarão a utilizar o processo de gravação em 45 nm, com um TDP que não ultrapassará 130 W. O conceito de design do Beckton utiliza a misteriosa combinação "Socket LS".

Cada processador Beckton será capaz de processar 16 fluxos. Os servidores multiprocessados baseados nele poderá pocessar até 128 fluxos. Independente se haverá semelhança dessas características preliminares com os futuros processadores desktop, o alto preço será um ponto determinante. A Intel deu a entrender que eles serão destinados a plataformas biprocessadas para entusiastas e o custo de um par de processadores pode chegar a US$ 3 mil.


Fonte: Forum Pcs
rafael linux
Enviado por rafael linux
Membro desde
label