.

Fãs casuais impelem crescimento dos videogames

Enviado por Ismaelpotter, , 3 visualizações, 0 comentários
Fãs casuais impelem crescimento dos videogames

O setor norte-americano de videogames, que movimenta por volta de US$ 13 bilhões ao ano, está contando com os "noobs" nesta temporada de festas.

"Noob", uma gíria que surgiu na Internet, designa os novatos no videogame, ou as pessoas que não sabem bem onde começar em sua incursão pelo setor. Para as empresas produtoras de jogos e consoles, essas pessoas têm outro nome: novos clientes.

Daniel DeMatteo, vice-presidente do conselho e de operações da GameStop, uma grande cadeia de varejo especializada em videogames, a segunda maior vendedora desse tipo de produto nos Estados Unidos, atrás apenas da rede Wal-Mart, disse antecipar que as novas audiências que os videogames vêm conquistando continuem a influenciar as produtoras de jogos e de consoles e os grupos de varejo, na temporada de festas que está começando.

Até o momento, a tendência mais importante dos jogos nos últimos dois anos vem sendo o crescimento explosivo do passatempo fora de sua base demográfica tradicional de usuários ¿os homens jovens. Os adolescentes e jovens adultos continuam a ser a fundação do setor, mas o crescimento nas vendas dos videogames tem sido propiciado por outros grupos.

Os executivos da GameStop, que raramente debatem o setor publicamente, discutirão esse assunto na terça-feira, na convenção anual da empresa em Las Vegas, com a presença de produtores de videogames como a Electronic Arts e a Ubisoft e de fabricantes de consoles como a Sony e a Nintendo, que terão uma última e vital chance de convencer os executivos da cadeia de varejo a promover seus produtos e a lhes dar posições de destaque em suas lojas na temporada de festas. (As produtoras de videogames e o varejo do setor costumam gerar até metade de sua receita e lucros anuais nos três meses finais do ano.)

Em entrevistas concedidas na semana passada, DeMatteo e Bob McKenzie, vice-presidente sênior de promoções da GameStop, disseram que os novos cliente desempenhariam papel mais importante nas quase cinco mil lojas da rede mundial do grupo. "Agora, existe uma gama realmente ampla de produtos com apelo para audiências muito mais amplas do que no passado", disse DeMatteo. "Honestamente, estamos tendo de repensar a maneira pela qual organizamos as coisas em nossas lojas em termos de promoção, distribuição de espaço e atendimento ao consumidor, porque não atendemos mais apenas os jogadores dedicados, que entram sabendo exatamente o que desejam".

Segundo ele, os jogadores casuais e as pessoas que compram videogames como presentes nem sempre sabem o que querem, de modo que a empresa vai criar duas seções novas em cada uma de suas lojas, na temporada de festas, para atender os novos clientes. Uma vai se concentrar nos jogos de música, ancorada pelos videogames "Guitar Hero III", da Activision, e "Rock Band", da MTV Games, que duelam pelo comando do setor, mas incluindo além disso o novo "SingStar", da Sony, que deve atrair especialmente as meninas, e o "High School Musical", da Disney, que provavelmente atrairá crianças dos dois sexos.

A GameStop também pretende estabelecer seções especiais dedicadas a títulos com conteúdo familiar ou infantil. "Elas têm por objetivo atender ao cliente que quer comprar um presente mas não costuma vir às nossas lojas regularmente", disse McKenzie. "A seção incluirá largo número de produtos, de ¿Mario Kart¿ a ¿Zoo Tycon¿ e ¿Nintendogs¿. O jogo do filme ¿Cars¿ vendeu muito, assim como ¿Lego Star Wars¿, ¿Hannah Montana¿ e assim por diante".

DeMatteo disse também que era provável que a demanda pelo console Nintendo Wii continue a superar a oferta. "O público é muito amplo, hoje em dia, e não me surpreenderia que as avós desejem um Wii de presente".

Desde que foi lançado, no ano passado, o Wii vem vendendo mais que o Microsoft Xbox 360 e o Sony PlayStation 3, em larga medida porque é muito mais fácil de usar que os concorrentes e atrai muita gente que não se definiria como entusiasta dos videogames. Ao mesmo tempo, o portátil Nintendo DS também se tornou grande sucesso, atraindo tanto crianças quanto jogadores de meia-idade.

DeMatteo disse também que o console Sony da geração anterior, o PlayStation 2, que custa apenas US$ 129, deve continuar a registrar fortes vendas. "Só existe um console de videogame a preço realmente convidativo no mercado, hoje, e é o PS2, especialmente porque a Microsoft deixou de lado o Xbox original e a Nintendo abandonou o GameCube", afirmou. "E, se e quando a Sony baixar o preço a US$ 99, acredito que ainda teremos vendas do PS2 em 2010".

Os executivos da GameStop disseram não percebido perda de vendas para o Xbox 360 apesar dos defeitos de projeto muito divulgados da máquina, que causam quebra de grande número de consoles. "Tudo que posso dizer é que não vimos muito de negativo quanto a isso", disse McKenzie. "Nós acompanhamos as devoluções de produtos, e elas caíram depois do anúncio dos defeitos; não houve efeito sobre o entusiasmo quanto ao Xbox 360, aparentemente".

O lançamento do "Halo 3" é parte do motivo para o entusiasmo continuado quanto ao Xbox 360. Os executivos não revelaram o volume de unidades vendidas com antecedência do novo jogo da Microsoft, mas McKenzie afirmou que "Halo 3 deve se tornar um dos maiores lançamentos da história de nossa empresa".

Os executivos da GameStop disseram esperar vendas fortes de outros jogos, igualmente, entre os quais "Call of Duty 4", da Activision; "Assassin¿s Creed", da Unisoft; "WWE Smackdown vs. Raw", da THQ; "Mass Effect", da Microsoft; "BioShock", da Take-Two; "Lair", da Sony; e "Heavenly Sword", também da Sony.
Fonte: Terra Games
Ismaelpotter
Enviado por Ismaelpotter
Membro desde
label