.

detonado de F.i.d.e.l para Myth: The Fallen Lords de Geral

Enviado por F.i.d.e.l, , 0 visualização, 0 comentários
História do Myth The Fallens Lords Prólogo: "Deve haver uma esperança." Duas noites atrás, meia dúzia de homens e eu estávamos encolhidos ao redor da fogueira do nosso acampamento tentando manter-nos aquecidos, quando um dos homens disse tais palavras. Ele havia se juntado à Legião com três semanas de antecedência e começou a falar sozinho logo após o cutelo de um Ghôl decepar três dedos de sua mão esquerda. Ele ficou lá, agachado no lodo e repetindo aquela sentença para si mesmo. Se ele procurava por alguma forma de apoio ou simpatia, acabou de mãos vazias, pois ninguém lhe deu atenção. Esta noite, eu sento próximo a outra fogueira, a cinqüenta milhas ao noroeste, lembrando como ele gritou esta manha quando quatro Servos o cercaram, derrubaram a espada que estava na mão que não havia sido ferida e o cortaram-no em pedaços. A guerra no norte já dura sete anos, e eu estou me cansando de escrever esse tipo de recordações. A força do habito ajuda um pouco, mas eu já escrevi sobre a frieza de tantos ataques... tantas retiradas. Então por que será que eu continuo a fazer isso? Escrever cada detalhe que eu consigo lembrar ??? os nomes dos homens que tombaram... as cidades em chamas e a sensação do calor em nossas costas enquanto batíamos em retirada ??? costumava ajudar-me a dormir a noite. Agora, é somente alguma coisa para se fazer entre lutar e dormir. Algumas vezes, a sensação de futilidade é esmagadora. Agora que a maior parte deste continente enegrecido pelo pavor da guerra pertence aos Fallen Lords e seus servos carniceiros, é fácil ficar desencorajado. Algumas vezes, eu sinto que agüentar este fato por sete anos não significa mais nada. Que escrever crônicas sobre a lenta morte deste mundo e de seus povos significa ainda menos. Nossos esforços parecem não fazer a menor diferença e eu fico pensando se foi uma boa idéia ter me alistado na Legião. Pelo que dizia a história, Connacht veio do leste no mesmo momento que um cometa apareceu nos céus do oeste. Naquele tempo, o mundo vivia sob a sombra dos Myrkridia ??? uma raça de criaturas canibais, "horríveis demais para serem descritas às crianças", como dizia meu avô. Eu ouvi outras histórias desde então, mas parece que ninguém conseguia descrever da mesma forma o que eram os Myrkridia ou como eles conseguiram espalhar o pavor pela terra durante centenas de anos. Eu considerei estas histórias como fantasias banais mesmo diante da convicção ??? e do medo ??? que saltava dos olhos turvos de meu avô quando ele as contava. Em cem anos Connacht foi o primeiro humano a sobreviver diante de uma batalha contra os Myrkridia... e ele não somente sobreviveu; ele triunfou. Eles os caçou e os aprisionou em um artefato chamado Tain, uma prisão sem muros que os forjadores de Muirthemne haviam criado sob suas ordens. Quando os Myrkridia desapareceram, Connacht conquistou o titulo de Imperador e reinou durante o período que ficou conhecido como a Era da Luz. A história de Connacht termina neste ponto. Alguns dizem que ele morre, foi assassinado ou raptado. Outros dizem que ele deixou Muirthemne na busca de um poderoso artefato. Supostamente, o imenso poder de objetos como o Tain acabou por faciná-lo e amedrontá-lo ao mesmo tempo. Connacht era conhecido por ter buscado objetos de poder similar ??? as cinco Pedras Eblis, o Espelho de Transmist e o Codex Total. Ele destruiu os artefatos que conseguiu e os outros foram escondidos. Em todo caso nenhum destes objetos foi visto por vários séculos. De fato, tudo isso é história antiga. Mas Balor e o resto dos Fallen incendiaram Muirthemne há poucos anos. Com um rápido olhar sobre nossas fileiras, sou lembrado de que não somos o bravo exército de Connacht e sim, um bando à serviço dos Nove. E eu duvido que Connacht apareça para nos salvar. Bem de volta a quando eu me juntei a Legião. Havia um andarilho louco que entretia a qualquer um que estivesse cansado demais para prosseguir com sua teoria sobre o Limite de Tudo ??? aquela linha entre nossa terra e o nada que esta além do Reino de Gower, terra onde Connacht surgiu. Ele dizia que o mundo tem dois lados e girava constantemente, como uma moeda lançada ao ar, e que os vivos e os mortos estavam presos à superfície do planeta por feitiços extremamente poderosos, os quais jamais o homem poderia dominar. Dizia também "ue a luz e as trevas dominam o mundo sucessivamente e que a terra pertence ora os homens, ora aos mortos" Eu havia me cansado do seu vocabulário aficionado, bem como de suas idéias idiotas, mas sou obrigado a confessar que eu senti uma pontinha de tristeza quando ele morreu. Eu também nunca soube seu nome. Na ultima semana, os acampamentos agitaram-se com os rumores de que os Nove