.

Inglês é processado por compartilhar software

Enviado por Darksoulsong, , 4 visualizações, 0 comentários
A operação Operation Tracker lançada pela britânica FAST ("Federation Against Software Theft", ou "Federação Contra Roubo de Software", em português) conseguiu vencer seu primeiro caso contra um usuário identificado por utilizar uma rede peer-to-peer para compartilhar softwares.

O engenheiro de telecomunicações Derek Butterworth recebeu uma multa de £3.400, o equivalente a aproximadamente US$ 6.550, por baixar e disponibilizar uma versão de um software não revelado que custa £35 (US$ 68).

A multa, que inclui também os custos legais do processo, foi quase 100 vezes mais alta que o custo de "fazer a coisa certa e comprar o software antes de mais nada", conforme observou o advogado Julian Heathcote Hobbins.

O caso começou em 2006, quando a FAST contatou provedores para descobrir detalhes das atividades de Butterworth em redes P2P. No primeiro contato feito com o engenheiro, a federação pediu para que ele pagasse a taxa do software e se comprometesse a não recorrer na infração, mas segundo a FAST o homem não respondeu, tendo depois alegado não ter recebido a carta.

Contatado uma segunda vez, agora para entrar em um acordo, pagar uma taxa de licenciamento, contribuir com os custos e assinar um termo de comprometimento, o homem também não respondeu, fato que levou o processo adiante a níveis mais sérios.

John Lovelock, diretor geral da FAST, afirmou que continuarão a monitorar e buscar softwares ilegalmente distribuídos em redes P2P. Para ele, os usuários acham que estão anônimos utilizando a internet, por isso cometem tais infrações, mas isto é ilusório. "Quando você se conecta a internet e acessa redes peer-to-peer, você está se identificando e oferecendo seus detalhes para milhões de outros naquela rede, inclusive nós", afirmou dizendo que ninguém pode se esconder.

Fonte: "Geek".
Darksoulsong
Enviado por Darksoulsong
Membro desde
35 anos, Curitiba
label