haviam posto suas mãos em alguma coisa que poderia mudar o rumo da guerra. Muitos de nós estão inclinados a encarar isto como insensatez. Afinal, são sete anos de combates sangrentos contra os incansáveis e infinitamente numéricos mortos-vivos. Eu mesmo admito que isso parece ridículo. Um talismã que nos manteria vivos. Um talismã que, de alguma forma, daria-nos força para resistir e sobrepujar Balor? Você pode estar pensando que os Nove teriam-no usado antes. De qualquer forma, são apenas rumores e eu aprendi a não dar muita atenção a rumores. Os homens da Legião já ouviram muitas promessas de que tudo mudaria um dia desses. Ninguém quer ouvir palavras como estas, então eu guardo-as para mim. Suspeito que outros nutram alguma esperança, ainda que não falem abertamente. Poderíamos seguir em frente, fantasiando um futuro além desta guerra, se não tivéssemos uma chance? Se isto fosse verdade nós poderíamos seguir em frente. No entanto nós estamos aqui Deve haver uma esperança. Abertura do Myth ??? The Fallen Lords: Em um longo tempo atrás, os exércitos das Trevas entraram novamente nas terras dos homens. Seus líderes foram conhecidos como The Fallen Lords, e sua terrível feitiçaria eram sem igual no Oeste. Em trinta anos eles reduziram as nações civilizadas à carne corrompida e cinza, até a cidade livre de Madrigal sozinha os desafiar. Um exército lá se formou, e uma desesperadora batalha começou contra os Fallen. Os heróis nasceram no fogo e no sangue derramado das guerras que se seguiram, e seus nomes e ações jamais serão esquecidos. Níveis:01 ??? Ponte do Corvo (Crow's Bridge) A Legião segue para o sul; Shiver alcançou Madrigal Quarta-feira, 3 de Agosto, Crow's Bridge Ontem nossa Legião entrou na aldeia de Crow's Bridge e fez uma parada para passar a noite. Estamos agora a apenas quatro dias de marcha da cidade de Madrigal que esta cercada e, com um pouco de sorte, chegaremos lá a tempo de evitar que seja capturada pelo inimigo. Shiver, um dos Fallen Lords esta atacando a cidade há dois dias, mas até agora tem sido afastado pelos defensores. Todos sabemos que a batalha por Madrigal decidira o destino de todas as terras do Norte e, se ela cair só poderemos nos retirar para o oceano. Temendo por sua segurança, os aldeões pediram que ficássemos quando levantamos acampamento esta manhã. Nenhum deles compreende o que esta acontecendo, mas todos viram os refugiados vindos do Sul e estão assustados. Nossos oficiais pareciam antipáticos, até as pessoas voltarem com nove leitões e dez dúzias de pães. Quinze de nos vão ficar, talvez para lutar contra o tédio ao invés de lutar contra os Fallen Lords e vigiar a ponte durante dois dias. 02 ??? A Cova do Traidor (A Traitor Grave) A Legião chegou em Otter Ferry; Madrigal esta sitiada. Terça-feira, 5 de Agosto, Estrada Real Tendo repelido o ataque a Crow' Bridge, nos dirigimos para o Sul a fim de nos unir de novo a Legião em outro vilarejo chamado Otter Ferry. No caminho, encontramos um grupo de nossos homens fugindo na direção oposta e que nos trouxe mas noticias. A vanguarda de nosso exército (vinte mil homens) estava acampada perto de Otter Ferry há dois dias. O prefeito da aldeia deve ter adivinhado nosso plano de atravessar o rio Scamander atrás das principais forças inimigas, para ataca-las de surpresa. Talvez com a covarde esperança de que seria poupado quando as Trevas dominassem Madrigal, o prefeito pretende nos entregar ao inimigo. Uma morte rápida será boa demais para ele, mas não temos tempo. Um dos habitantes conhece a clareira em que o prefeito combinou seu encontro com as Trevas e nos levará até lá. 03 ??? O cerco a Madrigal (The Siege of Madrigal) Os exércitos combinados do norte atacaram Shiver de surpresa. Sexta-feira, 8 de Agosto, Otter Ferry Nossa vanguarda cruzou o Scamander sem encontrar oposição e permanece escondida na margem Sul do rio. O ataque começará duas horas depois da meia noite, contra o flanco direito de Shiver, na mesma hora em que a guarnição de Madrigal sair pelo Gate of Storms e atacar pela frente. Mas não estarei perto de Madrigal quando isto acontecer. Uma hora antes do ataque principal, eu e um pequeno grupo de homens nos dirigiremos a direção oposta, para atacar o acampamento abandonado do inimigo, esperando distrair as forças e a atenção da cidade antes que a verdadeira batalha tenha inicio. O plano é abrir caminho lutando, através da ponte e dentro na cidade capturada de Comfort. Dali localizaremos o acampamento inimigo e criaremos o máximo de distração possível. Cada Servo que permanecer no campo para lutar conosco será um a menos que nossas forças precisarão destroçar em Madrigal. 04 ??? Regresso ao Lar (Homecoming) Watcher entrou em Covernant buscando o Codex Total. Segunda-feira, 15 de Setembro, Arredores de Tyr A batalha por Madrigal durou dois dias inteiros. Shiver caiu na primeira noite em um espetacular duelo com Rabican, um dos Nove. Ninguém esperava por isso. Nunca antes havíamos desafiado um dos Fallen Lords e vencido. Mas a verdade por trás da vitória é mais estranha que os rumores. Aparentemente os Nove descobriram a cabeça decapitada de um dos antigos inimigos de Balor, enterrada no deserto sob várias toneladas de areia e pedra e conseguiram conversar com aquela coisa. Balor e o poder por trás dos Fallen Lords. Imaginamos que o inimigo dele é nosso amigo. Dizem que a Cabeça tem uma velha conta a ajustar com Shiver. Ela contou a Rabican que a única fraqueza dela é a vaidade e lhe mostrou como explora-la. A Cabeça parece saber algo a respeito de tudo e agora nos mandou procurar por um artefato chamado Codex Total, localizado na cidade em ruínas de Covernant, mas o primeiro grupo enviado para recuperá-lo não voltou. Em alguns minutos o próprio Rabican ira enviar alguns de nos, através do No do Mundo, para Covernant para trazer o Codex de volta. 05 ??? Retirara de Covernant (Flight From Covernant) Watcher arrasa as ruínas de Covernant em busca do Codex Total. Segunda-feira, 15 de Setembro, Shepherd's Gate, Covernant Watcher entrou em Covernant pelo Norte e seus incansáveis mortos-vivos então saqueando a velha cidade pela segunda vez, destruindo as velhas estruturas em seu caminho e escurecendo o céu com poeira e fumaça. ?? obvio que ele deseja o livro que agora esta no fundo da minha mochila. Indo contra meus próprios julgamentos, abri o Codex na noite passada, em uma página ao acaso li sobre a vida de um homem ainda não nascido. Ele ressuscitarias os Myrkridia e traria ao mundo horrores sem igual na história ou nos mitos. Eu acreditei em cada palavra e decidi destruir essa coisa antes de permitir que se tornasse um instrumento das Trevas. Mauriac agora esta de pé, falando aos homens. Nos encontraremos ele e alguns poucos sobreviventes da primeira expedição, escondidos em um porão destruído, a poucas centenas de pés do muro externo. Nos reunimos a eles para um breve repouso, até o amanhecer. 06 ??? Força Dez de Stoneheim (Force Ten from Stoneheim) Deceiver se aproxima das montanhas Sexta-feira, 7 de Novembro, A planice de Scales Estamos a dois dias no túnel do lado de fora de Covernant, com Watcher caminhando sobre nós a cada poucas horas, sacudindo o chão com sua fúria e quase nos enterrando vivos por duas vezes. Em algum momento, no segundo dia, os tremores se tornaram cada vez menos distintos e ficamos aliviados em descobrir apenas ratos e mosquitos a nossa espera, quando chegamos a Schoal. Não desejando voltar para o Leste, descemos à costa em direção da velha cidade de Scales, onde encontramos a guarnição Sul de Maeldun e entregamos o Codex Total. Lá ficamos sabendo que, por coincidência, as forças aliadas do Norte estão apenas quatro dias atrás de nos, dirigindo-se para as montanhas para impedir Deceiver, outro dos Fallen Lords, de cruzar as Montanhas de Cloudspine antes do inverno. Mas não podemos esperar por eles: há um No do Mundo a Oeste das Cloudspine e a Cabeça insiste que o inimigo aprendeu a viajar através dos Nos. Se não destruirmos esse portal, poderemos tomar as montanhas apenas para sermos atacados pelas forças que surgirem do No atrás de nos. Oito anões e todos os homens de Scales da Legião se apresentaram como voluntários para a missão. 07 ??? Bagrada (Bagrada)Deceiver tenta cruzar as montanhas Cloudspine nos Seven Gates e Bagrada. Quarta-feira, 12 de Novembro, Fool's Traverse, Bagrada Eu simplesmente odeio o frio. Bastam alguns meses de tempo quente para você esquecer o que é ter seus olhos congelados e o ranho petrificado no seu nariz. E tenho certeza de que o frio não incomoda nenhum pouco os mortos-vivos. Estamos aqui, nas montanhas, para impedir Deceiver de passar para o Leste antes que o inverno feche os caminhos altos. Já começou a nevar mais do que alguns dias. Bagrada é um labirinto de pequenos desfiladeiros, cruzando as montanhas e entre a Planice de Scales e a Floresta Heart. Há trinta pequenos grupos de homens, como o meu, esperando em cruzamentos-chave no interior da passagem, mas o grosso das nossas forças esta acampado no vale abaixo. Com refeições quentes e camas quentes. Imagino que a pior coisa em se ter a reputação de ser um grupo de durões é que a Legião sempre esta onde a luta será pior. Portanto estamos aqui, na primeira linha de defesa contra um ataque de Deceiver. Tyrfing acabou de chegar correndo ao acampamento, avisando que nosso fogo de sinalização estava apagado. Isto significa encrenca. 08 ??? Emboscada em Devil's Overlook (Ambush at Devil's Overlook)Deceiver recuou; Ponto para o inverno. Sexta-feira, 14 de Novembro, Devil's Overlook, Bagrada A neve não para há dois dias e em alguns lugares ela já tem duas vezes a altura de um homem. Mesmo os Fallen precisarão esperar até a primavera antes de tentarem atravessar as montanhas aqui outra vez. Mas nem todos os inimigos se retiraram diante da neve. Durante as duas últimas horas, temos observado uma coluna de cem zumbis, separados de seus amos e obviamente perdidos, perambulando pelos desfiladeiros abaixo. Os anões estão correndo por toda parte, como crianças delirantes. Deve ser uma emboscada espetacular. Rabican tomou os Seven Gates e a neve começou lá também. Fizemos o impensável. Fizemos os Fallen recuar de volta para as montanhas. Mas nosso sucesso aqui foi compensado pelo fracasso de Alric em voltar do Oeste com o exército antes do inverno e pela continua presença de Watcher atrás de nos. Não vai ser um inverno fácil. 09 ??? Os Cinco Companheiros (The Five Champions)Os cinco companheiros se aproximam do acampamento do Deceiver Quarta-feira, 19 de Novembro, a Barreira Voltei ao meu diário depois de alguns meses e coloquei os dois registros seguintes em ordem cronológica depois de Bagrada, onde parecem ficar melhor. Não testemunhei os eventos que vou relatar, mas repito as histórias daqueles que sobreviveram a eles. Não foi senão depois do desastre na Floresta Heart que o resto de nos soube alguma coisa a respeito. Tudo começou quando os Nove souberam que Alric havia sido dizimado. Não tenho certeza de como eles ficaram sabendo, mas aposto que a cabeça lhes contou (na época em que a Cabeça não podia fazer o mal). Por ordem dos Nove, nossos oficiais escolheram cinco campeões na Legião, que foram transportados por cima das montanhas por um balão e desembarcados a noite no árido deserto a vinte milhas do acampamento de Deceiver. Suas instruções eram de Alric usando todos os meios disponíveis e para trazê-lo de volta para Oeste. Acredito que os Nove suspeitam das circunstâncias envolvendo a captura de Alric e pretendiam descobrir porque a Cabeça o havia enviado para as montanhas. 10 ??? Fora da Barreira (Out of the Barrier)Os cinco companheiros fogem com Alric. Quarta-feira, 19 de Novembro, A Barreira Mais tarde os companheiros me contaram que encontrar Alric foi a parte fácil e que quebrar os encantamentos que o prendiam foi questão de alguns momentos de reflexão. Não foi senão depois que eles iniciaram a escapada, carregando um Alric pouco consciente e sem reações, que o resgate se tornou legendário. Os companheiros disseram que, próximo ao final, Alric se tornou, cada vez mais lúcido e revelou coisas naquele dia no deserto que só fizeram sentido a luz dos eventos posteriores. Ele continuamente voltava à crença de que havia sido traído. Alric resmungou sobre uma armadura tão poderosa, que quem a usasse tornava0se invulnerável a ataques e incansável na batalha. Ele afirmava que ela estava na enterrada em algum lugar do deserto do Oeste e que havia sido enviado pela cabeça para recuperá-la. Eles contaram que Alric falava frequentemente com a Cabeça, ridicularizando a crença dos Nove de que ela era um dos Avatara de Connacht, o grande herói da Era do Vento, que expulsou o cruel Moagim da terra; a Cabeça afirma ter sido um dos conselheiros mais íntimos de Connacht durante essa época. Certa vez, Alric chegou a falar da derrota da Cabeça por Balor, quando perdeu seu corpo. Mas comecei a imaginar como um dos Avatara da Era do Vendo havia sobrevivido ao próprio Connacht por séculos, para lutar contra Balor em uma batalha muito antes de Oeste ter sequer ouvido falar dos Fallen Lords. Não tenho conseguido conciliar isso com o que sei de história. 11 ??? Silvermines (Silvermines)Avance com seus membros da Legião e explore Silvermines. Domingo, 30 de Novembro, Arredores de Silvermines Todas as velhas histórias contam que quando Balor libertou Watcher de sua prisão sob Cloudspine, um de seus braços ficou preso em sua cela de pedra sólida. Imobilizado por um poderoso feitiço de confinamento, ele deveria ter permanecido ali para sempre. Mas isso não aconteceu. Hoje estamos a cem milhas de Bagrada e dois dias antes do resto da Legião, nos arredores de uma cidade chamada Silvermines, procurando o braço do Watcher. Vocês não fazem idéia de como nos sentimos pequenos, andando pelas ruínas de uma cidade abandonada, procurando pelo braço murcho do segundo ou terceiro feiticeiro mais poderoso de que se tem noticia. Não entendo como o braço chegou a Silvermines, ou como os Nove sabiam onde procura-lo, mas posso dizer que eles o querem desesperadamente. Esperam usar o braço do Watcher contra ele, se o encontrarmos. E como saber seu verdadeiro nome, mas ainda melhor. Mais uma vez, não tenho a intenção de compreender. O problema é que Deceiver esta pensando a mesma coisa. Alguns dos Fallen tem mais de um milênio de idade e suas rivalidades têm a mesma idade. Sabemos que Deceiver também esta procurando o Braço e que esta fazendo escavações em Silvermines desde o último verão. Vamos entrar esta noite para pega-lo. 12 ??? Sombra da Montanha (Shadow of the Mountain) Rabican foi cercado por Watcher; Maeldun marcha ao norte para ajudar. Domingo, 30 de Novembro, Aos pés das Montanhas Cloudspine O enorme vulcão que protege os Seven Gates esta em erupção pela primeira vez em dez séculos. Os tremores começaram ontem no final da noite e desde meia noite tem havido uma chuva constante de cinzas quentes e fogo. Mesmo aqui, a trinta milhas de distância, quase se tem a sensação de que é verão. Como se a fúria da montanha fosse uma profecia maléfica, Rabican foi cercado e esmagado por Watcher que atacou de surpresa vindo do Oeste. Os sobreviventes dessa batalha, que conseguiram chegar até nos, falaram que fitas de fogo arrancando a carne dos ossos e de espessas nuvens de veneno que apodreciam formações inteiras de homens, reduzindo-os em pedaços de carne, em uma questão de segundos. Nossos feiticeiros foram incapazes de deter a carnificina. Eles também disseram que a passagem para os Seven Gates tornou-se um rio furioso, alimentado pela neve que se derrete a medida que o vulcão aquece a terra ao seu redor. Os defensores que permaneceram na passagem se afogaram com toda a certeza e, em alguns dias, quando a água tiver baixado, a passagem estará aberta e desprotegida outra vez. Mas nada disso nos preocupa. O que resta da guarnição de Silvermines esta a menos de dez minutos atrás de nós, determinada a recuperar o Braço. Todos estamos cansados demais para continuar correndo e nosso batedores escolheram uma montanha em frente, onde podemos fazer uma parada. Ouvi dizer que há alguns de nossos homens entre os nossos perseguidores, convertidos para as trevas pelo Deceiver. Nenhum de nós procurou encontra-los durante a batalha. 13 ??? Seven Gates (Seven Gates) Maeldun protege os Seven Gates; Watcher escapa pelas montanhas. Domingo, 7 de Dezembro, Seven Gates Watcher enviou incansavelmente seu exército contra os remanescentes fugitivos das forças de Rabican e para o interior dos Seven Gates. Estamos lá agora, dentro da passagem, onde ele entrou em choque com Deceiver em seu caminho rumo a Leste. Os corpos dos mortos-vivos então por toda parte, derretidos e quebrados. Parece inconcebível que algo possa ter sobrevivido. Não sei por que ele atacou Deceiver, a menos que de alguma forma ele tenha descoberto o que estava acontecendo em Silvermines. Um dos veteranos disse que eles haviam lutado entre si após a batalha por Tyr e que Watcher mal sobreviveu. Eu tenho a sensação de que os reais motivos do que aconteceu hoje são muito anteriores a isso. De qualquer modo, quanto à batalha acontecia a apenas algumas milhas de distância e pensávamos que em seguida Watcher viria atrás de nós, eu estava feliz porque ninguém havia me pedido para carregar seu maldito braço. Parece que o vulcão vai manter os Seven Gates abertos durante o inverno, de modo que Maeldun esta enviando, patrulhas para recuperar o passo. A crescente vela acesa atrai mariposas e, se algum inimigo sobreviveu as ondas de ataques, tenho certeza de que nós o encontraremos. Assim termina o décimo sétimo ano da guerra. 14 ??? Floresta Heart (Forest Heart) Soulblighter retorna das terras sem dono no sul e ataca a Legião. Terça-feira, 19 de Maio, No Limite da Floresta Heart Mais uma vez a primavera, depois de cinco meses de descanso, mais uma vez a Legião esta a caminho. Na semana passada, atravessamos os Seven Gates para as terras a Oeste, além de Cloudspine. Os fallen parecem ter abandonado as montanhas, mas não sabemos dizer por que motivo. A Legião esta aqui sozinha, acampada nos limites da Floresta Heart, perigosamente dentro do território inimigo. Dois dos Nove estão conosco, Cu Roi e Murgen, tentando fazer contato com os gigantes da floresta que viveram neste lugar, para lhes pedir ajuda contra as Trevas. Nenhum homem viu um dos gigantes desde a primeira batalha pelos Seven Gates, treze anos atrás. Eles ajudaram a conter a fúria do próprio Balor durante três anos, mas não voltaram no quarto ano e a passagem foi perdida. Um dos nossos batedores acabou de chegar, tropeçando através dos arbustos e uma multidão de homens excitados se reuniu a sua volta. Alguém veio correndo do grupo e parou do meu lado o tempo suficiente para dizer: "O Soulblighter está aqui. Coloque isso no seu diário". 15 ??? Coração de Pedra (Heart of the Stone) Data Desconhecida, Dentro do Tain Não entendo o que aconteceu. Perseguindo dois Myrmidons na Floresta Heart, fui envolvido por uma neblina acinzentada que me arrancou do chão. Agora estou aqui, em uma enorme caverna subterrânea, com vários de meus camaradas. Não fomos capazes de encontrar qualquer caminho para a superfície. Murgen acredita que fomos presos dentro do Tain, uma relíquia forjada pelos Ferreiros de Muirthemne durante a Era do Vento. Logo de sua construção, o Tain foi levado de Muirthemne por bárbaros nômades vindos do Sul e acreditava-se que havia sido perdido para sempre. Mas dizem que os artefatos mais tenebrosos têm a capacidade de moldar os homens a sua vontade. Chamam silenciosamente pelos perversos e descontentes a milhas de distancia ou a centenas de pés sob a terra ou o mar. Dessa maneira sempre voltam à luz, não importa que tenham sido enterrados ou esquecidos. E foi assim que Soulblighter redescobriu o Tain. O artefato foi usado por Connacht contra a terrível raça dos Myrkridia somente uma vez antes de desaparecer. Até agora, disse Murgen, nenhum ser humano, exceto seus criadores, sabia para onde suas vítimas eram levadas. Tentei me sentir privilegiado, enquanto morro de fome. Nada mais tenho a escrever. 16 ??? Os Ferreiros de Muirthemne (The Smiths of Muirthemne) Data Desconhecida, Dentro do Tain A tradição conta quase nada sobre os Myrkridia, exceto sobre as horríveis plataformas que construíam com as cabeças cortadas de seus inimigos. Encontramos uma dessas há algumas horas, com trinta pés de altura e cem pés de comprimento, cada crânio arrumado com uma precisão louca, que era horrível de se contemplar. Muitos dos crânios eram humanos ou, pelo menos, humanóides, mas entre eles havia outros que certamente não eram, cujas formas e curvas eu tenho tentado esquecer desde então. No centro da plataforma, bem acima de nossas cabeças, elevava-se o antigo estandarte de batalha dos Myrkridia. Fomos embora imediatamente. Murgen acredita que estamos perto de encontrar uma porta dos fundos, uma saída secreta do Tain, acrescentada por seus criadores de modo que pudessem escapar da coisa se fosse usada contra eles. Naturalmente ela estará escondida e, quase certamente, protegida por armadilhas, mas é nossa única chance de fuga. Essas cavernas são tão vastas que fomos capazes de localizar menos de cinqüenta dos quatro mil homens que suspeitamos estarem aprisionados conosco. Murgen espera poder libertar os outros depois que tivermos escapado, destruindo o Tain ao sair. Perguntei se fazendo isso, também não libertaríamos qualquer coisa que estivesse aprisionada no Tain, mas não obtive resposta. 17 ??? Filhos de Myrgard (Sons of Myrgard) A Legião segue ao norte em direção da fortaleza de Balor enquanto Balin e os anões atacam Myrgard. Domingo, 23 de Maio, Perto de Myrgard Acredito que Soulblighter ficou furioso quando o Tain foi destroçado. Para ele, passaram-se apenas alguns segundos entre a invocação da coisa e sua súbita destruição, enquanto que nos precisamos de dois dias no interior da caverna para escapar. De qualquer modo, ele não demorou em descobrir o que estava errado. Hoje fomos alcançados por mensageiros dizendo que Maeldun havia perdido Bagrada e que Deceiver havia cruzado as montanhas em Stair of Greif. E, o pior de tudo, os sobreviventes dos Nove haviam perdido a Cabeça, que aparentemente os estava traindo desde que a haviam retirado da terra, no ultimo verão. Algo parecido com uma guerra civil estourou no Oeste, quando milhares de nossos homens, inesperadamente, levantaram-se para defender a Cabeça. Dois dos Nove foram mortos, o que os torna algo como três, se forem subtraídos Murgen e Cu Roi, que não escaparam à destruição do Tain, e os outros, que morreram este ano. A única boa noticia é que Alric ainda esta vivo e que se juntara a nós amanhã. Nesta região distante do Leste, os anões do nosso grupo estão mais próximos das suas terras natais ocupadas do que qualquer outro da raça deles já esteve em cinqüenta anos. Sem esperança de retorno, muitos deles decidiram morrer a abandonar seu país de novo aos Ghols que o invadiram. O que vem a seguir é a história deles. 18 ??? Uma Festa há Muito Esperada (A Long Awaited Party) Os sobreviventes atacam os velhos territórios dos anões. Terca-feira, 24 de Maio, Myrgard O que registrei a seguir são boatos, embora os anões que permaneceram conosco depois da Floresta Heart jurem ser verdade. Parece impossível que eles possam ter qualquer conhecimento dos eventos acontecidos, no interior de um território há muito controlado pelos Ghols, embora sua convicção não seja abalada. Repito aqui sua história e deixo ao leitor sua própria decisão. Liderados pelo seu batedor, Balin os anões pousaram no meio de um mar de Ghols e s destrocaram como granadas e sacolas explosivas. Mas o inimigo surgia como formigas de duas cavernas na montanha e cada um que era morto parecia ser substituído por outros dois. Finalmente, os ataques haviam cessado e os anões se descobriram senhores do sangrento pedaço de solo em que estavam. Haviam corpos e pedaços de cadáveres por toda parte. Um conselho foi rapidamente formado após sua vitória inesperada e os sobreviventes decidiram encontrar a ancestral cabeça divina de pedra dos Ghols e explodi-la. Os Ghols veneravam esse enorme pedaço de pedra bruta desde o nascimento de sua raça, rolando suas cem toneladas para onde suas migrações os levassem. A continua presença do ídolo Ghol em Myrgard era uma blasfêmia e sua destruição seria como cuspir no rosto de toda a raça inimiga. Agora, mais que nunca, os anões esperavam a morte. 19 ??? A Estrada Norte (The Road North) A Legião entra no Pântano Medonho. O Guardião prepara uma emboscada logo à frente. Soulblighter nos segue pela retaguarda. Segunda-feira, 15 de Junho, O Limite do Pântano Medonho A Legião adentrou duzentas e cinqüenta milhas em pouco mais de duas semanas. Sem voltar para a segurança do Leste, mas dirigindo-se para o Norte, em direção das cidades congeladas dos Trow e a fortaleza de Balor. De volta da Floresta Heart, Alric convenceu nossos oficiais de que o Oesta estava perdido. De que nosso pequeno grupo em nada ajudaria nas inúteis batalhas que logo seriam lutadas em Madrigal, Willow e Tandem. Essas cidades cairiam, ele disse, e toda a sua população morreria, quer nos sacrificássemos ou não. Então, ele nos disse o que deveríamos fazer. Alric foi interrogado por Balor durante seu cativeiro e soube, por acaso, que Balor havia ligado cada um dos Fallen a si mesmo, para garantir obediência a sua vontade. Os Fallen retiravam seu poder desses elos e se Balor fosse morto, todos eles se tornariam impotentes. Os exércitos das Trevas cairiam. Portanto, Balor deve ser destruído. Mas hoje estamos apenas nas margens do Pântano Medonho, a quase quinhentas milhas de sua fortaleza, com Watcher esperando para nos emboscar a frente e Soulblighter nos seguindo por trás. Temos um longo caminho a nossa frente. Eu e alguns homens estamos deixando a coluna principal dentro de alguns momentos, para descobrir o destino de um grupo de reconhecimento que não voltou. Nenhum de nos espera encontrá-los vivos, mas devemos recuperar um artefato levado por seu líder, gr'Uman, Tenente dos Arqueiros. 20 ??? Através do Gjol (Across the Gjol) A retaguarda da legião tenta deter Soulblighter no Gjol. Quarta-feira, 24 de Junho, A Margem Sul do Gjol A Legião alcançou o Gjol, o rio envenenado que alimenta o Pântano Medonho. Soulblighter tem atacado continuamente nossa retaguarda nos últimos dois dias. Entre isto e as varias emboscadas do Watcher ao longo do caminho, parece que os dois Fallen estão disputando para ver quem nos destrói primeiro. Atravessaremos o rio meia-noite, mas deixaremos alguns homens para emboscar Soulblighter, quando ele tentar nos seguir. Alric pretente atacar Watcher enquanto o Soulblighter é atrasado e, então, fugir para o Norte antes que um deles force uma batalha decisiva. Ontem eu vi iu'Shee, capitão dos arqueiros, com um punhado de flechas brancas com cinco pés de comprimento, com pontas feitas de fragmentos de ossos. Perdi de vista quem estava carregando o braço do Watcher quando fugimos de Silvermines, mas suspeito que ele esteja de volta. Fui um dos homens escolhidos para proteger o Gjol contra Soulblighter. 21 ??? Watcher. (The Watcher) A Legião escapa depois de transformar Watcher em pedra. Cem voluntários retornaram para estraçalhá-lo. Quinta-feira, 25 de Junho, Próximo do Acampamento do Watcher Fizemos nossa retirada do rio em meio ao caos. Não houve tempo para escrever até o dia seguinte, quando finalmente deixamos o pântano e chegamos a terra ais seca, ao Norte. Detivemos Soulblighter no Gjol, tempo suficiente para que Alric montasse sua armadilha para Watcher. Eu estava certo sobre aquelas flechas: Alric estava trabalhando nelas desde que entramos no pântano, duas semanas atrás e elas tinham pontas de fragmentos de osso do braço do Watcher. Eu certamente não gostaria de ser atingido por uma delas, mas aparentemente elas haviam transformado Watcher em pedra, deixando-o paralisado e indefeso. Mas ele não morreu. Trinta bárbaros escolhidos para acompanhar os arqueiros devastaram o inimigo e pilharam os corpos aos pés do Watcher, mas todos foram mortos antes que pudessem desferir o golpe de misericórdia. Diante da possibilidade de deixar um inimigo tão poderoso para trás para ser resgatado, uma centena de homens apresentam-se como voluntários para votar e esmaga-lo antes que chegasse ajuda. 22 ??? Rio de Sangue (River of Blood) A Legião entra em Rhi'anon; Uma pequena força foi mandada a frente para proteger uma ponte importante. Segunda, 20 de Julho, Arredores de Rhi'anon Nenhum de nós sente falta dos mosquitos e das sanguessugas do pântano, mas esta paisagem soturna dificilmente é melhor. Estamos do lado de fora da antiga cidade de Rhi'anon, da raça Trow, abandonada séculos atrás, na guerra que quase exterminou sua raça. Cada hora nos aproxima da fortaleza de Balor e, quase certamente, do final de nossas vidas. Depois de semana nos perseguindo, o exército do Soulblighter desapareceu após a batalha do Gjol. Ele certamente reaparecera logo, mas por enquanto esta nos oferecendo um bem-vindo descanso da luta. Vieram me contar que Alric tem estado ocupado de novo, mal dormindo, planejando a futura batalha. Um bárbaro nos alcançou ontem, depois de ter percorrido todo o caminho entre as montanhas e a cidade de Willow, a mil e quatrocentas milhas de distância. Ele entregou a Alric um pacote do tamanho do punho de um homem, envolvido em trapos e se recusou a falar com quem quer que seja sobre os eventos a Oeste. Um pequeno grupo nosso entrara na cidade na frente do grupo principal amanhã, para proteger uma ponte que Alric teme que o inimigo possa destruir se atacarmos com toda a forca. Uma vez que a ponte estiver protegida, a Legião vira a seguir. 23 ??? Poços de Ferro (Pools of Iron) Enquanto a Legião pressiona a fortaleza, Alric prepara sua armadilha. Terça-feira, 21 de Julho, Rhi'anon Não sou um covarde. Acredito que meus atos durante os últimos dezessete anos provam isso. Mas estou aliviado por não estar entre os escolhidos para morrer. Destro de quatro horas, logo depois do nascer do sol, os dois mil e duzentos sobreviventes da Legião atacarão a fortaleza de Balor. Esses homens, com certeza, morrerão. Talvez haja meio milhão de inimigos entre aqui e a fortaleza. Alric partiu com a aurora, sozinho. Ele diz que os mapas antigos mostram um No do Mundo em Rhi'anon, embora ele jamais tenha sido usado em nossa época. Ele pretende encontra-lo e trazer através dele uma centena de homens até um ponto que acredita estar quase no topo da fortaleza. A partir de lá iremos atrás de Balor. Temos observado um cometa opaco ficar cada vez mais brilhante a cada noite; ele agora é visível de dia e a noite brilha mais que a lua. Alguns homens o consideram um mal pressagio, mas somente os próximos dias poderão dizer se isso é verdade. Antes de partir, Alric nos disse que Madrigal havia caído. 24 ??? A Ultima Batalha (The Last Battle) A Legião se lança contra a fortaleza enquanto Alric parte em busca de Balor. Terça-feira, 21 de Julho, A Fortaleza O plano de Alric é louco. Uma das coisas mais entranhas que descobrimos quando estávamos presos dentro do Tain foi o estandarte de batalha destrocado da raça de maléficas criaturas conhecidas como Myrkridia, morta há muito tempo. Pensei que havíamos deixado ele para trás, mas alguém deve ter escalado aquela horrível pilha de crânios e trazido o estandarte quando fugimos. Os Myrkridia foram os mais perversos servidores das Trevas em tempos passados e o próprio Balor os aprisionou no Tain. Ou, pelo menos, é o que Alric diz. Sempre ouvi dizer que os Myrkridia haviam sido caçados até a extinção por Connacht, o grande herói da Era do Vento. Alric diz que Connacht e Balor são dois nomes diferentes para a mesma pessoa. Acredito que quatro messes no deserto abalaram a sua mente. Como é possível que o maior herói da Era do Vento, o rei de Muirthermne, durante sua Idade do Ouro, tenha se tornado o maior flagelo do nosso tempo? Alric pretende chegar a cem jardas da fortaleza e hastear o estandarte Myrkridiano. Devido à antiga inimizade entre Balor e os Myrkridia, Alric tem certeza de que isso deixara Balor tão furioso, que ele vira pessoalmente lutar conosco. Tudo que precisamos fazer é plantar o estandarte e esperar. 25 ??? O Great Devoid (The Great Devoid) Os sobreviventes de Rhi'anon chegaram ao Great Devoid com a cabeça de Balor Terça-feira, 21 de Julho, O Great Devoid "Balor já foi morto antes", Alric nos disse depois que hasteamos o estandarte Myrkridiano, "e cada vez ele apenas se tornou mais poderoso. Nossa melhor chance é cortar fora sua cabeça e lança-la dentro do Great Devoid. Somente dessa maneira o mundo estará livre para sempre." ?? medida que Balor se aproximava, Alric retirou de sua capa uma das cinco Pedras Eblis e, por alguns momentos, tornou-se semelhante à Balor. Tenho absoluta certeza de que foi isso que ele recebeu ontem, embora não tenha idéia de onde tenha sido encontrada ou como Alric fez para que ela lhe fosse entregue. Tenho certeza de que ele já estava com seu plano em andamento há meses. Há menos de trinta de nos agora, a maioria dos quais, homens que eu nunca havia visto antes. O restante da Legião foi sacrificada no front da fortaleza, para nos dar tempo de levar a cabeça de Balor, enquanto Alric o mantinha imóvel. Depois de escrever estas últimas linhas, vou enterrar este manuscrito, para que ele possa sobreviver, mesmo que nós não possamos. Depois de todos os perigos que enfrentamos, parece ridículo que isso aconteça apenas agora. Não vejo o que pode estar entre nos e o Great Devoid, a apenas algumas milhares de jardas de distancia.
F.i.d.e.l
Enviado por F.i.d.e.l
Membro desde
31 anos, Rio de Janeiro - RJ
label